segunda-feira, 31 de março de 2008

OS NOVE PECADOS QUE NOS PODEM CAUSAR VÍCIOS!

*

Dou hoje início a um ciclo de nove postagens cuja matéria nelas tratadas, achei por bem partilhá-las convosco. A este trabalho chamei:

“Os nove pecados que nos podem causar vícios”.

Certos comportamentos e substâncias podem transformar-se em vícios que chegam a pôr em causa a nossa vida.
São eles:
O Álcool, as Drogas, o Tabaco, a Cafeína, a Comida, o Jogo, as Compras, o Sexo e a Internet

Este é o retrato da situação em Portugal.



1 - ÁLCOOL


Estima-se que 5% da população portuguesa seja alcoólica, o que equivale a meio milhão de pessoas. Mas apenas uma pequena percentagem procura ajuda - a Organização Alcoólicos Anónimos tem, em Portugal, cerca de mil membros.




Os efeitos imediatos do álcool

Após o primeiro gole, o álcool se distribuí rapidamente,pelo sangue, a todo o organismo, principalmente cérebro e fígado. No início, se percebe uma sensação de euforia. Com ingestão de doses maiores há uma diminuição dos reflexos, raciocínio e a fala torna-se arrastada. Em doses ainda mais elevadas provoca náuseas, vómitos, coma ou mesmo a morte.



Os efeitos tardios do álcool


O alcoolismo é uma doença reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e como a ferrugem nos metais leva à uma degeneração do organismo, lenta e progressiva até a morte. O processo de doença se manifesta através da hipertensão arterial, mio cardiopatias, hepatite, cirrose, gastrite, impotência sexual, dores musculares, diarreia, pancreatite, deficiência nutricional decorrentes da falta de vitaminas e minerais como o acido fólico e a vitamina B12, câncer de boca e de esófago, alterações cerebrais e neurológicas.

O álcool contido nas bebidas utilizadas é o etanol, obtido através da fermentação de determinados produtos naturais, como por exemplo, a uva - vinho e champanhe, e cereais - cerveja. A destilação destas bebidas produz as bebidas destiladas: uísque, gim, pinga e vodka.

Os alcoólicos vivem 10 a 12 anos menos, comparados com os que não bebem bebidas alcoólicas.

O uso habitual e continuado de bebidas alcoólicas em doses acima de 80 g de etanol por dia para os homens e de 60g para as mulheres, está associado a doenças do sistema nervoso e digestivo.




O álcool ao ser ingerido libera no organismo substâncias que podem propiciar sensação de prazer, bem estar, desinibição e alegria. O fato de se beber socialmente, não significa que se tenha estabelecido um vínculo de dependência. É habitual o uso de bebida alcoólica em festas e ocasiões sociais.

.Existem evidências em animais e no homem de que o uso de quantidade moderada de bebida alcoólica protege contra a aterosclerose e o enfarto do miocárdio.

O abuso de substância psicoativa, como as bebidas alcoólicas é definido na presença de pelo menos um dos três seguintes critérios:

  • O uso continuo apesar da presença de problemas ocupacionais, psicológicos ou físicos.
  • O uso recorrente em situações nas quais há ameaça de dano físico como dirigir ou operar máquinas.
  • Problemas judiciais decorrentes do abuso.


A dependência da bebida alcoólica como substância psicoativa é definida pela presença de pelo menos três dos seguintes critérios:

  • Ingestão em quantidades maiores e por mais tempo do que o pretendido
  • Tentativas mal sucedidas de cortar ou controlar o seu uso
  • Grande quantidade de tempo gasto na obtenção e uso da bebida ou na recuperação de seus efeitos
  • Sintomas de intoxicação e abstinência que levam ao não cumprimento das tarefas no trabalho e em casa
  • Abandono das actividades ocupacionais e sociais
  • Continuidade do uso a despeito dos danos sociais, psicológicos ou físicos
Aumento progressivo das doses para obter o efeito desejado




O álcool não é somente o principal vilão do Carnaval, ele também é responsável por grande parte dos casos de violência familiar, assaltos, estupros, homicídios criminosos, acidentes de trabalho e acidentes de trânsito.

As razões do alcoolismo são de ordem genética, fisiológica, afectiva, social, familiar e educacional. Geralmente inicia-se nas pequenas doses com amigos, ou em família. Cerca de 1/3 das pessoas experimentaram álcool antes dos 11 anos de idade. No final da adolescência cerca de 90% das pessoas já o fizeram.



Medidas preventivas:

  • Respeite o seu limite de tolerância ao álcool.
  • Não misture tipos diferentes de bebida.
  • Não beba de estômago vazio.
  • Não misture álcool com outros tipos de drogas.

· Não dirija após a ingestão de bebida alcoólica, mesmo uma lata de cerveja pode diminuir-lhe os reflexos.

· Evite remédios anti-ressaca, pois além de não impedir os efeitos danosos do álcool, podem agredir ainda mais o seu estômago.

· Quando houver abuso do álcool procure descansar, ingerir líquidos em abundância e fazer dieta leve. Se isto não for suficiente, procure orientação médica.

· Reveja o seu grupo de amigos. Será que ele não esta favorecendo o abuso da bebida?

· Lembre-se que você é exemplo para os mais jovens. Filhos de pais alcoólicos tem chances dezenas de vezes maiores de se tornarem alcoólicos.

· Praticar desporto, viajar, ler, ouvir música, assistir a um bom filme, conversar com amigos, são algumas das outras formas que se tem para ter prazer e qualidade de vida.




Textos: Revista Visão e Internet
Fotos : Internet
António Inglês

20 comentários:

Lisa's mau feitio disse...

Ai Avô, li tudinho desde ali em baixo e comento tudo aqui para não andar a clicar nos posts todos pq estou no portátil com uma net do raio do Kanguru que na minha prórpia casa funciona a uma velocidade "negativa". Enfim, uma das minhas mais recentes aquisições e que me tem dado dores de cabeça pq aqui "diz que não há rede"... então comento tudo aqui para n ficar 5 minutos à espera q cada caixa de comentários abra. (Digo eu em Modo Enervado, claro)

Pois qdo o li no meu blog pensei "uauuuuuu!! Está curadinho do acidente das férias e já escrevinha"!! :)
Que bom que a recuperação decorre sem mais sobressaltos pq já teve que chegasse... No entanto, não abusar será boa ideia na mesma. Eu que me vejo a braços com uma luxação mal curadinha desde o Verão, fico sempre muito céptica com recuperações...

O Alcool: por excesso, claro. Um problema, uma realidade nossa, que me choca, que me aflige, que me deixa impotente. vivemos há uns anos um drama familiar neste âmbito. Um drama, na verdadeira acepção da palavra. Hoje, as coisas encarrilaram e o meu primo está bem. Mas foi um período maléfico para ele, para os seus filhos, para todos. E deixa sempre marcas.Um vício a riscar na lista de links do quotidiano de quem quer que seja.

A amizade, o seu valor, os obstáculos, as pedras da calçada... Pois que se juntem todas as pedras para que se construa com elas um castelo, já dizia Fernando Pessoa.
Sempre de cabeça erguida perante as vicissitudes. Aprendi a andar assim na estrada da minha vidinha. e olhe que não é lá muito fácil...Mas há vidas piores...

Sem amigos parece que nada somos, ou não fosse o Homem um ser racional dotado de uma especificidade: o viver em sociedade. Dos que nos rodeiam fazemos a triagem natural para formar um círculo de gente. São os nossos amigos.
A palavra "amigo" chega a assustar-me pela rapidez com que actualmente é utilizada. Mas acredito no conceito de Amizade e em todo o valor que a dita encerra em si. E os amigos começam na família. Estendem-se depois. O que nos enriquece.
Tratá-los como flores é basilar. É tão bom, depois, sentirmo-nos perfumados com o carinho e admiração dos amigos.

Eu tenho uma família adorável. E tenho amigos que me perfumam os bons momentos e que me agarram nos maus.

O Avô também tem, com toda a certeza. E prova disso é este filme com que nos presenteou e que, vai-me desculpar, já me fez largar boa barrigada de riso!!

É tão bom ser e viver feliz, não é?:)
Mesmo com as curvas da vida... Se uma boa gargalhada dermos, se um sorriso tivermos, é sempre tudo sobre rodas.

Cá voltarei para continuar a ler sobre os outros vícios que vai descrever. Até porque há mais um que infelizmente tocou a minha família e sobre o qual fiquei agora com curiosidade para ver como reagirei eu a lê-lo... Como eu costumo dizer: as coisas não se esquecem. Superam-se.

ai Avô, obrigada por este bocadinho de leituras e risadas com o filme (ahahhah)
É tarde, terminei agora um trabalho que tinha em atraso, bem em atraso. Já não vou às minhas incontornáveis "capelinhas" deixar um chá... E se me permitir, deixo aqui um beijoco enorme às tias mailindas. deixo aqui o tabuleiro do chazinho que lhes levo sempre, pq hoje realmente já não consigo mesmo.

mil beijinhos, recupere de vez!! :D

PS - andei a investigar como seria possível c o blog aberto ainda haver pessoas a n entrar... então lá foi mais uma das minhas habilidades informáticas: mexi no perfil para adicionar uma fotografia. Tanto cliquei tanto andei e tanto remexi nas entranhas do blog que impedi mas foi de se ver o perfil. Isso não deixava lá entrar as visitas sem ser por link no próprio blog. enfim, qdo ouvirem uma explosão na blogosfera e se cheirar a queimado pelos blogs, lembrem-se que terei sido eu a fazer explodir alguma opção fantástica sem ter dado conta... :\ e a qualquer momento algum pedaço da Lisa simpson poderá cair aqui e ali. Reunam-me e voltem a dar-me vida. Até ando com medo de activar os comentários como o Avô tem... Apesar da excelente explicação q a tia Brnca me deu, tenho para mim que qdo eu fizer a tal activação, vou é estar sem comentários dias e dias por nem saber bem para que lado do mail eles foram!! Deus meu.

Beijos familiares hoje a partir destes montes e vales... agora vou para o meu vale!! O dos lençóis! :)

Lisa

Menina do Rio disse...

O álcool é um problema sério no mundo. Estima-se que só no Brasil existem 20 milhões de alcoolátrasn( 10% da população). A produção de bebidas incentiva o consumo e por ai se vai. O maior problema referente à droga, principalmente ao alcoolismo é a pessoa admitir que é dependente. O que causa tal dependencia é achar que bebe socialmente, quando na verdade usa o alcool como um paliativo pra as frustrações corriqueiras. Existte aquela máxima que a bebida anestesia e a cada dia vai se aumentando a dose, até que não surta mais efeito. Existem programas de controle mas é preciso que a pessoa assuma que é dependente.

Um beijo pra ti e boa semana

Sophiamar disse...

Mano Tó!

Mais um excelente post. Desta vez trazes-nos uma dependência que, nos dias de hoje,começa a ser catastrófica. Os jovens iniciam-se no álcool cada vez mais cedo e, não raras vezes,encontramo-los embriagados, deitados nos bancos dos jardins, sentados no chão e mesmo a cambalear de copo na mão. No século passado, o consumo do álcool, em excesso, andava mais associado aos operários e trabalhadores rurais. Houve uma mudança significativa nesse aspecto e uma deslocalização social.
O alcoolismo existe um pouco por todas as classes e, como qualquer dependência, leva à perda de todos os valores do indivíduo que o consome, à perda total da dignidade.
Voltaste aos posts que, quanto a mim, fazem parte daquilo que chamo serviço público. Muito bom!
Podes ir entremeando com outros.
Gostei muito do filme da família. Uma curta-metragem a rigor.O Big River foi um excelente realizador.

Beijinhossss mil e tantosssss

Brancamar disse...

António,
Vim só para te dizer Bom Dia.
Ontem deitei-me cedinho e estou de saída para o trabalho. Logo venho para comentar este enorme post sobre este lamentável vício.
Beijinhos

António Inglês disse...

Lisa's


Credo, isso é que foi escrever...
Agradeço-lhe todas as palavras que me dedica.
Quanto ao seu blog, creio está tudo normalizado já.
A minha mão está já muito bem.
Um abraço e mil beijinhos
António

António Inglês disse...

menina do rio

O Álcool é acima de tudo um flagelo que importa combater.
Desejo-lhe uma boa semana,António

António Inglês disse...

Isabel

O álcool está hoje muito em voga na nossa juventude e até parece que fazem dele um acto de emancipação.
É lamentavel.
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Branca

Bom dia de trabalho.
Um abraço e um beijinho
António

Um Momento disse...

E são vicios como estes que muitos de nós se vêm "negrinhos " para largar...eu é mais o tabaco...ai ai
Deixo um beijo e votos de melhoras.

(*)

António Inglês disse...

Olá um momento

Eu felizmente já me vi livre do tabaco faz cinco anos atrás.
Quero dizer-lhe que não consigo entrar no seu blog pois a indicação que me aparece é a de que não fui convidado a entrar nele.
Por isso não estranhe não deixar-lhe nenhum comentário por lá.
Quanto à minha mão, acho que já estou operacional, talvez não a 100% mas aí a uns 80% e já vai dando para andar por aqui.
Um beijinho
António

São disse...

Parabéns sinceros pela série que agora inicias!
Bem hajas, meu querido António!

Joaninha disse...

É um vicio muito complicado, muito dificil de muito, mas muito destrutivo!
Ainda bem que a mão já esta quase boa ;)
Bj

António Inglês disse...

Olá São

Pois, os pecados são mesmo viciadores... e perigosos...
É preciso estar sempre alerta.
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Joaninha

Olá, é como estava a dizer à minha amiga São, ele há pecados que são mesmo muito difíceis de controlar.
E o pior é quando nos deixamos tentar uma vez... depois....
Uma óptima semana e um beijinho
António

Brancamar disse...

António,
Li agora que não consegues entrar no blog de Um Momento, vou-te explicar porquê, aconteceu-me o mesmo e descobri logo, mas também só resolvi este fim de semana. É assim, se clicares no link que tens aqui na mensagem vais lá de certeza, se clicares no que já tinhas na tua lista do blog dá-te a tal mensagem que aqui referiste. É que quando a nossa amiga renovou a casinha o link ficou ligeiramente diferente. Assim vais ter que ir por aqui, pelo lado dos comentários e copiar o link novo para a tua lista e apagar o outro.
Agora vou ver se consigo ler este post todo.
Até já.
Beijinhos

Brancamar disse...

António,
Cá estou de novo. Afinal o post parecia maior pelas imagens, mas li-o muito bem e rápidamente, só demorei porque olhei aqui para os links dos teus comentários e de repente vi amigos(as) a quem precisava de fazer visitas e antes que me perdesse andei atràs deles, mas olha perdi-me mesmo por aí e regressei agora para te dizer que este post é maravilhoso e muito informativo, mas infelizmente aqueles a quem é dirigido normalmente não reconhecem o que lêm e cabe pelo menos aos que estão por perto lerem estas informações e tentarem transmitir-lhes uma certa responsabilização.
Obrigada pelo teu trabalho, amanhã vou ler o outro sobre a droga, já é tardito e tenho que dormir.
As melhoras para a tua mão. Não estarás a escrever demais, olha lá que isso não retroceda!
Beijinhos
Mana Branca

António Inglês disse...

Mana Branca

Obrigado pela dica e já está resolvido o problema. A ignorância é um dos muitos privilégios que um velhote tem....
Brigados viu?
Deixo-te mil beijinhos
António

António Inglês disse...

Branca

Pois é, andas atrasada e agora já tens outro post, o terceiro sobre os pecados, mas não te apresses porque acho merecem ser lidos com atenção.
Mil beijinhos
António

elvira carvalho disse...

Hoje eu li este poste, mas hei-de voltar para ler os outros. O alcolismo é um problema grave e sério da sociedade.
O alcool é também uma droga. Tive este problema na família, e sofri de muito perto todo o horror que é viver com um alcoólico.
Um abraço

António Inglês disse...

Elvira

O álcool é um flagelo que afronta muitas famílias. E é perigoso pois entra devagarinho como se nada fosse e vai minando sem se dar por isso.
Felizmente não tenho nenhum membro da família com este vício.
Estou a mentir, tenho sim... um primo já mais velhote que eu, a quem a vida não sorriu por sua cabeça...mas....
Quase todas as famílias têm alguém com este problema.
Um abraço
António