terça-feira, 29 de abril de 2008

A LENDA DA CAPARICA


*

Tudo começou há longos anos, quando uma menina contemplava o mar, numa tarde calma e branca de calor.




Ela não sabia que estava a ser observada por um velho, que se sentia intrigado com aquela criança, embrulhada numa capa. Foi falar com a menina e ela explicou-lhe que vivia só, que se chamava Miúda e que sempre tivera aquela capa.




O velho estava admirado. Como era possível que uma menina tão pequena andasse pelo mundo sem eira nem beira? Propôs-lhe viverem juntos, pois ele também estava só e tinha uma casinha no alto do monte, junto ao mar.




Assim foi. Ficaram juntos, ele envelhecendo e ela a crescer. Viviam com o que havia: o sol, o mar, os mariscos das rochas. Um dia, o velho achou que era tempo de se ir embora. Pediu à miúda a sua capa, porque tinha frio. Ela pôs-lha sobre o corpo, deu-lhe a mão e deixou-se dormir juntamente com ele. Quando acordou, ele já estava morto e a Miúda enterrou-o numa sepultura perto da igrejinha da Senhora do Monte. Deixou de chamar-se Miúda e escolheu para si o nome de Mulher.




Continuou a viver naquela casa, solitária. A sua vida era a mesma de sempre; as suas vestes, a velha capa. A Mulher viveu ali tantos anos, que lhe perdeu a conta.

Certo dia, reparou que a gente da zona começava a olhá-la estranhamente, como se tivessem medo dela. Não atinava porquê, já que ela nada mais era do que a Mulher velha e solitária, a Mulher da capa que, afinal, todos conheciam desde sempre. E agora ouvia dizer baixinho, quando descia à aldeia: "Bruxa, bruxa!".




Entristeceu, porque desconhecia o motivo por que lhe chamavam tal nome e porque não sabia que dentro de si saía uma luz desconhecida, quando no alto do monte erguia os braços ao sol ou à lua, na sua saudação diária.




As pessoas foram contar ao Rei e este mandou-a chamar, dizendo-lhe que ela era poderosa e que fazia ouro e malefícios. Ela ficou muito admirada e replicou que era tão pobre que só tinha aquela capa desde que nascera. O Rei olhou a Mulher e viu que era verdade. Mandou-a embora, com vergonha.




Um dia, quando as gentes da aldeia souberam da morte da Mulher pelo dobre dos sinos da Senhora do Monte, acorreram à velha morada cheias de curiosidade. Sobre o seu corpo estava a velha capa e sobre esta encontrava-se um papel destinado ao Rei. Nele estava escrito: "Meu Senhor: deixo-vos esta capa que tenho desde que nasci. Encontrei nela todo o ouro que diziam que eu tinha: foi o meu velho companheiro que, antes de se ir embora, aí o meteu. Eu nunca o tinha visto e agora que vi, não preciso dele. Utilizai-o nesta terra para que todos tirem dele o que mais desejarem. Afinal a minha capa era uma capa rica. Que o meu Deus vos abençoe."




Foi assim que apareceu o nome de Caparica, em memória de uma Mulher que ali surgiu um dia, quando era Míuda, vinda dos caminhos da Terra, coberta por uma capa já velha.

Texto e Fotos da Net

António Inglês

18 comentários:

Lisa's mau feitio disse...

Avô!

Estou num pc de uma amiga, no café, e aproveitei para vir espreitar a ver se o problema era do blogger, enqto sistema, ou se ra do meu espectacular computador... Pois... é do computador mesmo, pq aqui o blog abre em 3 milésimas de segundo :(
Ou da ligação à net que tenho pelo Kanguru, sei lá... Mas qdo entro pela TVTel tb não dá...

Olhe, "diz" que vou receber uma surpresa por estes dias, pode ser que seja um pc melhorzito... Sim, que a sua neta virtual também faz anos! ;)
Aquele foi o que pude comprar...

Deixo mil beijinhos grandes e saudades! Muitas!! Já dei o seu blog à minha mãe para ela ler! Estes próximos dias irei para lá de mini-férias, porque tenho ponte,e de lá não lhe desamparo a "loja"! Voltarei cheia de vontade de o ler como sempre!
Vou lendo as suas palavras nas tias e vá-me deixando um miminho, meu querido!

Beijinhos, mais! :)

Lisa

Sophiamar disse...

Mais uma lenda que já tinha ouvido contar mas que esquecera com o tempo. Tu encarregaste-te de ma relembrar e fico-te agradecida. Vou até imprimi-las em word porque me irão dar um jeitão.
Afinal nem tudo o que parece é.As aparências iludem e esta capa , embora velha, era uma Capa Rica.

Beijinhos mil

Geo disse...

Olá António!! Adorei, sua visita, sempre muito gentil, um cavalheiro! Muito Obrigada!.

Adoro contos, lendas...me fazem viajar, tira de nós um pouco da rotina e nos traz muitos ensinamentos.

A primeira lenda é romântica e trágica, quase mitológica, e como sou, fiquei presa a cada palavra.

A postagem sobre a restauração da capela, adorei!
Geralmente nos mostram os lugares sob uma ótica turística, enaltecendo suas belezas, mas seu ponto de vista é mais especial, consegui perceber a importância daquele momento, a felicidade de todos e por pouco não vejo todos em movimento, dançando com alegria. Assim fico cada vez mais apaixonada por Portugal, sinto-os muito próximos do Brasil, consigo perceber nossa irmandade. Parabéns!

Sobre a lenda da Caparica, que lição de humildade, é nítida a discrimanação com aquela mulher, o julgamento das pessoas pela aparência, pelo desconhecido, o medo e a curisidade são como pólvora para algumas pessoas, só que alguns usam a pólvora para embelezar o céu e nos fascinar, mas há quem a use para machucar, numa tentativa de diminuir ou eliminar o que, por limitação, não conseguem compreender. Sou mais embelezar o céu!

Estou ansiosa pela próxima lenda!

Um grande beijo!

Geo

Maria disse...

Não conhecia a lenda, embora a meio da estória pensasse que poderia ter o final que teve, com a "capa" pelo meio...
Obrigada por mais este post, António.
As fotografias são lindíssimas.

Beijinho, Amigo

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá meu querido António, lindíssimo texto...nunca tinha ouvido falar... Também só lá vou passar o fim de semana... Adorei...
Obrigada querido Amigo por nos dares a conhecer tanta sabedoria!
Beijinhos de boa noite,
Fernandinha

elvira carvalho disse...

Pois embora já a tendo lido, como lhe disse sou fã de lendas, e é sempre bom recordá-las.
Especialmente quando se anda muito triste como é o caso.
Um abraço

Maçã com Canela disse...

Olá... é a primeira vez que aqui venho e foi com curiosidade que li como surgiu o nome Caparica... desconhecia esta história bela de bondade...

Um beijinho

Fatima disse...

Olá Antonio
Parece a história que contámos sobre a Ponte do Rialto.
É curioso que por cá se passam coisas ainda mais bonitas. Obrigada pelo post

Dalinha Catunda disse...

Antônio,
tenho uma verdadeira paixão por lendas e passeando entre um blog e outro encontrei esse seu com a bela lenda da caparica. Parabéns pela postagem
um abraço,
Dalinha Catunda

António Inglês disse...

Lisa's

O seu PC deve estar um pouco zangado consigo, mas também para quem casou zangada... não me admiro...
Obrigado por ter dado o meu blog à sua mãe para ela ler.
E gostávamos todos de saber quando é esse dia de aniversário, ou não somos convidados para a festa?
Beijocas
António

António Inglês disse...

Isabel

Pois minha querida amiga, também eu gosto de lendas e tenho encontrado muitas que nem lhes conhecia o rasto...
Um beijinho e espero estar a ser-te útil.
António

António Inglês disse...

Geo, linda menina, linda princesa dos olhos lindos

Antes de mais deixe que lhe diga que espero sinceramente que nos dê a alegria de uma visita ao nosso país, até porque somos mesmo irmãos.
Irei fazendo mais postagens sobre Lendas e espero que goste, até porque eu próprio tenho ficado encantado com muitas que não conhecia.
As lendas não passam disso mesmo, mas lá bem no fundo sempre têm uma mensagem.
Um grande beijinho
António

António Inglês disse...

Maria

É o fim desta Lenda era previsível, mas só assim é que se percebe onde a história se encontra com o nome.
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Fernandinha

Minha amiga, nem imaginas o que tenho aprendido com as minhas buscas pela Net.
Neste caso foram as Lendas, noutros foram outros temas, e se alguma coisa este nosso convívio me tem dado para além dos amigos que já não dispenso, é o conhecimento que vou adquirindo com tudo isto.
Beijinhos
António

António Inglês disse...

Elvira

Que se passa? Porque está triste?
Vou ao seu cantinho para ver se entendo a razão dessa tristeza. Espero que não seja nada de maior.
Um abraço.
António

António Inglês disse...

Maçã com Canela

Agradeço-lhe a sua visita e passarei por sua casa se mo permitir. Para além do mais adoro maçã com canela que dá um paladar especial a muitas coisas...
Quando lhe apetecer volte sempre e nem precisa bater pois a porta está aberta. Seguir-se-ão mais Lendas.
Um abraço
António

António Inglês disse...

Olá Fátima

Bom dia, as Lendas são uma fonte de sabedoria pelas mensagens que nos transmitem.
Um abraço
António

António Inglês disse...

Dalinha Catunda

Bem vinda a este meu simples e modesto espaço minha amiga.
Tão longe e tão perto estamos que nos permitimos viajar dessa maneira, encontrando por vezes locais interessantes de visitar.
Agradeço-lhe a visita e espero continuar a vê-la por aqui. Não precisa bater pois deixo sempre a porta aberta.
Já dei um primeiro passeiozinho por seu blog e gostei. Se mo permitir visitá-la-ei.
Breve deixarei por aqui mais Lendas deste país irmão do seu Brasil.
Sabe que também sou Escorpião?
Um abraço
Anónio

PS. Gostei de ficar a conhecer um bocadinho de Ipueiras.