quarta-feira, 30 de abril de 2008

A LENDA DA COVA ENCANTADA OU DA CASA DA MOURA ZAIDA

*

Na serra de Sintra, perto do Castelo dos Mouros, existe uma rocha com um corte que a tradição diz marcar a entrada para uma cova que tem comunicação com o castelo.




É conhecida pela Cova da Moura ou a Cova Encantada e está ligada a uma lenda do tempo em que os Mouros dominavam Sintra e os cristãos nela faziam frequentes incursões. Num dos combates, foi feito prisioneiro um cavaleiro nobre por quem Zaida, a filha do alcaide, se apaixonou.




Dia após dia, Zaida visitava o nobre cavaleiro até que chegou a hora da sua libertação, através do pagamento de um resgate. O cavaleiro apaixonado pediu a Zaida para fugir com ele mas Zaida recusou, pedindo-lhe para nunca mais a esquecer.




O nobre cavaleiro voltou para a sua família mas uma grande tristeza ensombrava os seus dias. Tentou esquecer Zaida nos campos de batalha, mas após muitas noites de insónia decidiu atacar de novo o castelo de Sintra. Foi durante esse combate que os dois enamorados se abraçaram, mas a sorte ou o azar quis que o nobre cavaleiro tombasse ferido.




Zaida arrastou o seu amado, através de uma passagem secreta, até uma sala escondida nas grutas e, enquanto enchia uma bilha de água numa nascente próxima para levar ao seu amado, foi atingida por uma seta e caiu ferida.




O cavaleiro cristão juntou-se ao corpo da sua amada e os dois sangues misturaram-se, sendo ambos encontrados mais tarde já sem vida.




Desde então, em certas noites de luar, aparece junto à cova uma formosa donzela vestida de branco com uma bilha que enche de água para depois desaparecer na noite após um doloroso gemido...




Texto e Fotos da Net

António Inglês

6 comentários:

Isabel Magalhães disse...

É sempre bom viajar até ao Monte da Lua.

Pena a não legendagem das fotos para os que não conhecem a região.

Deixo um abraço do concelho de Oeiras.

IM

Sophiamar disse...

Querido Amigo, António!

Se por um lado, dizes tu, as ideias te vão faltando, por outro, quando chegam é assim como estamos a ver. Uma catadupa delas, cheias de interesse que não só nos levam a uma leitura imediata como a leituras sucessivas. Estas, vou imprimindo porque me dão muito jeito. Sabes que deste tipo de informação também se serve a História recorrendo a um trabalho de pesquisa que comprove parte da veracidade dos factos. Excelente, amigo.
Deixo-te mil beijinhos e o aviso de que tenho o meu blogue em reparação ou, muito provavelmente, farei outro. Dir-te-ei por email quando regressar. Pode até ser esta noite com a comemoração do dia do trabalhador.

Bem Hajas!

Maria disse...

Não conhecia a lenda.
Mas perdi-me mesmo foi nos verdes das fotografias....
Obrigada, António.

Beijinhos

Sophiamar disse...

Mano Tó!

Voltei com o Dia do Trabalhador. Estas comemorações não me permitem ficar sem postar. São empolgantes.

Deixo-te mil beijinhos.

elvira carvalho disse...

Acredite, esta não conhecia. E gostei.
Bom feriado.
Um abraço

Carminda Pinho disse...

Não conhecia a lenda.
As fotografias são muito bonitas.
Desejo-lhe um bom dia do Trabalhador, amigo.

Beijos