segunda-feira, 7 de abril de 2008

OS NOVE PECADOS QUE NOS PODEM CAUSAR VÍCIOS X! (CONCLUSÃO)

*

Importa fazer aqui um pequeno balanço da situação relativamente às postagens que acabei de fazer e que se relacionaram com o tema que encontrei numa das edições da Revista Visão.

Pareceu-me aliciante e interessante do ponto de vista cientifico e educativo, por isso, tomei a liberdade de pesquisar, como sempre tenho feito aliás, pela Internet, matéria que se relacionasse com a proposta.

Os textos eram variados e o difícil foi escolher aqueles que me pareceram mais adequados, mas sempre tendo em conta que a selecção da escolha tinha a minha única e exclusiva responsabilidade.

Como habitualmente, procurei no sítio do costume as fotos que acompanhassem os textos, tentando encontrar um equilíbrio entre o texto e as fotos.

Em nenhuma dessas fotos pretendi ofender ou melindrar fosse quem fosse, nem tão pouco entrar num campo menos ético ou menos correcto.

Um ou outro tema terá sido um pouco mais atrevido, nomeadamente no que às fotos diz respeito, mas neste caso apelo ao bom senso e à elevada cultura e inteligência dos que me visitam.

O facto de ter feito as postagens, não significará que estarei cem por cento de acordo com algumas das conclusões apresentadas, pois tenho por experiência que nestes casos de análise de matérias complicadas, muitas são as opiniões divergentes, baseadas mesmo em estudos que levam pontualmente a novas e diferentes conclusões.

Interessou-me sim, a generalidade dos assuntos tratados, que na sua essência visaram deixar avisos para uma vida melhor e mais cuidada. Por muitos artigos que se escrevam e avisos que se façam, nunca será demais lembrar que moderando o nosso comportamento em muitas situações e tentações, de que a vida é fértil em oferecer-nos, poderemos evitar os excessos e cair assim em situações de vício.

Como o título que escolhi para o conjunto das postagens indica, estes nove pecados, os quais não foram escolha minha, podem causar vícios se levados ao exagero. Por outras palavras, acho que de forma regrada podemos, com excepção das drogas e do tabaco, pecar um pouco sem que daí venha mal ao mundo ou à nossa saúde.

Deixo agora um comentário a cada um dos nove pecados postados.

- Álcool:

Usado em excesso, o álcool pode levar à ruína o ser humano. Creio que a falta de horizontes e de valores morais leva ao consumo exagerado, funcionando como uma espécie de refúgio. Porem, acredito que um copo de vinho à refeição, no meu caso ao almoço, não trará nenhum malefício à saúde. Alguns médicos têm essa opinião.

- Droga:

Este é um flagelo terrível que devia ser combatido de frente pelas autoridades. Muitas famílias estão destroçadas por terem entre seus membros, quem por causa da droga, comete os mais terríveis actos criminosos.

- Tabaco:

Ora, este é um vício que durante anos e anos consumi, e de forma bem pesada. Felizmente, há cinco anos atrás, coloquei um ponto final no tabaco. Seria bom que quem fuma se lembrasse que a saúde dos que com eles convivem é posta em causa também. Tudo está na cabeça de cada um de nós, e depende da força de vontade. Sem estas condicionantes não acredito que por mais comprimidos que se tomem, o vício possa ser vencido.

- Cafeína:

O cafésinho é muito difícil de evitar, e a esse eu não consigo fugir. Não entro em excessos, bebo três/quatro cafés diariamente e não acredito que essa quantidade seja considerada exagerada. No entanto, tudo o que vá além disso pode ser considerado vício. Alguns atletas consomem-na como estimulante, prejudicando, se não logo pelo menos mais tarde, a sua saúde.

- Comida:

Complicado o tema. Já fui obeso, pelo menos o médico assim me apelidou, mas hoje graças a uma dieta bem orientada, já assim não sou considerado. Nunca fui de grandes comidas, mas penso que a falta de cuidado nas escolhas me deixou com excesso de peso. Casos existem que, o comer se torna mesmo um vício e as pessoas não conseguem parar. Mais uma vez, penso que a cabeça comanda tudo, e é preciso uma grande força de vontade. Também será necessário a ajuda de quem nos acompanha diariamente, pois sem ela as coisas complicam-se.

- Jogo:

Raramente jogo, nem mesmo o Euromilhões, o Totoloto, o Totobola ou a Lotaria me conseguem convencer. Depois existem outros jogos bem mais perigosos, que uma vez iniciados, são difíceis de deixar. Conheço muitos casos em que até os bens pessoais são jogados, pondo em risco a vida da família. Acrescento até um caso que me foi contado em tempos, em que um jogador altamente viciado, jogou a própria mulher. Foi lá para o Norte do país, mas podia ter sido para o Sul ou para outro lado qualquer. É a degradação completa do homem, a ruína, a desgraça.

- Compras:

Pois aí está um vício que não tenho. Até se torna um autêntico suplicio quando tenho mesmo que acompanhar a minha mulher. Considero que as compras deveriam ser devidamente equacionadas por todos nós e só comprar-mos o que efectivamente nos faz falta. Infelizmente os grandes espaços criam na mente do seu frequentador uma euforia que o leva a passear-se por entre as muitas prateleiras existente, provocando a tentação da compra, apenas pela compra, de tantos artigos que não fazem falta, nem são essenciais. Para além de tudo isto, creio que existem muitas pessoas que compram só porque gostam de mostrar aos amigos e às amigas aquilo que, se tivessem um pouco mais de bom senso, não comprariam. Ou seja muitos tiram de onde faz falta para pôr onde faz vista. Vivemos presentemente num constante faz de conta e é por isso que muitas famílias estão super endividadas. Conheço alguns casos de pobreza envergonhada que muito provavelmente terão começado por este caminho, a falta de contenção nas suas compras.

- Sexo:

Mais um tema complicado. Pessoalmente nada tenho contra o sexo e consigo perceber a diferença entre sexo pelo sexo, e sexo dentro de uma relação amorosa. A minha opção é claramente a segunda, e essa raramente trará vício. Quanto à primeira, já não poderei dizer o mesmo, pois em muitas situações, o problema resume-se a um disfunção qualquer que leva o ser humano a uma dependência do sexo. Passa a ser uma obsessão e leva ao vício com todos os problemas daí resultantes. É pelo menos esta é a minha opinião.

- Internet:

Neste caso, a Internet é uma nova e recente paixão de quase todos nós. Tenho para mim que o futuro anda à volta da informática, e pela possibilidade que nos dá de poder-mos viajar e conhecer tudo e mais alguma coisa, cria em muitos uma dependência quase irresistível. Como se constata que o ser humano anda muito carente, por falta de amor, amizade e sinceridade nas relações pessoais, entre si, acredito que muitos se deixam vencer pela facilidade com que se podem arranjar amigos e contactos, nem sempre famosos. No meu caso pessoal, reconheço que, mesmo não sendo um viciado, roubo algum do tempo que deveria dedicar à família, para estar por aqui, mas acabo por saber compensá-la. É que poucos vícios tenho e pouco tempo dedico a outras coisas que não sejam mesmo a família, a casa, a actividade profissional e a minha Internet, por muito que isso mexa com a cabecinha de muita gente.

António Inglês

10 comentários:

Sophiamar disse...

Querido Amigo

Conclusões próprias de quem é uma pessoa equilibrada. É isto que tens revelado ser ao longo destes meses que te conheço.Um chefe de família, um amigo dotado de bom senso e bom gosto.
Beijinhos

Brancamar disse...

Olá Mano António,
Este texto é mesmo o teu retrato! Gostei imenso da fotografia, em pose de reflexão!
Quanto às postagens creio que só me faltam comentar duas mas ainda lá irei num outro dia, é que tu és muito rápido e eu hoje fiz promessa de me deitar cedinho.
Dorme bem.
Beijinhos

Maria disse...

Basicamente estou de acordo contigo, António.
Acho mesmo, como dizes, que é tudo uma questão de "decisão cabeçal". Se tivermos (ainda) discernimento para isso.
Deixei de fumar 4 vezes, tendo a última diso definitiva. Mas foi também a única vez em que decidi e ME disse "vais deixar de fumar". E deixei. De um dia para o outro. Porque nestas coisas não há tentativas. Há DECISÕES! É como um compromisso que assumimos connosco, e temos que o cumprir.
Fumava 3 maços de SG gigante diariamente, fui internada no IPO, levei para lá os cigarritos, (claro), e depois do que vi por lá (durante 15 dias) DECIDI que nunca mais fumava. Até hoje. Já lá vão 18 anos....

Obrigada por estes posts e pelas conclusões que tu mesmo tiraste.
Estar assim na net não é um vício, é uma forma de aprendizagem...

Beijinho, António

amigona avó e a neta princesa disse...

Meu querido deixa-me, mais uma vez, dar-te os parabéns por este teu trabalho, pela pachorra que tiveste em compilar tudo isto...vou reler mais que uma vez à medida que tiver tempo...quanto às TUAS conclusões acho que te mostras como és e isso também revela o ser fantástico que és!!! Quanto a viciozitos não faz mal tê-los desde que não nos façam mal nem a nós e, principalmente, aos outros...uns há piores que outros, mas concordo contigo: é só uma questão de cabeça!

Sinto-me feliz porque não sou pessoa de vícios e mesmo a net rouba o tempo que pode roubar a televisão...como me ocupo neste cantinho ou de noite ou de madrugada acabo por não interferir com a minha vida familiar...mas às vezes penso que a minha neta está aqui tempo demais...tenho que estar atenta...beijinhos amigo...

Geo disse...

Olá António! Estou atrasada nas leituras...mas li sobre os nove pecados e achei estes posts muito instrutivos, as vezes nem percebemos que temos problemas com determinada situação...o meu amor pelo café, por exemplo, de uns tempos pra cá não posso tomá-lo como de costume, sofro muito, é engraçado pois não sabia falta que me fazia e nem o mal que me causava...é bom ficarmos atentos, sempre negamos com o fato que não queremos lidar. Muito bom mesmo! Volto logo para ler os demais...

Beijos

Geo

António Inglês disse...

Isabel

Simpatia tua sempre que te referes a mim. Olha que sou um individuo normal que gosta dos seus, dos amigos e do seu semelhante.
Mas.... desde que não me pisem os calos claro...
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Mana

Como querias que me expressasse senão dando uma imagem de mim próprio. E sabes que é sincera a minha opinião.
Tento ser na vida o que deixo antever por aqui. Quem me conhece pessoalmente sabe que sou mesmo assim.
Mil beijinhos
António

António Inglês disse...

Maria

Cabeça e decisão são fundamentais para que saibamos controlar a nossa vida. Depois é preciso ter equilíbrio emocional e não só, porque é preciso que estejamos em perfeita funcionalidade quando temos de tomar decisões, especialmente aquelas que alterarão o rumo da nossa vida.
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Amigona

As nossas crianças têm realmente de ser atentamente observadas quando andam pela Net, que lhes oferece muitos perigos.
Nós, é apenas uma questão de consciência e inteligência.
Deixa que te diga, que com a azáfama que tens no dia a dia, encontrares tempo ainda para vícios ... é obra...
por isso acho que nem terás muitos...
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Geo

Estas postagens pareceram-me interessantes para partilhá-las pois servem de alerta para todos nós.
Claro, que em muitos casos é mais fácil falar do que fazer, mas vamos tentando cumprir...
Um grande abraço de amizade e mil beijinhos
António