segunda-feira, 5 de novembro de 2007

VILA DE SÃO MARTINHO DO PORTO


VILA DE SÃO MARTINHO DO PORTO
(Sua História)

PARTE IV

SEDE DE CONCELHO

Na sua obra “Influência do Infante D. Henrique no Processo da Marinha Portuguesa – Navios e Armamentos”, o Contra-Almirante João Braz de Oliveira, tratando da descrição da Caravela Portuguesa, diz que, no reinado de El-Rei D. Afonso V, 1438 a 1481, e depois no reinado de El-Rei D- João II, 1481 a 1495, eram as caravelas construídas na Ribeira em Lisboa, no Porto, Algarve e São Martinho do Porto. Este escritor é um entre muitos que fazem referência às construções navais deste porto.

“De larga aplicação e utilidade, eram os pinhais e matas do Reino – diz Fernão Diniz, - será um pinheiro de Leiria hasteando o pendão da Cruz, que resistirá ao esforço da procela, quando Bartolomeu Dias, em 1488, dobrar o Cabo das Tormentas.”

São Martinho do Porto era pois, com a Pederneira e Paredes, um porto de mar dos Coutos de Alcobaça.

Nenhum comércio havia, além dos estaleiros. Uns eram pescadores e foi neste porto que se fixaram as primeiras cabanas de pescadores, construídas na encosta do morro denominado Outeiro.

No ano de 1495 é aclamado Rei, D. Manuel I.

Como as incertezas na aplicação do Direito continuavam depois da publicação das “Ordenações Afonsinas”, D. Manuel reconheceu que muitas das suas disposições já estavam antiquadas ou introduziam direito novo.

Resolveu pois, mandar fazer uma compilação que recebeu o nome de “Ordenações Manuelinas” e também foi ordenada a reforma geral dos forais,

O poder do Soberano estendeu-se a todas as regiões do território. As instituições particulares desapareceram, a vontade do Soberano começou a prevalecer sobre os interesses das classes e os previlégios dos concelhos.

Assim, D. Manuel I, no ano de 1518, em Lisboa, no primeiro dia do Mês de Outubro, concede novo foral à Vila de São Martinho do Porto, e, além das terras de São Martinho, abrangia também os Casais do bom Jesus, Venda Nova, Jagos, Vale do Paraíso e dois na Charneca.

É pois nesta altura, 1 de Outubro de 1518, que São Martinho do Porto passa a ser Sede de Concelho.

Foi também no reinado deste Rei, que sendo comendatário seu filho D. Afonso, mandou fazer averiguações, por homens competentes, aos vaus dos rios de Tornada e Alfeizerão e acharam que podia a Baía ancorar 80 navios de alto bordo.

(Continua)
José Gonçalves

18 comentários:

São disse...

Continua interessante a informação.Abraços.

Sophiamar disse...

Um belo post que voltarei para comentar não fora ter de me despachar para a obrigação. D.Manuel reformou os forais concedidos até então e, como aqui está patente, S. Martinho não foi excepção.
Daqui, do sul, te envio beijinhos e desejo uma boa semana. Se puderes e quiseres, envia-me o teu email.Obrigada!
Um abraço!

elvira carvalho disse...

Ora então o bebé acordou cedo. Ou foi dormir tarde. E é um bebé que até já sabe história e tudo.Gostei bem de ler mais este bocadinho de história e continuo interessada, no resto.
Um grande abraço e que passe um dia muito feliz.

À margem, espero que já tenhya visto o correio.

Maria Faia disse...

E a história continua...
Bom trabalho meu Amigo.

Mais uma vez, mil beijinhos amigos de PARABÉNS.

P.S. Quando for grande quero aprender a dançar como as girafinhas.....

Maria disse...

Continuo a aprender tanto com o que aqui descreves....

Um abraço

aramis disse...

Meu amigo, continuo a gostar imenso e sobretudo a aprender muito. Não conhecia mesmo esta descrição tão pormenorizada. Obrigada!
Beijinhos e um dia muito feliz!

Isso Era Dantes disse...

um canto a não perder para quem se inicia agora nestas lides.
um abraço

Jose Gonçalves disse...

São

A história de São Martinho do Porto reveste-se de episódios muito interessantes, desde logo porque a situação geográfica lhe ter permitido ser um porto de mar, protegido e com influência na tráfego marítimo.
Aguardemos pelos próximos.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

A história continua.
Espero que as tuas obrigações tenham corrido bem.
Os beijinhos chegaram cá, através do mar. (Desculpa mas já fui ao teu cantinho e deixei-te lá o meu email).
Ainda há pouco falei com a minha filha, o meu genro e as minhas netas que vivem agora em Lagoa e que me deram os parabéns, mas sempre foram acrescentando que estavam a passear em Vilamoura.
Mauzinhos que eles são cá para o velhote...
Beijinhos também para ti
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Olá Elvira

Um carinho muito especial para si, e penso que sabe disso.
Agradeço-lhe ainda que não encontre as palavras certas para o fazer, os votos de parabéns que me enviou.
Que Deus vos guarde e vos dê tudo o que desejarem da vida.
Já fui ao correio mas ainda não tive tempo de ver o que me enviou.
Tenho uma reunião Rotária agora, mas depois de chegar irei ver com calma.
Grato por tudo
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Maria Faia

Um grande beijinho de amizade e obrigado pelos parabéns que me envia por aqui e também pelos que me enviou pelo telefone.
Logo farei mais um post sobre São Martinho.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Maria

Ainda bem que assim achas...
Um grande abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Aramis

Esta versão está arquivada na Casa da Cultura e penso também na Junta de Freguesia.
Um abraço.
AH e vou precisar de falar contigo para um novo projecto cá para o burgo.
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

isso era dantes

Antes de mais deixe-me agradecer-lhe a visita que me faz.
Já fui ao seu cantinho e penso fui o primeiro a fazer comentários.
Seguramente que estes nossos amigos não deixarão de a visitar, se assim o entender.
Bem vinda ao mundo da blogosfera.
Quero dizer-lhe que estou por aqui há muito pouco tempo, mas isto tem sido um bichinho e hoje não passo sem conversar com os meus amigos.
Nunca mais senti que estava só.
Apareça quando quiser, a porta está sempre aberta.
Um abraço
José Gonçalves

Sophiamar disse...

O rei D.Manuel I e D.João II, cunhados e primos, foram os dois mais importantes reis da 2ª dinastia.Os antigos forais apresentavam muitas lacunas, segundo pensavam estes reis, no que ao número de obrigações dizia respeito. Muitos eram os privilégios neles contidos. À medida que se foi procedendo à centralização do poder novas leis foram feitas e outras revistas. Os forais velhos foram sofrendo reformas e isso aconteceu aos nossos forais de Faro e de S.Martinho do Porto.
Continua amigo a dar-nos conta dos resultados das tuas investigações históricas.
Outro assunto. então tens uma filha a viver no Algarve? Aqui bem perto de mim? Então, um dia, se quiserdes, encontrar-nos-emos.
Beijinhossss

avelaneiraflorida disse...

Amigo José Gonçalves,

o tempo tem sido muito curto...mas não quero deixar de agradecer estes posts sobre a MEMÒRIA de S.Martinho do POrto!!!!

O Que faz parte da história comum não pode ficar esquecido!!!!
Bem haja, por esta divulgação!!!!
Bjks

Jose Gonçalves disse...

Olá sophiamar

Uma lição de história e assim aprendi mais umas coisinhas.
Se me permitires irei acrescentar esta tua informação ao post que fala sobre o antigo foral de S. Martinho.
Sim é verdade, foi viver há cerca de dois meses para Lagoa, onde comprou casa. Terei muito gosto em que nos encontremos por aí, onde gosto bem de ir.
Agora até irei ter mais pretextos para o fazer, por isso um dia destes aí estarei se Deus quiser.
Falaremos do assunto na altura própria.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

avelaneiraflorida

Esta história tem continuação e espero que goste.
É sempre bom que de vez em quando relembremos estes textos que na maioria das vezes ou desconhecemos ou já nem nos lembramos deles.
Um grande abraço
José Gonçalves