terça-feira, 4 de março de 2008

AOS AMIGOS, E A TODOS QUE TIVERAM A PACHORRA DE VISITAR O JOSÉ GONÇALVES!

*

Não vou deixar-vos uma carta de despedida, porque a vida dá muitas voltas e um dia poderei estar de volta, embora as hipóteses se apresentem mínimas.

Tenho de vos deixar algumas palavras de gratidão, amizade, compreensão, carinho, ternura, apoio e .... de saudade que é já muita e ainda não parti.

Esta coisa de partidas e despedidas é sempre muito complicada, porque fica-nos sempre algo por dizer ou por fazer, que mais tarde nos arrependemos não ter dito ou feito.

Não gostaria que isso me viesse a acontecer, por isso vou tentar escolher muito bem as palavras, juntá-las todas em frases sentidas que não cheirem a circunstanciais, e lançar no imaginário das vossas mentes um perfume de saudade que gostaria de saber perdurará pelo tempo fora.

Tudo na vida tem um começo, e eu no dia 10 de Junho de 2007, abri um novo ciclo na minha vida que me fez voar, sonhar, acreditar e um sem número de sensações e emoções que tive a felicidade de partilhar com todos vós, e me fez chegar até aqui, até à hora da partida.

Não parto triste, pois cheguei aqui sozinho e levo comigo tantos e tão bons amigos que jamais poderia partir triste ou desanimado.

Cada um de vós representou para mim uma fonte de inspiração, de coragem e de fé que até ali não acreditava poder existir.

Poderão pensar que as palavras afinal me estão a sair da boca, de enxurrada, sem sentido e numa amálgama de “chavões” ou frases feitas que apenas visem permitir-me sair pela porta grande do Porentremontesevales de forma airosa e sem espinhas.

Não, não seria capaz, porque aquilo que fui consolidando durante estes meses convosco, uma amizade, sólida, solidária, sincera, leal e profunda não mo permitiria. Eu sou assim mesmo.

Foram tantos e tão belos os momentos que vivemos juntos, através dos nossos PC’s, que para mim era já uma alegria chegar a casa e correr para ele, procurando por entre as minhas postagens os vossos sinais. E foram tantos...

Claro que também tivemos momentos menos bons, de tristeza, de desânimo, que a vida nem sempre nos dá a mão. Para isso estiveram sempre vocês que me ajudaram em algumas alturas a transpor o obstáculo que aparentemente me parecia intransponível.

Levo porém comigo um balanço altamente positivo que me foi transmitido por um punhado de amigos e amigas que guardarei bem fundo no coração.

Prometi ser breve e não vou querer alongar-me mais, que as mãos começam a não estar firmes e os olhos embaciam ao som de cada batida do teclado.

Fiquem bem e que Deus vos proteja a todos, o que aliás sei irá acontecer porque numa última conversa que tivemos em particular ele me deixou essa promessa.

Eu seguirei o meu caminho, certo de que parto muito mais rico e mais forte do que me sentia no dia em que aqui cheguei.

Bem hajam meus amigos. Um abraço sincero cheio de força, tanta que nos custe a desapertar.

José Gonçalves



5 de MARÇO de 2008

28 comentários:

Sophiamar disse...

Tão triste, querido Zé Gonçalves!

Para ti:


Aqui ficarei horas a fio
à espera que um dia me chegue de novo o teu cheiro vindo desse mar
minha eterna paixão

Não quero que os meus suspiros
alaguem o portal da noite
que vem chegando
E te sintas coagido a ficar

Envolve-me nos teus braços
Grandes, fortes
Dá cá um abraço
Aperta-me com a força da amizade
Que juntos escrevemos

Agora que vais partir
Deixa semente nova
Que vá desabrochando
Aqui onde te aguardei
Tantos dias

O tempo fenece. Estás de partida
Mas a amizade não finda

As flores que nos ofereceste
jamais desvanecerão
Ficarão exalando o aroma
nas águas do meu mar
Onde os dias correrão lentos
sem vontade de amanhecer.

Mil beijinhosssssss

Isabel

Maria disse...

Deixaste-me sem palavras, mas com uma enorme certeza: o abraço que nos damos é tão apertado que não nos vamos desapertar, nunca. Nem nos montes e vales, nem nas ilhas, nem nos mares, nem por aí.....

Tudo de bom para ti, José. Gostaria de poder continuar a ver-te, de vez em quando, por aqui...
Fica bem.

Beijos........

elvira carvalho disse...

Meu amigo nem sei que lhe diga. Fico sem palavras para o desgosto que nos dá. O dia 5 de Março sempre foi para mim um dia abençoado, já que foi a 5 de Março de 1964 que começei a namorar o homem da minha vida e que me acompanha até hoje. Nunca me passou pela cabeça que este dia podia ficar na minha vida também como uma má recordação. Acredito que o José Gonçalves nos pode deixar de surpresa algo que mitigue a nossa saudade. E espero por isso. E não digo mais nada que já estou muito triste.
Um abraço

avelaneiraflorida disse...

Amigo JOSÈ GONÇALVES,
Acabo de ler as palavras que brotam de um coração fraterno!!!! Custa-me escrever, sinceramente!!!!
Tudo o que disser (escrever) não contempla o sentir que me fez visitar este cantinho com imensa alegria e de coração aberto!
Ainda tinha uma esperança que esta anunciada decisão pudesse ser reavaliada...mas parece que não será assim!
AMIGO (permita-me que o trate assim) Amigo que a Vida lhe dê TUDO DE BOM E AOS QUE MAIS AMA!!!!!
BRIGADOS, por ter permitido que eu aqui estivesse à conversa!!!! Brigados por todos os momentos que dedicou ao meu cantinho!!!!
Não quero que este seja um comentário de despedida!!!!!
Quero que seja um laço que permanecerá ligado entre todos os que tiveram o prazer, a honra, o gosto, de partilhar consigo "ESTES MONTES E VALES"!!!!!!
VOLTE SEMPRE AO CANTARES...ESTAREI À SUA ESPERA!!!!!!!!!!!!!

Brancamar disse...

José, meu querido amigo,
Hoje quero tratar-te assim com toda a ternura que mereces pelo grande amigo que foste e que sei continuarás a ser. Estou à espaera das 24h, pois sei que aquela flôr com uma lágrima que deixaste a encimar este post é uma lágrima de saudade que nos conduzirá a caminhos mais amplos que nos levarão pelas pegadas da segunda imagem até ao sol da tua presença sincera, genuína que nos espera no caminho da vida, no outro lado do horizonte. Os verdadeiros amigos nunca se perdem.
Um beijinho grande e até já...
Branca

Brancamar disse...

José,
Está-me cá a parecer que esta imagem maravilhosa de peugadas a caminho de um pôr do sol fantástico, não nos vai sair da frente dos olhos tão cedo, é uma bela imagem que nos deixas.
Beijinhos.
Tua mana sempre
Branca

Brancamar disse...

Então José?
Para onde emigraste que não vejo os meus comentários de ontem? Perdemos-te de vista? Já é dia 5 de Março e já emigraste logo nas primeiras horas? E eu aqui à espera de qualquer coisa mais!
Seja onde fôr que estejas, deixo-te um beijinho.
Branca

Belisa disse...

Amigo
José Gonçalves

Não tenho sido uma visita regular, mas pode crer que o considero um amigo verdadeiro e eu é que tenho de lhe agradecer a sua amabilidade para comigo.Vim aqui hoje porque qualquer coisa me dizia que tinha que o visitar, se calhar foram as "minhas estrelas".
Desejo-lhe toda a felicidade do mundo e tudo de bom.
Enquanto o seu blog aqui estiver e quando eu puder, virei sempre visitá-lo.
Muitos beijos estrelados

elvira carvalho disse...

Procura-se um amigo

Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.. Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar.

Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo. Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários. Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.

Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo. Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância. Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade. Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.

Socorri-me desse grande poeta que foi Vinicius, para deixar aqui a minha saudade, e para afirmar que a partir de hoje procuro um amigo. Que se foi, e ficará sempre presente. Mas também um amigo que virá certamente um dia destes. Irmão gémeo do outro.
Um abraço

Brancamar disse...

Oi António,querido amigo,
Ainda não me deitei e já vi aqui uma novidade, junto da tua nova fotografia. E mais não digo, pois acho que tu terás coisas para nos contar.
Beijinhos

Lisa's mau feitio disse...

Avô...

Beijos

Lisa

Lisa's mau feitio disse...

"Lisa's Mau Feitio

Minha querida neta. Tivemos uma relação familiar muito curta. Não deu para mais. É a vida.
Verá que vai ter oportunidade de arranjar mais avós, tal a facilidade com que me parece faz amizades.
A sua jovialidade é contagiante e levo comigo, poucos mas apaixonantes momentos em que trocámos algumas palavras.
Não desejo deixá-la de lágrimas nos olhos. Já lá vai o tempo em que isso me acontecia com frequência. Agora não é tempo para isso. É tempo de felicidade, de amor, de solidariedade, de paixão de esperança. É tudo o que lhe desejo.
Fique bem e viva em paz e com o coração impregnado de amor e ternura, por forma a que continue a espalhar por todos com quem estabelece amizade.
Gostei de a ter como neta, virtual, mas neta. Sê-lo-á sempre.
Beijinho grande
José Gonçalves"

Estas palavras são suas, Avô. não me pertencem... Vim devolvê-las. Estavam além para mim por engano, com toda a certeza... Nego-me a ter estas palavras dirigidas a mim.

Amanhã eu regresso do trabalho e foi tudo a brincar, não foi, Avô do meu coração?

Choro-me tanto aqui sozinha que nem imagina.

Deixe-me fazer-lhe uma pergunta: PORQUÊ??

Beijos na testa com carinho.

Da neta e do seu bisneto

Lisa

Enquanto da pergunta que lhe fiz não tiver uma resposta objectiva, não escreverei nem mais uma linha no meu blog. Não aguento outra destas.

António Inglês disse...

Lisa´s Mau Feitio.

Vou hoje responder-lhe apenas a si, pois percebi que ficou completamente baralhada.
Eu explico. Quando o José Gonçalves começou na blogosfera, fê-lo nessa personagem mas logo com condição de o fazer a prazo. A data limite para que a situação terminasse foi o dia 5 de Março de 2008.
Foi o que aconteceu hoje.
O José Gonçalves partiu ontem à tarde e em sua substituição fiquei eu, que fui ao fim e ao cabo, sempre o verdadeiro senhorio deste espaço.
As palavras que ele lhe dedicou, foram sinceras e sentidas pois foi nessa personagem que ele sempre lidou consigo.
Partiu assim o José Gonçalves, mas se assim o permitir e a tristeza não tiver sido muito forte, ficou um outro avô e pelos vistos bisavô, o que muito me alegra.
Espero que tenha percebido o que se passou, e foi uma solução sugerida por uma amiga deste blog, pois o fim do José Gonçalves poderia ter tido outros contornos.
Deixo-lhes muitos beijinhos e agradeço-lhe que reponha as palavras que lhe foram dedicadas (que foram sentidas e sinceras), no lugar que lhes pertence.
António Inglês

Carminda Pinho disse...

Amigo, estive a ler os comentários, e parece que finalmente percebi.
Até sempre José Gonçalves!
Bem vindo António Inglês!
Beijinhos

PS: O coração não aguenta tanta emoção...

António Inglês disse...

Sophiamar

Daqui desta linda terra
Mando o perfume que emana
Não é o mesmo da tua Serra
Mas é o certo para uma mana!

Obrigado Isabel, pelo maravilhoso e muito sentido poema que me dedicas que irá ficar aqui registado para todo o sempre, selando uma amizade que perdurará pelos tempos fora.
Foi o Zé ficou o António, que espera saber merecer todas estas palavras que ao irmão gémeo foram dedicadas.
E nas águas deste meu mar, volto a depositar um olhar que chegará ao teu sempre que da tua janela o fitares ao longe, como tantas vezes o fazes.
Se olhares com atenção verás um novo ponto lá ao fundo flutuando por entre as ondas... sou eu!
Um grande beijinho minha amiga e obrigado por tudo.
Não posso dar-me ao luxo de perder amigos assim.
António Inglês

António Inglês disse...

Maria

Ainda estou a esta hora embrulhado nesse abraço que o Zé iniciou e o António continuou.
Seremos mais nós, e pouco muda afinal.
Espero não ter sido um velho chato com toda este enredo.
Deixo-te um beijinho grande.
António Inglês

António Inglês disse...

Minha querida amiga Elvira

Sei o quanto as suas palavras são sentidas, mas acredite, esta mudança estava há muito programada e chegou a sua hora.
É certo que o Zé deixou entre nós um clima de amizade e respeito que espero saber poder continuar da mesma forma.
A esta hora creio que já compreendeu tudo e espero que me perdoe.
Um abraço
António Inglês

António Inglês disse...

Avelaneiraflorida

Minha amiga, claro que vai poder continuar a tratar-me assim, pois é isso que sou UM AMIGO e sincero garanto-lhe.
Decerto já percebeu tudo e apenas pus em marcha uma troca que se destinava a colocar nos eu lugar as coisas.
Este José Gonçalves estava condenado a partir um dia, e foi isso que aconteceu neste dia 5 de Março passado. Ficou o verdadeiro senhorio desta casa que espera ser perdoado pelos amigos e amigas,e que tentará ser muito semelhante ao Zé que partiu.
Um grande abraço
António Inglês

António Inglês disse...

Branca

A imagem que descreves traduz a realidade. Ficou a lágrima do Zé e de lá do horizonte para onde ele partiu, veio o gémeo dele o António.
Não arranjaria melhores palavras para legendar esta comédia da vida.
Pouco mudará, ou tudo mudará, quem sabe, mas uma permanece imutável: a amizade que tenho a todos vós!
Fiquei sem fôlego com tanta manifestação de carinho, misturadas em sentimentos de tristeza e da alguma saudade que espero se vá desvanecendo aos poucos e poucos.
Um beijinho
António Inglês

António Inglês disse...

Mana Branca

As imagens foram escolhidas a dedo como calculas e foram as que mais me disseram alguma coisa para o efeito, e também pela sua beleza.
Um beijinho
António Inglês

António Inglês disse...

Branca

És realmente uma amiga do coração. Não irei esquecer tão depressa tudo o que fizeste e disseste nestes momentos.
Tudo está no seu lugar... graças a Deus... graças a Deus...
Como diz a canção e muito bem, as coisas têm de se compore foi o que aconteceu.
Beijinhos
António Inglês

António Inglês disse...

Belisa

As suas estrelas avisaram-na de que algo se iria passar que fugiria ao normal.
Foi o que aconteceu. Partiu o Zé e ficou o António. O primeiro entregou a casa ao senhorio, não por ter sido despejado, mas porque a sua hora tinha chegado ao fim.
Espero que me perdoe e que continue a visitar-me sempre e quando lhe apetecer, e que me permita visitá-la já na minha verdadeira personagem.
Deixo-lhe um beijinho
António Inglês

António Inglês disse...

Elvira

Escolheu Vinicius de quem gosto muito para me transmitir uma das mais belas mensagens de amizade que me foram enviadas até hoje. O tal irmão gémeo do Zé já cá está e espera poder continuar a merecer de todos vós a amizade que dedicaram ao meu irmão.
Obrigado minha amiga. Ficará guardada para sempre esta sua mensagem e daqui não sairá.
Um grande abraço
António Inglês

António Inglês disse...

Branca

Começou pela foto a transformação do Zé para o António e coma colaboração da minha mulher que foi cúmplice nesta encenação toda.
Um grande beijinho e desculpa lá pela noitada que te obriguei a fazer...
Um beijinho
António Inglês

António Inglês disse...

Beijinhos Lisa's.
Tudo de bom para si.
António Inglês

António Inglês disse...

Carminda

Cá está o António Inglês que também traz saudades do José Gonçalves.

Um grande abraço
António Inglês

aramis disse...

Meu querido José Gonçalves,
Quero agradecer-te do fundo do coração tudo o que me ensinaste, todo o carinho e amizade que me deste.
Fico com muitas saudades, e vontade de te rever... quem sabe se um dia voltarás?
Mas a tua presença ficou bem marcada na nossa blogosfera, e sempre pela positiva!
Não gosto de despedidas, por isso, até já... talvez pelo meio do universo ou ao virar de uma estrela...
Um abraço do tamanho do Mundo!

Joaninha disse...

Ora seja bem vindo José Inglês, O José goncalves deixa saudades, mas se bem o conheço deixou o blog bem entregue ;)
Vamos ter saudades dele, era simpatico, cordial, brincalhão, honesto e recto e muito serio quando tinha de ser;)
Um abraço para ele e um bem vindo bem sonoro para si, com bolas de berlim de vila praia de ancora ;)
BJ