terça-feira, 3 de junho de 2008

A LENDA DOS TRIPEIROS

*

No ano de 1415, construíam-se nas margens do Douro as naus e os barcos que haveriam de levar os portugueses, nesse ano, à conquista de Ceuta e, mais tarde, à epopeia dos Descobrimentos.




A razão deste empreendimento era secreta e nos estaleiros os boatos eram muitos e variados: uns diziam que as embarcações eram destinadas a transportar a Infanta D. Helena a Inglaterra, onde se casaria; outros diziam que era para levar El-Rei D. João I a Jerusalém para visitar o Santo Sepulcro.




Mas havia ainda quem afirmasse a pés juntos que a armada se destinava a conduzir os Infantes D. Pedro e D. Henrique a Nápoles para ali se casarem...



Foi então que o Infante D. Henrique apareceu inesperadamente no Porto para ver o andamento dos trabalhos e, embora satisfeito com o esforço despendido, achou que se poderia fazer ainda mais.




E o Infante confidenciou ao mestre Vaz, o fiel encarregado da construção, as verdadeiras e secretas razões que estavam na sua origem: a conquista de Ceuta.




Pediu ao mestre e aos seus homens mais empenho e sacrifícios, ao que mestre Vaz lhe assegurou que fariam para o infante o mesmo que tinham feito cerca de trinta anos atrás aquando da guerra com Castela: dariam toda a carne da cidade e comeriam apenas as tripas.




Este sacrifício tinha-lhes valido mesmo a alcunha de "tripeiros". Comovido, o infante D. Henrique disse-lhe então que esse nome de "tripeiros" era uma verdadeira honra para o povo do Porto.




A História de Portugal registou mais este sacrifício invulgar dos heróicos "tripeiros" que contribuiu para que a grande frota do Infante D. Henrique, com sete galés e vinte naus, partisse a caminho da conquista de Ceuta.




Texto e Fotos da Net

António Inglês

7 comentários:

Dalinha Catunda disse...

Por entre Montes e Vales/
vem António novamente,/
contando antigas lendas/
que soam feito presentes,/
bem-vindos de além mar/
berço de boa gente.
Dalinha Catunda

Maria disse...

Conhecia esta lenda, mas foi uma delícia relê-la aqui e ver estas maravilhosas fotografias da cidade do Porto...
Devo dizer-te que não gostava de tripas (dobrada na minha zona), mas hoje "lambo-me" com as tripas e, mais ainda, com a "tripa enfarinhada"....
... e depois digo que tenho que fazer dieta... eu engordo só de pensar...

Um beijinho, António

Sophiamar disse...

Mano Tó:

Mais uma lenda muito interessante, que se lê de um trago acompanhada de um belo conjunto de imagens que nos despertam o prazer de viajar até essa " mui nobre, leal e invicta " cidade. Que a História te interessa assim como o gosto pelo conhecimento não tenho dúvidas mas quanto ao teu bom gosto pela selecção das imagens tens dado provas evidentes de que és um exímio ilustrador.
Parabéns, amigão.
Desejo-te um bom dia!
Beijinhos

Joaninha disse...

Esta eu já conhecia, dá-se na escola, mas é sempre um prazer reler

Laura disse...

Olá António... Em pequena era a melhor na escola em História de Portugal, sabia as datas das batalhas, conhecia os reis todos e ainda hoje gosto de ler sobre história, mas estudar nunca mais... a stora não me deixou fazer o exame ou das duas uma, ou por eu ser surda, ou por não gostar da profissão do meu pai...Adoraria encontrá-la hoje para lhe mostrar que não me destruiu, antes fez com que adorasse ler e escrever, e só tenho a 4 classe... e já dois livritos d epoesia publicados e preparo-me para começar o 3 que falará da minha vida em si e do meu Meningioma para quem tiver um, saber o que nos espera...Nada de mal é verdade, mas quem ouve falar num tumor assusta-se logo, eu não...
Assim, belo trabalho de pesquisa e lindas fotos sobre História...
Um abraço da laura, pesquei-te no blog da angel light...

Fatima disse...

António como vai?
Não gosto de tripas, mas adoro o Porto.
Excelente post!

elvira carvalho disse...

Mais uma bela lenda e esta eu não conhecia.
Foi bom rever o Porto em fotos tão bonitas.
Um abraço