sábado, 16 de fevereiro de 2008

BOM FIM DE SEMANA MEUS AMIGOS!

*


TEM SIDO DIFÍCIL RESERVAR MUITO TEMPO PARA VIR ATÉ JUNTO DE VÓS.
POR ISSO, DADAS AS DIFICULDADES, TENHO DE FAZER OPÇÕES, OU FAÇO POSTAGENS, OU RESPONDO AOS COMENTÁRIOS QUE ME SÃO FEITOS OU FAÇO VISITAS AOS MEUS AMIGOS.

TENHO TENTADO CUMPRIR COM ESTA DISCIPLINA E A TODOS TENHO VISITADO POR IGUAL PARA QUE NÃO RESTEM DÚVIDAS SOBRE PREFERÊNCIAS. TODOS ME MERECEM A MELHOR DAS CONSIDERAÇÕES.

TENHO MARCADO NA MINHA AGENDA, O DIA DE HOJE SÁBADO, 16 DE FEVEREIRO DE 2008, PARA VISITAR OS AMIGOS E É O QUE FAREI DURANTE O DIA E DURANTE AS HORAS QUE TIVER LIVRES.

A TODOS PEÇO DESCULPA PELA AUSÊNCIA! ATÉ LOGO ENTÃO!

JOSÉ GONÇALVES

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

DIA INTERNACIONAL DAS CRIANÇAS COM CANCER

*



Crianças com cancro aumentam em Portugal



Cerca de 300 crianças portuguesas enfrentam, anualmente, um primeiro diagnóstico de cancro. A doença afecta, também, de acordo com um estudo realizado em 19 países europeus, cada vez mais adolescentes.



Intimidante, a investigação publicada recentemente na revista The Lancet, conclui que, desde 1970, os médicos diagnosticaram, de dez em dez anos, novos 11 casos de cancro por cada milhão de crianças e 23 casos adicionais de tumores na adolescência.



Apesar de não constar neste relatório, Portugal não está imune ao crescimento do número de tumores na infância, registando, anualmente, segundo dados avançados, ontem, pelo Diário de Notícias, cerca de 300 diagnósticos. Para justificar estas estatísticas não existem, para já, argumentos concretos. Embora, os especialistas não descartem as variáveis ligadas à poluição e à alimentação durante a gravidez.



Ao incremento dos diagnósticos de cancro, há também que relacionar, dizem os investigadores, uma melhoria significativa dos métodos de diagnóstico e de codificação dos tumores.


Voltando ao estudo, que envolveu 19 países da Europa numa amostra de 113 mil tumores em crianças e 18.243 em adolescentes, a revista The Lancet revela, ainda, que nas crianças o aumento inclui todos os tumores. Enquanto a população mais jovem é afectada, sobretudo, por carcinomas, linfomas e tumores das células germinativas.



Os especialistas acreditam que a incidência dos tumores está a aumentar a uma taxa de 1% por ano nos mais novos e de 1,5% até aos 19 anos.
Neste contexto, não deixa de ser relevante avaliar o quadro da mortalidade infantil no nosso país. Ainda que as causas possam não ser restringidas ao cancro, o certo é que os números têm vindo, conforme os dados divulgados ao nível nacional, tendencialmente a crescer.



Entre as regiões mais afectadas, destacava-se, entre 2001 e 2001, de acordo com informações veiculadas pela agência Lusa, Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo, Algarve e Açores, tendo este arquipélago ultrapassado ligeiramente a média nacional de cinco mortes em cada mil nascimentos.



Cancro do cólon mata mais

Um inquérito efectuado, no ano passado, em 21 países europeus revela que o tumor do cólon e do recto é a forma de cancro mais comum na Europa, chegando a matar mais pessoas do que o cancro do pulmão.
Da iniciativa da United European Gastroenterology Federation (UEGT), este estudo coloca Portugal numa posição cimeira face aos restantes países e mostra que os portugueses estão pouco sensibilizados para a prevenção.
Média de 10 casos por ano na Região: Médica Maria João Teixeira explica que a leucemia tem atingido mais as crianças



A Madeira confronta-se com uma média de 8 a 10 novos casos/ano de cancro infantil. Os dados fazem parte dos registos do Hospital Central do Funchal e foram facultados, ao DIÁRIO, por Maria João Teixeira, médica-pediatra, responsável pelo tratamento de crianças com doença oncológica.



A médica tem a convicção de que os números têm vindo a estabilizar na cerca de uma dezena de casos/ano, sendo que a neoplasia com maior incidência nas crianças é a leucemia, seguida dos tumores do sistema nervoso central. Neste momento, a principal origem do cancro pediátrico é a leucemia, com tratamentos que se prolongam pelos dois anos, em média, sendo necessário efectuar deslocações ao Instituto Português de Oncologia, em Lisboa.



Falando com aparente objectividade de um assunto ao qual se tem empenhado muitíssimo, algumas vezes deixando transparecer na conversa a comoção face à abordagem destas situações de melindre inquestionável, Maria João Teixeira explica que «o cancro infantil tem um grau de imprevisibilidade muito grande», contrariamente ao que, por vezes, acontece no adulto.



«Exceptuam-se as situações genéticas, isto é, alterações cromossómicas. As crianças com mongolismo ou Síndroma de Down têm mais propensão para a leucemia. Tivemos casos destes nos últimos cinco anos. O resto é imprevisível...» No adulto, o cancro está normalmente associado ao regime alimentar, a hábitos e estilos de vida, o que permite a prevenção.



Questionada sobre a incidência em termos de idades, esta pediatra diz que «o tumor pode afectar crianças desde o nascimento até aos 13 anos de idade, se bem que haja cancros em qualquer idade». A leucemia «tem uma maior incidência abaixo dos cinco anos. Abaixo dos 2 anos e acima dos 5 anos tem maior agressividade, o que exige a realização de estudos por forma a orientar o tratamento mais adequado ao caso».



As zonas populosas têm maior incidência, particularmente Machico e Câmara de Lobos, mas há casos um pouco por toda a Região.
"Acreditar" é aquela mão amiga que orienta pais e filhos: Associação à espera que o Governo Central aprove o pacote legislativo de apoio aos pais das crianças vítimas de cancro
Tratar a criança com cancro e não só o cancro na criança. As famílias são o suporte emocional da criança atingida pelo cancro. Estes são alguns dos slogans que o DIÁRIO registou, no Hospital Central do Funchal, da Associação de Pais e Amigos das Crianças com Cancro-Acreditar.



A médica Maria João Teixeira preside também à direcção do núcleo regional da Associação que não se quer sobrepor aos serviços oficiais, mas «ajudar a melhorar a qualidade de vida de crianças com cancro». Como é de calcular, esta instituição particular de solidariedade social procura «prestar apoio humano e lúdico às crianças em tratamento», bem como «auxiliar e orientar os pais nesta fase dolorosa das suas vidas».

É graças aos seus voluntários - embora sejam necessários muitos mais - que a Acreditar vem desempenhando a sua acção junto das crianças e dos pais, por forma a levá-los a encarar e a aceitar a doença.
Deduz-se pelas palavras de Maria João Teixeira que o papel dos voluntários - todos eles com formação adequada - é o de proporcionar às crianças em tratamento momentos de prazer, muitas vezes através de actividades lúdicas, que as façam esquecer os momentos de dor. Por exemplo, o «Hospital de Dia», onde são feitos os tratamentos, um espaço no 5.º andar cedido pela direcção hospitalar e equipado pela Acreditar tem ao dispor das crianças uma panóplia de jogos, televisão e cassestes-vídeo, computador e outras formas de diversão, o que o torna mais acolhedor.



Com o apoio da direcção nacional, por vezes a Acreditar proporciona a crianças com cancro a concretização de sonhos, como viajar até à Disneylandia ou ao Porto Santo, graças a apoios de diversas entidades. Tudo isto por um sorriso delas, num aproveitar ao máximo da vida.
A 15 de Fevereiro, comemora-se o Dia Internacional da Criança com Cancro. No fim de semana anterior, a Acreditar terá uma banca, no Madeira Shopping, para divulgação e venda de artigos, estes destinados à recolha de fundos.


Rosário Martins / Patrícia Gaspar


Fotos e Texto tirados da Net.

José Gonçalves

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

E NO FIM DE UM DIA DE S. VALENTIM O SOM QUE PORÁ OS CORAÇÕES A UM RITMO MAIS SUAVE!

*



IL DIVO - FEELINGS

O AMOR SEGUE DENTRO DE POUCOS MINUTOS !!!

EM DIA DE NAMORADOS MAIS UM DESAFIO!

*

Fui desafiado pela Elvira Carvalho que me passou este meme com a seguinte indicação: Depois de o receber tem 10 minutos para responder a 2 perguntas e passá-lo a outras dez pessoas, sendo que o meme deverá terminar amanhã dia 14 à meia noite.

E as perguntas são:

O que gostarias que o teu par te oferecesse amanhã (hoje)?
-
O beijo mais longo e mais profundo de todos os tempos!

E o que responderias em agradecimento?

- Com um outro beijo que selasse o amor que nos mantém unidos e nos manterá até que a vida nos separe!


E os nomeados são:


Amigona Avó e Neta Princesa

Aramis

Brancamar

Geo

Maria Faia

Rakel

Maria

Joaninha

Momentos

Sophiamar


Pois minhas amigas... mãos à obra, eu já me safei.


Não cumpri com as regras em absoluto pois demorei mais de dez minutos a responder, mas não podia deixar passar o dia de hoje sem o fazer.

Da mesma maneira, não podia também e principalmente deixar passar em claro este dia de S. Valentim para oferecer a minha mulher mais uma prova de tanto amor que tem sido nosso cúmplice ao longo dos anos.


PARA TI AMOR!


AGORA NÃO se diga mais entre nós «deixa-me»,

E nenhum dos nossos corações se afaste.

Eu irei para onde fores

E da tua morada faço também a minha.

Os teus irmãos e companheiros hoje recebo como meus,

O Deus da tua juventude, eu o amo profundamente.

E quando por fim a morte nos visite

Quero morrer na terra em que morreres

E ser sepultado perto de ti

O Senhor sabe: a vida me tratará com tristes rigores

Se outra coisa que não a morte

Esconda de meus olhos a graça do teu rosto

Tão amado.

In Rosa do Mundo – 2001 Poemas para o Futuro


TU sabes amor que não precisaria de poemas para te dizer todos os dias o quanto te AMO!

"O Nosso Poema" é feito de pequeninas coisas e será eternamente recordado pelos nossos filhos como a história mais linda e mais apaixonante que algum dia se escreveu!

José Gonçalves

BLOGAGEM COLECTIVA

*

“A Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança, aprovada em 1989 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, define que os países signatários devem tomar "todas as medidas legislativas, administrativas, sociais e educativas" adequadas à protecção da criança, inclusive no que se refere à violência sexual (artigo 19).”


Como o tema é de difícil abordagem, nele não gostaria de falar, limitando-me apenas a dar o meu contributo nesta blogagem colectiva.


“É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-las a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.”



“Hoje, a nossa principal missão é a consciencilização de internautas (usuários da Internet), políticos (responsáveis pela Legislação do País), as Famílias e a Sociedade como um todo, sobre a situação preocupante, imposta pela ação criminosa através da Internet. Nossas crianças correm o risco real e imediato de serem assediadas via Internet, raptadas para contracenarem em cenas sádicas, doentias, ou ainda, de verem publicadas sua dor, sua angústia pelo sofrimento no abuso ou exploração sexual... Por isso, abracemos esta causa.”

Quem denuncia salva!

José Gonçalves

AFIFE, A SARRAÇÃO DA VELHA E OS TRIQUELITRAQUES OU ZICLITRAQUES

*


AFIFE

É possível que o topónimo Afife se trate de um genitivo antroponímico árabe, Afif, que inicialmente era utilizado como adjectivo para designar algo ou alguém virtuoso; mais tarde porém, aparecia num documento de 1108, com a designação Afifi, sugerindo a existência de uma Villa Afifi, que adquiriu o nome do seu senhor. Ao longo dos séculos, o topónimo foi apresentando diferentes grafias: Fifi, Affifi, Afifi até culminar em Afife.





Há ainda uma outra versão considerada popular. Segundo o arqueólogo José Bouça, a origem do topónimo é romana, de Aff-hifas, significando sopa de cabelos. Esta definição remonta à época em que a legião de Júlio César invadiu as terras lusas, massacrando as populações e violentando donzelas e damas lusitanas. Estas, para fugir a tal horror, torturaram-se a elas próprias, desfigurando os rostos e cortando os cabelos, cujas madeixas esconderam na corrente de uma fonte, para que não fossem manchadas pelos lábios impuros do inimigo; os soldados, para matar a sede, dirigiram-se à fonte e refrescaram os seus lábios com os cabelos molhados das donzelas, resultando daí a expressão: sopa de cabelos.





Há ainda a considerar, que se pode encontrar a localidade de Afif, que se situa entre Meca e Medina na Arábia Saudita e outra no Gana, com o nome de Afife.




A SARRAÇÃO DA VELHA

A Serração da Velha” é um antigo costume carnavalesco da região Sul do Ocidente Europeu. Este ritual tem proporções verbais que significa o enterro do Inverno e início da Primavera.

É uma tradição popular que ocorre na quarta-feira da terceira semana da Quaresma, marcando um interregno lúdico neste período do calendário religioso. Em Viana, encontra-mo-la em Afife, Carreço, Ponte de Lima e Darque, entre outras, com algumas pequenas diferenças no seu ritual.



Em Afife, podemos assistir a este cortejo. É transportado um boneco (Velha) confeccionado com papel de seda de várias cores, iluminado com velas de estearina e colocam-no sobre uma padiola. Associado a esta festa e usado exclusivamente nela, há um instrumento musical, o triquelitraque, que produz um som característico, parecido com uma gargalhada, que muito contribui para o ambiente geral de sátira. Além do triquelitraque, apenas durante o cortejo, são usados outros instrumentos, conforme a freguesia: é o caso da rela e do corno.



A “Sarração” como é conhecida em Afife, transforma-se num momento de encontro da comunidade, uma vez que é fomentada a participação de todos, inclusivamente da própria velha (uma pessoa idosa da freguesia, conhecida por todos) representada num boneco que, no dia da sua queima, percorre as ruas da freguesia, para ser queimada numa cerimónia em que é lido o seu testamento, um documento satírico, carregado de alusões à vida das pessoas da freguesia e aos acontecimentos mais importantes do ano.



Ao longo da “sarração”, o som do triquelitraque é um dos elementos mais característicos, que acompanha os diferentes passos: no ínicio, na quarta feira de cinzas, anuncia que se está a preparar a cerimónia, depois, no dia da “sarração”, acompanha o cortejo e a leitura do testamento.

A cada um destes momentos corresponde um toque específico: a marcha ( dois batimentos médios – três rápidos – dois médios) é tocada nos cortejos de peditório e no dia da “sarração”; o esgalha ( três batimentos rápidos – pausa pequena – três rápidos) no peditório, como agradecimento e a sarra ( três batimentos médios – pausa pequena – três batimentos médios), tocado no auge da festa, durante a leitura do testamento e na queima da “velha”




TESTAMENTO DA VELHA


Agora que vou morrer

E que me vão queimar

Não posso deixar de vos ler

O que eu vos vou deixar

Para o Alto Minho

A velha decidiu dar

Um museu etnomusicológico

Para as tradições preservar

Estou em juízo perfeito

E no uso das faculdades

E sem coacção nenhuma

Digo as minhas vontades

E para que este trabalho

Não seja cedo esquecido

Este disco vou deixar

Para sempre ser vivido



TRIQUELITRAQUES OU ZACLITRACS


Os zaclitracs, também conhecidos por triquelitraques, são idiofones usados na Quaresma, no Carnaval, Serrações da Velha... São matracas de martelo que constam de uma tábua (+- 40 cm de comprimento) na qual estão aplicados pequenos martelos de madeira, cujo cabo gira num eixo passado entre dois suportes fixos à tábua. Em Afife e Montedor, os zaclitracs têm várias séries de martelos, dispostos quatro a quatro ou cinco a cinco em duas e às vezes três linhas, e com a ponta do cabo enfiado num eixo de arame. Os zaclitracs seguram-se com uma mão no alto e outra em baixo e sacodem-se fortemente e em cadência certa, de modo que os martelos batam na tábua todos ao mesmo tempo e num ritmo variado e regular, o que é por vezes um pouco difícil de realizar com perfeição. Tocam-se em conjunto, por muitos rapazes, ao mesmo tempo (de Oliveira, 2000:311-312).




Desconhece-se a data de criação deste instrumento utilizado na altura do ano que antecede a tradicional "Serração da Velha", sabendo-se todavia que terá pelo menos 200 anos. Se outrora estes instrumentos existiam em qualquer habitação da freguesia, hoje poucos são aqueles que os conservam; alguns foram vendidos a turistas que em grande número visitam a freguesia durante o Verão. O triquelitraque constitui-se por uma tábua e várias fileiras - uma, duas três e até quatro - de martelinhos, sendo que o som do instrumento varia com a espessura da tábua e a quantidade de martelinhos.

Fontes: Texto e fotos do site da Freguesia de Afife, Comunidade Escolar e Net

José Gonçalves

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

BARROCO ou CLÁSSICO (ROCOCÓ - 1730 a 1760)

*
Barroco, é um movimento, que vai da segunda metade do século XVI (1550) à primeira metade do século XVIII (1760), caracteriza-se por um estilo rebuscado, repleto de metáforas e antíteses e por uma volta às questões espirituais em oposição ao racionalismo renascentista.



O Barroco, oposição ao classicismo, surge no século XVII na Itália e na Europa, perdura até meados do século XVIII, atingindo toda a América Latina até o fim do século XVIII... É uma tendência que se manifesta nas artes plásticas e, em seguida, na literatura, na música e no teatro no início deste século.


Miguel de Cervantes, por exemplo, numa prosa barroca faz uma sátira das novelas de cavalaria em Don Quixote de la Mancha...
Num período no qual a Igreja Católica tenta recuperar o espaço perdido com a Reforma Protestante e os monarcas concedem-se poderes divinos, a arte barroca busca conciliar a espiritualidade e a emoção da Idade Média com o antropocentrismo e a racionalidade do Renascimento. Sua característica marcante é, portanto, o contraste.
Esta arquitectura é um meio de propagar a fé na Igreja e no Estado, por isso as principais construções são igrejas e edifícios públicos. Tem como características o abandono de normas e convenções, da geometria elementar e da simetria.



As fachadas são ondulantes e decoradas com esculturas. Há grande uso de pilastras e o interior é repleto de madeira entalhada recoberta de dourado. Linhas diagonais e escadas dão movimento e altura às construções. O exagero de formas e a mistura de texturas transmitem a ideia de dramaticidade e representam a opulência da sociedade da época.
Os principais nomes são Francesco Borromini (1599-1667) e Gian Lorenzo Bernini (1598-1680), autor das 162 colunas da praça da Basílica de São Pedro, no Vaticano. A preocupação com o espaço que circunda os edifícios é outra característica do barroco.



A palavra barroco, originalmente "pérola deformada", exprime de forma pejorativa a idéia de irregularidade. Suas obras são rebuscadas, expressam exuberância e emoções extremas. Durante o período, além da Igreja e dos governantes, a burguesia em ascensão patrocina os artistas...
A fase final do barroco é o rococó, estilo que surge na França entre 1700 e 1780, refinando a arquitetura pomposa do barroco, durante o reinado de Luís XV. Caracteriza-se pelo excesso de curvas e pela abundância de elementos decorativos, como conchas, laços, flores e folhagens. A temática é inspirada nos hábitos da corte e na mitologia greco-romana.
As cores vivas dão lugar aos tons pastéis e os relevos exagerados são substituídos por superfícies delicadas, que ganham ênfase em pontos isolados. Igrejas e palácios exibem uma integração entre arquitetura, pintura e escultura. A estrutura dos edifícios é iluminada por várias janelas para criar interiores etéreos.



Os espaços interior e exterior chamam a atenção pela complexidade e requinte. Os arquitectos constroem espaços unificados e reduzem o tamanho das colunas. Nas igrejas, os tectos das naves laterais são levantados até a altura da nave central para unificar o espaço, como na Igreja de Carmine, em Turim, construída por Filippo Juvarra (1678-1736).



No Brasil, as primeiras obras barrocas construídas foram na época da colonização, que tinham o objectivo de assegurar o domínio português e evitar as invasões estrangeiras. São erguidos colégios e igrejas em Salvador, Olinda e no Rio de Janeiro, marcados por este estilo e de forte influência jesuítica. E também, a economia açucareira do século XVII impõe um novo padrão de vida e faz surgir a casa-grande e a senzala, que exigem um aprimoramento técnico das construções.



No Brasil, António Francisco Lisboa – o Aleijadinho (1730-1814) é o mestre do barroco.
A arte barroca originou-se na Itália (séc. XVII) mas não tardou a irradiar-se por outros países da Europa e a chegar também ao continente americano, trazida pelos colonizadores portugueses e espanhóis.
As obras barrocas romperam o equilíbrio entre o sentimento e a razão ou entre a arte e a ciência, que os artistas renascentistas procuram realizar de forma muito consciente; na arte barroca predominam as emoções e não o racionalismo da arte renascentista.



É uma época de conflitos espirituais e religiosos. O estilo barroco traduz a tentativa angustiante de conciliar forças antagónicas: bem e mal; Deus e Diabo; céu e terra; pureza e pecado; alegria e tristeza; paganismo e cristianismo; espírito e matéria.



Suas características gerais são:
* emocional sobre o racional; seu propósito é impressionar os sentidos do observador, baseando-se no princípio segundo o qual a fé deveria ser atingida através dos sentidos e da emoção e não apenas pelo raciocínio.
* busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas, contracurvas, colunas retorcidas;
* entrelaçamento entre a arquitectura e escultura;
* violentos contrastes de luz e sombra;
* pintura com efeitos ilusionistas, dando-nos às vezes a impressão de ver o céu, tal a aparência de profundidade conseguída.



PINTURA

Características da pintura barroca:
* Composição assimétrica, em diagonal - que se revela num estilo grandioso, monumental, retorcido, substituindo a unidade geométrica e o equilíbrio da arte renascentista.
* Acentuado contraste de claro-escuro (expressão dos sentimentos) - era um recurso que visava intensificar a sensação de profundidade.
* Realista, abrangendo todas as camadas sociais.
* Escolha de cenas no seu momento de maior intensidade dramática.



De entre os pintores barrocos italianos:
Caravaggio - o que melhor caracteriza a sua pintura é o modo revolucionário como ele usa a luz. Ela não aparece como reflexo da luz solar, mas é criada intencionalmente pelo artista, para dirigir a atenção do observador.
Obra destacada: Vocação de São Mateus.



Andrea Pozzo - realizou grandes composições de perspectiva nas pinturas dos tectos das igrejas barrocas, causando a ilusão de que as paredes e colunas da igreja continuam no tecto, e de que este se abre para o céu, de onde santos e anjos convidam os homens para a santidade.
Obra destacada: A Glória de Santo Inácio.



A Itália foi o centro irradiador do estilo barroco. De entre os pintores mais representativos, de outros países da Europa, temos:
Velázquez - além de retratar as pessoas da corte espanhola do século XVII procurou registrar em seus quadros também os tipos populares do seu país, documentando o dia-a-dia do povo espanhol num dado momento da história.
Obra destacada: O Conde Duque de Olivares.



Rubens (espanhol) - além de um colorista vibrante, se notabilizou por criar cenas que sugerem, a partir das linhas contorcidas dos corpos e das pregas das roupas, um intenso movimento. Em seus quadros, é geralmente, no vestuário que se localizam as cores quentes - o vermelho, o verde e o amarelo - que contrabalançam a luminosidade da pele clara das figuras humanas.
Obra destacada: O Jardim do Amor.



Rembrandt (holandês) - o que dirige nossa atenção nos quadros deste pintor não é propriamente o contraste entre luz e sombra, mas a gradação da claridade, os meios-tons, as penumbras que envolvem áreas de luminosidade mais intensa.
Obra destacada: Aula de Anatomia.


ESCULTURA


Suas características são: o predominío das linhas curvas, dos drapeados das vestes e do uso do dourado; e os gestos e os rostos das personagens revelam emoções violentas e atingem uma dramaticidade desconhecida no Renascimento.



Bernini - arquitecto, urbanista, decorador e escultor, algumas de suas obras serviram de elementos decorativos das igrejas, como, por exemplo, o baldaquino e a cadeira de São Pedro, ambos na Basílica de São Pedro, no Vaticano.
Obra destacada: A Praça de São Pedro, Vaticano e o Êxtase de Santa Teresa.

Para seu conhecimento
Barroco: termo de origem espanhola ‘Barrueco’, aplicado para designar pérolas de forma irregular.

Fotos e texto tirados na Net
José Gonçalves















segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

DESCOBERTA FATAL!

*

Casal descobre ser amante um do outro na web e divorcia-se!


Um casal bósnio, casado, iniciou o processo de divorcio, depois de descobrir que um traía o outro em chats na Internet. Detalhe: eles começaram o relacionamento virtual usando pseudónimos, e só descobriram a verdade quando combinaram um encontro real com os “novos parceiros”.


- (Afinal a Internet nem sempre trás coisas boas, especialmente quando os dois membros do casal a frequentam às escondidas um do outro...)




Sana Klaric de 27 anos, e seu marido Adnan de 32, usavam os nomes de “Sweetie” e “Prince of Joy” em salas de “bate-papo”. Conheceram-se e iniciaram uma relação que os levou à confidência mútua dos problemas que tinham nos seus casamentos.


- (Não é sempre assim? São muito infelizes...)



Os dois, de acordo com reportagem publicada no site Metro.co.uk, estavam convencidos de terem finalmente encontrado sua alma gemea.


- (Pudera, eram só confidências e carências...)



Então, resolveram marcar um encontro real para se conhecerem e descobriram a verdade. Agora, o par está em processo de divórcio, e um acusa o outro de ter sido infiel.


- (Grandes malandros, a traírem-se desta maneira...)




“De repente, eu estava apaixonada, era maravilhoso, parecia que ambos estávamos amarrados no mesmo tipo de casamento infeliz”, contou Sana.

"Depois senti-me tão traída", disse


- (Sim traída, porque ela não traiu... era só amizade...)




Adnan, continua sem poder acreditar no que aconteceu. “É difícil pensar que Sweetie, que escreveu coisas tão maravilhosas para mim, é na verdade a mesma mulher com quem me casei e que, por anos, não foi capaz de dizer uma única palavra agradável”.


- (Burra, insensível, então não podia ter dito todas aquelas palavras em casa? Faltava-lhe alguma coisa? Até tinha máquina de lavar loiça, o que quereria mais? Ingrata! Traidora!)

Desculpem mas achei graça a esta e tive de a partilhar convosco!
José Gonçalves