domingo, 4 de maio de 2008

A LENDA DA PRINCESA FÁTIMA

*

Fátima, jovem e bela princesa moura, era filha única do emir, que a guardava dos olhos dos homens numa torre ricamente mobilada, tendo por companhia apenas as aias e, entre elas, a sua preferida e confidente Cadija.




Apesar de estar prometida a seu primo Abu, o destino quis que Fátima se apaixonasse pelo cristão que seu pai mais odiava, Gonçalo Hermingues, o "Traga-Mouros", o cavaleiro poeta que nas suas cavalgadas pelos campos via a bela princesa à janela da torre.




Rapidamente o coração do cavaleiro cristão se encheu daquela imagem e sabendo que a princesa iria participar no cortejo da Festa das Luzes, na noite que mais tarde seria a de S. João, preparou uma cilada de amor.




No impressionante cortejo de mouras e mouros, montando corcéis lindamente ajaezados, Fátima era vigiada de perto por Abu. De repente, os cristãos liderados pelo "Traga-Mouros" saíram ao caminho e Fátima viu-se raptada por Gonçalo.



Mas Abu depressa se organizou e partiu com os seus homens em perseguição dos cristãos e a luta que se seguiu revelou-se fatal para o rico e poderoso Abu. Como recompensa pelos prisioneiros mouros, Gonçalo Hermingues pediu a D. Afonso Henriques licença para se casar com a princesa Fátima, a que o rei acedeu com a condição que esta se convertesse.





A região que primeiro acolheu os jovens viria a chamar-se Fátima, mas a princesa, já com o nome cristão de Oureana, deu também o seu nome ao lugar onde se instalaram definitivamente, a Vila de Ourém.




Texto e Fotos da Net

António Inglês

2 comentários:

Sophiamar disse...

Mano Tó, Querido Amigo!

Mais uma bonita lenda num dia que muito me comove. Hoje, dia da mãe, a saudade aperta e o passado vem à memória. As lágrimas caem sem que o queira.
Quanto à Lenda, não a conhecia mas gostei de conhecer a origem dos nomes de Fátima e Ourém. Será mesmo essa?

Beijinhos para as mães da tua família.
Mil para ti.

António Inglês disse...

Nem quero falar ainda no assunto.
Mas vai ter de ser.
Até logo e um beijinho
António