quarta-feira, 24 de outubro de 2007

TOMADA DE LISBOA AOS MOUROS


TOMADA DE LISBOA AOS MOUROS

A 25 de Outubro de 1147, D. Afonso Henriques conquista a cidade de Lisboa aos Mouros, auxiliado por Ingleses, Normandos, Flamengos, Alemães e pelos Almocadéns mouros que ocupavam o burgo.
Esta conquista começou a ser preparada logo após a tomada de Santarém a 15 de Março do mesmo ano.
Foram muitas as investidas do exército português e seus aliados, mas só depois de um prisioneiro mouro ter denunciado que no interior das muralhas da cidade, já não existiam viveres, nem água, nem munições e que os mouros estavam extenuados, é que numa nova e redobrada investida das tropas de Afonso Henriques, agora encorajadas pelas informações recebidas, a cidade caiu nas mãos dos seus conquistadores.

Os Mouros, já exaustos, sem forças para acudir aos três pontos atacados, pedem armistício, capitulam.
Foi assim que há 860 anos, D. Afonso Henriques entrou triunfal na cidade, à frente de um luzido cortejo de barões, cavaleiros e homens de armas.
À Tomada de Lisboa, seguiu-se naturalmente a queda da rede de castelos que Lisboa dominava. Almada e Palmela foram abandonados pelos mouros. O de Sintra rendeu-se a um grupo de cavaleiros portugueses. Nos fins desse ano (1147) a fronteira ficava enfim na linha do Tejo.
Abstenho-me de narrar a história destes ataques e de suas peripécias, até porque estão ao dispor de toda a gente, e são sobejamente conhecidos.
No entanto, não posso deixar de realçar um episódio que marcou esta conquista para sempre e está ligado à memória da cidade através de uma praça com o nome do seu protagonista. Refiro-me claro está, a Martim Moniz, um exemplo de coragem e lealdade.

MARTIM MONIZ

A lenda conta que D. Afonso Henriques tinha posto cerco à cidade, ajudado pelos muitos cruzados que por aqui passaram a caminho da Terra Santa. O cerco durou ainda algum tempo, durante o qual se travavam pequenas investidas por parte dos cristãos. Numa dessas tentativas de assalto a uma das portas da cidade, Martim Moniz enfrentou os mouros que saíam para repelir os cristãos e conseguiu manter a porta aberta mesmo a custo da sua própria vida. O seu corpo ficou atravessado entre os dois batentes e permitiu que os cristãos liderados por D. Afonso Henriques entrassem na cidade. Ferido gravemente, Martim Moniz entrou com os seus companheiros e fez ainda algumas vítimas entre os seus inimigos, antes de cair morto. D. Afonso Henriques quis honrar a sua valentia e o sacrifício da sua vida ordenando que aquela entrada passasse a ter o nome de Martim Moniz. O povo diz que foi D. Afonso Henriques que mandou colocar o busto do herói num nicho de pedra, onde ainda hoje se encontra, junto à Praça de Martim Moniz. Alguns dos Cruzados estabeleceram-se na cidade, de entre os quais se destaca Gilbert de Hastings, eleito bispo de Lisboa. Após a rendição uma epidemia de peste assolou a região fazendo milhares de vitimas entre a população. Lisboa tornou-se, entretanto, capital de Portugal a 1255.

10 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Ai se os meus besouros descobrem aqui tudo isto já feitinho!!!!!

Mas ainda bem que este cantinho deixa aqui estes testemunhos!
Memória precisa manter-se viva!!!

Uma Boa Noite. amigo José Gonçalves!!!!

Jose Gonçalves disse...

Olá avelaneiraflorida

Se eu os pudesse ajudar iria sentir-me útil minha amiga.
Vou tentando deixar aqui algumas memórias...
Um abraço e boa noite.
José Gonçalves

Zézito do Nada disse...

lisboa já foi tomada aos mouros?

elvira carvalho disse...

Ora bem José, não pensei que postasse hoje depois de ter lido o dia que teve.
E então conquistamos Lisboa. Gostei do post. Porque está mais dentro do que lhe disse no outro dia.

Á margem do post:
Eu sei que Viana do Castelo é muito mais do que o meu post.
Mas 1º ainda vou fazer um segundo post, sobre o tema, e 2º eu sou fui uma vez, a Viana e estive lá entre as 10 horas da manhã e as 16.
Acha que dava para muito mais?
Também lhe queria dizer que tal como apareceram os seus albuns no meu correio, assim desapareceram...
Como dizia a outra, Mistéeeerios...
Um abraço e as melhoras

Jose Gonçalves disse...

Muito bem Elvira

Como vê sou um bom aluno, e já estou realmente mais dentro daquilo que me aconselhou. Espero melhorar mais ainda. Tal como já disse em outra altura, o que custa mais são os primeiros dez anos, depois é fácil...
Leu o que me aconteceu hoje, e não sei se reparou mas fiz um primeiro comentário que depois alterei. Nada de especial mas é que eu ainda tenho um pouco a mania de contar as coisas ao pormenor, e achei por bem começar a por em prática os seus conselhos.
Não ligue ao que eu disse sobre Viana, minha amiga. Como já devia saber, sempre que se fala naquelas terras a minha imaginação voa em direcção a elas e depois nem sei o que digo.
Como vê, esteve poucas horas lá e conseguiu sentir Viana.
Vou ficar à espera de ver a 2ª parte de Viana que vai postar. Mais um bocadinho de mim que via ficar pelos eu "COISAS MINHAS".
Quanto aos slides terem deixado de aparecer como o faziam, garanto-lhe que da mesma maneira que nada fiz que isso acontecesse, também agora acontece o mesmo.
Mistérios.... como diz...
Quem sabe se havia misteriosamente uma forte ligação entre os nossos blogs....
Um grande abraço e uma noite serena
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

zézito do nada

Antes do mais agradeço~lhe a visita.
Já dei um pulinho ao seu blog mas não fiz comentário nenhum. Voltarei com mais calma, se mo permitir.
Por acaso até sei o que é andebol, desporto que pratiquei no meu Benfica.
Quanto aos Mouros.... pois se calahr ainda falta vencer alguns... nunca se sabe...
Um abraço e uma boa noite
José Gonçalves

Fernanda e Poemas disse...

Olá Zé, História de Portugal, estou muito feliz, de ter o prazer de ler tão belo texto.
Muito Obrigada,
Beijinhos.
Fernandinha

Jose Gonçalves disse...

Olá Fernandinha

Apenas pus a postagem porque hoje dia 25 de Outubro são passados 860 anos da data da conquista de Lisboa, ou melhor, penso que já no dia anterior a cidade tinha sido tomada, mas D. Afonso Henriques só entrou nela a 25.
Um abraço e uma boa noite
José Gonçalves

Um Momento disse...

Bela Lembrança( confesso que não me lembrava do dia de hoje)
Gosto imenso de História, mas últimamente...ai ai
Beijo enorme e agradecido por este Momento
(*)

Jose Gonçalves disse...

Olá Um momento

Não fora eu agora andar a vasculhar estas coisas e talvez não me lembrasse também.
De qualquer das formas cá fica a memória da nossa história.
Um abraço
José Gonçalves