domingo, 23 de novembro de 2008

INUNDAÇÕES ACELERAM DEGELO NA ANTÁRCTIDA


Estudo. Cientistas norte-americanos descobriram que os lagos subterrâneos da Antárctida são uma das causas do degelo deste continente, contribuindo para o aumento do nível das águas do mar. A água diminui a fricção da base glaciar

As inundações que ocorrem nos lagos debaixo da calota glaciar que cobre o continente antárctico contribuem para acelerar o degelo e a elevação do nível do mar, segundo conclui um estudo publicado na revista Nature Geoscience.



Os cientistas responsáveis pelo projecto conseguiram demonstrar que o gelo do glaciar Byrd, situado na zona este da Antárctica, começou a derreter mais rapidamente depois de dois lagos debaixo do gelo terem ficado inundados. A rapidez do degelo do glaciar Byrd aumentou 10% entre Dezembro de 2005 e Fevereiro de 2007 em relação à média das décadas precedentes.



O início desta aceleração produziu-se logo que dois lagos, situados sob a calota glaciar a cerca de 200 quilómetros a montante do Byrd, se encheram com 1,7 quilómetros cúbicos de água. Isto provocou uma grande inundação subterrânea, segundo Leigh Stearns, do Instituto sobre Mudanças Climáticas da Universidade do Maine, que, junto com outros cientistas, utilizou os dados do altímetro laser do satélite ICESat da NASA.

"A água agiu como uma espécie de lubrificante, reduzindo a fricção na base glaciar e acelerando o degelo", escreve, num comentário ao estudo, Helen Fricker, do Instituto de Oceanografia Scripps, na Califórnia.



O trabalho dos cientistas norte- -americanos indica que a as correntes subterrâneas da Antárctica devem ser tomadas em conta na "dinâmica do gelo", principalmente na influência que esta tem no aumento do nível das águas do mar.

"Trabalhos anteriores mostraram que a água debaixo do gelo está a movimentar-se muito, mas o que ainda não se tinha compreendido era que esta água está a afectar o gelo", diz Leigh Stearns, e acrescenta: "Não só se está a mover, mas a adição de uma pequena quantidade de água e uma mudança na lubrificação da camada de gelo do glaciar pode produzir alterações a grande escala."



Os cientistas têm conhecimento destes lagos subterrâneos na Antárctica há cerca de meio século - existem mais de 150. Apesar de, em alguns locais, o glaciar ter vários quilómetros de gelo, o conteúdo dos lagos mantém-se líquido devido a pontos "quentes" na rocha que está por baixo. Sempre se pensou que estes lagos estariam estagnados, contendo águas que permaneceriam inalteradas há milhões de anos, mas a verdade é que em 2005 descobriu- -se que os níveis dos lagos mudavam rapidamente - eles enchem e esvaziam debaixo da camada de gelo.



Actualmente o nível do mar tem subido a uma média de três milímetros por ano. Os estudos do Painel Intergovernamental de Alterações Climáticas (IPPC, na sigla inglesa), prevêem um aumento do nível do mar de 18 a 59 centímetros desde agora até 2100, não tendo em conta o comportamento futuro das calotas polares da Antárctida e da Groenelândia.|

BRUNO ABREU DIÁRIO DE NOTÍCIAS

Fotos da net

Notícias pouco simpáticas e preocupantes para Portugal.

António Inglês


8 comentários:

Sophiamar disse...

Tó, Amigo

Voltaste à net com o vigor dos primeiros tempos. Que maravilha de posts!Embora sabendo que me estou a repetir isto é serviço público. Eu sei que está na net, basta procurar, mas , aqui, está prontinho a servir. Gostei muito!

Beijinhos

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido António, que belíssimo texto, embora preocupante para Portugal e o Mundo... Adorei a tua pesquisa e postagem... Parabéns Amigo... Bom início de semana... Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

elvira carvalho disse...

Excelente texto, belas imagens. Para refletir.
Vi há dias no Odisseia, um programa sobre o assunto.
Um abraço e uma boa semana

amigona avó e a neta princesa disse...

Meu querido António, vim matar saudades...é bom encontrar-te e puder ler tudo o que por aqui tens!Um abraço...

António Inglês disse...

Isabel

Pois, eu gostaria de poder escrever todos os dias um pouco sobre temas de que gosto mas vai-me faltando a paciência e sei que não tenho essa capacidade também.
Encontrei desde há muito o equilíbrio entre o querer e o poder e vou fazendo o que gosto. Desta forma vou ficando informado e aumento os meus conhecimentos.
Como dizes, está tudo na Net que é um mundo fabuloso, mas a maioria das noticias ou acontecimentos que acho com interesse estão dispersos em vários órgãos de comunicação. Compilando alguns segundo o meu critério, vou colocando por aqui pois dá-me satisfação de ver como a curiosidade das pessoas as leva a visitarem-me, na grande maioria em silêncio.
Agora, embora por algum tempo pois estou em mudança de emprego, tenho tempo disponível e vou estando por aqui entretido.
Desejo-te uma boa semana.
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Fernandinha

Há quanto tempo! Eu sei que me porto mal, que visito pouco os amigos, que nem merecia a vossa visita, mas sou assim mesmo e já não tenho emenda.
Sei no entanto que sabes como vos considero e que mesmo nestas condições estou sempre ao vosso dispor.
Desejo-te uma boa semana.
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Elvira

Antes de mais espero que esteja bem melhor. Este tema é bem preocupante na verdade e o homem é responsável por muitos dos acontecimentos que estão alterando a natureza e pondo em risco a humanidade.
Eu sei que a nós já pouco afectará mas aos nossos filhos e netos poderá vir já a afectar.
Desejo-lhe uma boa semana
Um abraço
António

António Inglês disse...

Amigona

Que bom ver-te por aqui. É sinal de que não estás zangada comigo. Os amigos, quando verdadeiros, não precisam de se ver todos os dias. Sabem que estão lá e é bom que nos visitemos, pelo menos para que os outros saibam que estamos bem. Eu vou pouco a vossas casas reconheço, mas os tempos são outros e confesso que durante um período mais ou menos prolongado, tive o aspecto profissional bem complicado de tempo o que me retirou de certa forma os hábitos que ganhei quando apareci por aqui.
Obrigado pela tua visita e até breve, desta vez em tua casa. Um abraço.
Desejo-te uma boa semana
António