sábado, 8 de dezembro de 2007

NATAL 2007 DAS CRIANÇAS DE SÃO MARTINHO DO PORTO

As crianças de São Martinho do Porto vão ter uma Festa de Natal este ano de 2007.
Estão previstas cerca de três centenas de crianças entre um e onze anos de idade, que irão passar um dia que se espera cheio de amor, paz e alegria. O espírito natalício estará entre todos nesta quadra que se avizinha.


FESTA DE NATAL

FREGUESIA

DE

SÃO MARTINHO DO PORTO

16 de Dezembro 2007

15:30

Pavilhão Gimnodesportivo

- “As Mágicas” A magia do Natal com três palhaças numa peça hilariante e
misturas explosivas

- 2 Palhaços cómicos e um “cara-branca” com música tocada e cantada ao vivo.

- Atelier de pinturas faciais com duas Bonecas.

- Atelier de danças (Hip Hop) com animadora

- Duende na Modelagem de Balões, muitos balões

- Pai Natal que distribuirá prendas às crianças.

- Dupla de palhaços em animação constante.

- Atelier de pintura mural

- DAVID MARTIN
Espectáculo Infantil dedicado à temática do Natal com prendas e
muitas surpresas.

- Insuflável para todas as crianças.

- Este espectáculo Infantil de Natal irá ter um suporte fotográfico

Aconselha-se o uso de sapatilhas



ORGANIZAÇÃO: ASSEMBLEIA FREGUESIA / JUNTA DE FREGUESIA DE SÃO MARTINHO DO PORTO

JANTAR DE NATAL 2007



ONDA DE MUDANÇA

Decorreu ontem, sexta-feira 7 de Dezembro de 2007. o tradicional Jantar de Natal dos Membros Eleitos do Partido Socialista à Assembleia de Freguesia de São Martinho do Porto, que há dois anos concorreu às eleições autárquicas sob o lema ONDA DE MUDANÇA.

O evento teve lugar no Restaurante Cantinho da Serra em plena Serra dos Mangues e teve a presença de duas dezenas e meia de participantes.

Em representação da Distrital do PS de Leiria, esteve a Drª Alzira Henriques que usou da palavra após o repasto, enaltecendo a acção exemplar dos membros eleitos pelo Partido Socialista, passados que estão dois anos da sua eleição, e pondo em evidência a notável e meritória liderança do Dr. Ernesto Feliciano que muito tem contribuído para a moralização da vida pública da Freguesia.

Reafirmando o apoio que aquela Distrital pretende continuar a dar a este grupo de autarcas, falou também em seu nome pessoal deixando nos presentes o testemunho da satisfação que sentia por se encontrar entre amigos e verdadeiros defensores da verdade, do rigor e da transparência.

O Dr. Ernesto Feliciano, foi quem iniciou as intervenções, tendo feito a todos os presentes um breve resumo da actividade dos membro eleitos do Partido Socialista, evidenciando a acção fundamental que ele e seus pares têm desenvolvido na Freguesia, reencaminhado-a para que as ilegalidades e irregularidades deixem de ser a prática que tem sido seguida pelos actuais e anteriores elencos autárquicos.

É do conhecimento público que esta Freguesia aguarda pelos resultados de uma auditoria feita há mais de dois anos, tendo o actual executivo e o anterior, sido notificados para liquidarem as multas referentes aos processos, (que se pensa tenham sido já efectuados os seus pagamentos), a verdade é que os resultados dessa auditoria ainda não foram tornados públicos.

Ficou patente perante todos os presentes, a intenção clara e decidida destes membros eleitos, de continuarem a sua luta pela transparência, pelo rigor e pela exigência que têm demonstrado na punição daqueles que em nome do povo, dele se têm servido impunemente, não permitindo em condição alguma que fique na população a ideia de que o crime compensa.

Foram feitas algumas outras intervenções de alguns dos presentes, que no uso da palavra demonstraram aos eleitos que continuam apoiados, e deles se espera a renovação e recolocação de São Martinho do Porto no lugar que lhe pertence por direito no âmbito Concelhio.

Foi num clima de paz, e espírito natalício que este jantar terminou, não sem antes ter sido enaltecida pela Drª Alzira Henriques a coragem poucas vezes demonstradas por muitos autarcas na prestação de contas da sua actividade aos seus eleitores, prática que só dignifica estes elementos que compõem os membros eleitos do Partido Socialista à Assembleia de Freguesia de São Martinho do Porto.

José Gonçalves

POR CÁ DE NOVO


Tem momentos na vida de todos nós, que não nos apetece fazer nada, nem ver, nem falar com ninguém.

Este foi um desses momentos que atravessei e por isso decidi manter-me em silêncio durante uns dias, que sendo poucos, me pareceram uma eternidade.

A tristeza abate-se sobre nós, aparece o desânimo e o melhor será mesmo fechar a “matraca” sob pena de, não o querendo, dizer algo que permita uma leitura menos correta do que se pretende.

São momentos difíceis e perturbadores da estabilidade emocional de cada um de nós.

Umas vezes, e após o silêncio, conseguimos que tudo volte ao normal. Outras, acabamos por verificar que mesmo não estando tudo nos “carris”, mais vale fazer uma tentativa de normalização da vida até que as coisas vão encaixando.

Optei claramente por este último cenário, pois quem sabe tudo se resolverá e chegarei à conclusão que não teria havido necessidade de tanta preocupação, ao ponto de me remeter a um silêncio quase profundo.

Ainda não estou bem, mas já não aguento mais. Tinha de vir até aqui e deixar o meu rasto, sob pena de ele se apagar definitivamente.

Por tudo isto, tento procurar as palavras certas para agradecer a todos que durante este tempo, me visitaram, souberam respeitar o meu silêncio, e quiseram deixar o seu testemunho diário de que por aqui passaram.

Foram bastantes as vozes que se fizeram sentir deste lado, preocupadas com aquilo que pudesse estar a acontecer. Uns deixaram o seu comentário, outros vieram em silêncio e em silêncio partiram mas dando-me a oportunidade de perceber que cá tinham estado.

Foi aqui neste novo mundo da blogosfera que acabei por vir encontrar amigos que souberam estender-me a sua mão ou souberam fazer ouvir a sua voz amiga, mesmo que não tivessem obtido o som de retorno que mereciam.

A todos vós meus AMIGOS, eu quero deixar um grande abraço de agradecimento pelo carinho, pelo apoio, pela força que me transmitiram. Vós sois a maior riqueza que alguma vez poderia pensar em ter. Obrigado por isso, a todos sem excepção. Aos que deixaram vestígios das suas passagens, aos que vieram diariamente e deixaram as suas sábias palavras, e até àqueles que anónimamente por aqui passaram e disso não deixaram sinal (e foram muitos)

Deus vos abençoe a todos.

Por hoje apenas regresso com estas poucas palavras, mas amanhã irei visitar todos os amigos, responder aos comentários que me foram deixados e voltarei a fazer algumas "postagens" que trago já em mente, e são algumas.

Um abração cá do rapaz e .... até amanhã!

José Gonçalves


terça-feira, 4 de dezembro de 2007

REFLEXÃO


Sem palavras e em silêncio!

QUEM SOU? O QUE SOU?


Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os
sonhos do mundo.

(Fernando Pessoa)

SANTA IGNORÂNCIA



Se a ignorância pagasse imposto, esta menina andava carimbada dos pés à cabeça!
Santo Deus!

Ela pensava que Europa era um país....
E de Hungria nem tinha ouvido falar...
É Kellie Pickler, cantora e famosa o que nem sempre quer dizer, culta!

Façam favor de ter uma noite serena!
José Gonçalves

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

MAIS UM PRÉMIO QUE ME APETECE MUITO DAR

*



Que me perdoem todos aqueles que me vistam, mas este prémio vou dedicá-lo aos seguintes amigos:

http://amigonasempreblogger.blogspot.com/ *
http://aramis-cavalgada.blogspot.com/ *
http://astronomia-algarve.blogspot.com/
http://belisa-asminhasfotos.blogspot.com/ *
http://brancamar.blogspot.com/ *
http://cantaresdeamigo.blogspot.com/ *
http://corregodeareia.blogspot.com/ *
http://fernananda55.blogspot.com/ *
http://geo-rosa.blogspot.com/ *
http://somomentos.blogspot.com/ *
http://ocheirodailha.blogspot.com/ *
http://particulasdotempo.blogspot.com/
http://wwwquerubimperegrino.blogspot.com/
http://6feira.blogspot.com/ *
http://sitiodospais.blogspot.com/
http://sophiamar.blogspot.com/ *
http://recantodaalma.blogspot.com/
http://saobanza.blogspot.com/
http://s-martinho-do-porto.blogspot.com/ *
http://joaninhavoavoa-joaninha.blogspot.com/ *


Ainda são bastantes. A única condição para a atribuição deste prémio é que dele só terão conhecimento através de uma vista a este meu espaço que é a vossa casa.
A todos vós o ofereço com alma, energia e amizade.
José Gonçalves

DESAFIO DA MARIA do CHEIRO DA ILHA

Dou hoje cumprimento ao desafio que a Maria do Cheiro da Ilha me lançou há já uns tempinhos.
Não estava a ler livro nenhum e por isso fechei os olhos e escolhi um ao calhas. Foi este.
Um Crime quase perfeito de John le Carré.
A frase escolhida ao acaso também, é esta:


- O carteiro foi muito mordido pelo cão? - perguntou Smiley.
D'Arcy voltou-se de novo para ele.
- Esse é o mais extraordinário, o verdadeiro enigma desta história, meu caro senhor. O carteiro, afinal, não foi mordido. Dorothy fez averiguações. Tudo aquilo era um rosário de mentiras, do principio ao fim.

Um crime, um enigma, um tema cada vez mais falado, infelizmente.

Não vou lançar este desafio a nenhum dos meus amigos. Prefiro que cada um que por aqui passa o aceite se assim o entender. Sirvam-se à vontade amigos!
José Gonçalves

MAS NEM TUDO É MAU NA VIDA!


De pequenino....
Tenham uma boa semana!
José Gonçalves

SEM COMENTÁRIOS


Por mero acaso encontrei esta foto na Net e não resisti a partilhá-la convosco.
Porque uma imagem vale mais que mil palavras.
Porque só mesmo quem sente na pele a pobreza tem a solidariedade e a ternura de proceder assim.
Porque o homem mesmo com lições de vida e generosidade como esta não aprende.
Porque.... estou sem palavras..... aqui a deixo para meditação...
José Gonçalves

domingo, 2 de dezembro de 2007

AS NOVAS REGRAS PARA MEDITAR

Nas esplanadas, a partir de Janeiro, é proibido beber café em chávenas de louça, ou vinho, águas, refrigerantes e cerveja em copos de vidro. Tem de ser em copos de plástico.
Vender, nas praias ou nas romarias, bolas de Berlim ou pastéis de nata que não sejam industriais e embalados? Proibido.
Nas feiras e nos mercados, tanto em Lisboa e Porto, como em Vinhais ou Estremoz, os exércitos dos zeladores da nossa saúde e da nossa virtude fazem razias semanais e levam tudo quanto é artesanal: azeitonas, queijos, compotas, pão e enchidos.
Na província, um restaurante artesanal é gerido por uma família que tem, ao lado, a sua horta, donde retira produtos como alfaces, feijão verde, coentros, galinhas e ovos? Acabou. É proibido.
Embrulhar castanhas assadas em papel de jornal? Proibido.
Trazer da terra, na estação, cerejas e morangos? Proibido.
Usar, na mesa do restaurante, um galheteiro para o azeite e o vinagre é proibido. Tem de ser garrafas especialmente preparadas.
Vender, no seu restaurante, produtos da sua quinta, azeite e azeitonas, alfaces e tomate, ovos e queijos, acabou. Está proibido.
Comprar um bolo-rei com fava e brinde porque os miúdos acham graça? Acabou. É proibido.
Ir a casa buscar duas folhas de alface, um prato de sopa e umas fatias de fiambre para servir uma refeição ligeira a um cliente apressado? Proibido.
Vender bolos, empadas, rissóis, merendas e croquetes caseiros é proibido. Só industriais.
É proibido ter pão congelado para uma emergência: só em arcas especiais e com fornos de descongelação especiais, aliás caríssimos.
Servir areias, biscoitos, queijinhos de amêndoa e brigadeiros feitos pela vizinha, uma excelente cozinheira que faz isto há trinta anos? Proibido.

AS REGRAS, cujo não cumprimento leva a multas pesadas e ao encerramento do estabelecimento, são tantas que centenas de páginas não chegam para as descrever.
Nas prateleiras, diante das garrafas de Coca-Cola e de vinho tinto tem de haver etiquetas a dizer Coca-Cola e vinho tinto.
Na cozinha, tem de haver uma faca de cor diferente para cada género.
Não pode haver cruzamento de circuitos e de géneros: não se pode cortar cebola na mesma mesa em que se fazem tostas mistas.
No frigorífico, tem de haver sempre uma caixa com uma etiqueta "produto não válido", mesmo que esteja vazia.
Cada vez que se corta uma fatia de fiambre ou de queijo para uma sanduíche, tem de se colar uma etiqueta e inscrever a data e a hora dessa operação.
Não se pode guardar pão para, ao fim de vários dias, fazer torradas ou açorda.
Aproveitar outras sobras para confeccionar rissóis ou croquetes? Proibido.
Flores naturais nas mesas ou no balcão? Proibido. Têm de ser de plástico, papel ou tecido.
Torneiras de abrir e fechar à mão, como sempre se fizeram? Proibido. As torneiras nas cozinhas devem ser de abrir ao pé, ao cotovelo ou com célula fotoeléctrica.
As temperaturas do ambiente, no café, têm de ser medidas duas vezes por dia e devidamente registadas.
As temperaturas dos frigoríficos e das arcas têm de ser medidas três vezes por dia, registadas em folhas especiais e assinadas pelo funcionário certificado.
Usar colheres de pau para cozinhar, tratar da sopa ou dos fritos? Proibido. Tem de ser de plástico ou de aço.
Cortar tomate, couve, batata e outros legumes? Sim, pode ser. Desde que seja com facas de cores diferentes, em locais apropriados das mesas e das bancas, tendo o cuidado de fazer sempre uma etiqueta com a data e a hora do corte.
O dono do restaurante vai de vez em quando abastecer-se aos mercados e leva o seu próprio carro para transportar uns queijos, uns pacotes de leite e uns ovos? Proibido. Tem de ser em carros refrigerados,
como é evidente, para nosso bem. Para proteger a nossa saúde. Para modernizar a economia. Para apostar no futuro. Para estarmos na linha da frente. E não tenhamos dúvidas: um dia destes, as brigadas vêm, com estas regras, fiscalizar e ordenar as nossas casas. Para nosso bem, pois.

Ass: Valdemar Rodrigues, Prof. Universitário (por enquanto... os saneamentos "democráticos" não hão-de tardar aí).

Do : http://alcobacagentesefrentes.blogspot.com/
José Gonçalves