terça-feira, 25 de março de 2008

PÔS A CASA, AMIGOS E A VIDA À VENDA NA INTERNET

*

Ian Usher quer livrar-se de tudo o que o faça recordar a ex-mulher



Uma relação terminada com a sua mulher levou um homem a colocar à venda online toda a sua vida - casa, carro, emprego, e até os amigos - num esforço para recomeçar de novo, noticia a Lusa.

Ian Usher, um britânico imigrante na Austrália, disse hoje que vai leiloar tudo que possui e mais no e-Bay, a partir do dia 22 de Junho.

«No dia em que tudo estiver vendido e resolvido, tenciono sair da porta de minha casa com uma mala e o meu passaporte no bolso, e mais nada», disse Usher.

A leilão vão a casa de três quartos, na cidade de Perth, e todo o seu recheio, o carro, mota, jet ski e equipamento de pára-quedismo.



Usher disse que também vai vender uma apresentação aos seus amigos e uma experiência no seu emprego - um plano apoiado por amigos e pela sua patroa.

Em entrevistas na imprensa e televisão, Usher disse que quer começar de novo depois de ter percebido que a maior parte das coisas da sua actual vida lhe lembram a relação que teve durante cinco anos com a sua mulher e de quem se separou há mais de um ano.

«Tudo o que tenho - a mobília e a casa - tem recordações ligadas ao casamento», disse Usher, de 44 anos, ao canal de televisão 7. «É tempo de deitar fora o velho e começar de novo».

Usher disse que a sua vida vais ser vendida num único lote, e que os licitadores devem preparar-se para pagar mais de 420 mil dólares australianos 250 mil euros), que foi o valor oficialmente calculado por um avaliador.




Empresa apoia iniciativa


Joy Jones, co-proprietário da loja de tapetes em Perth onde Usher trabalha como assistente comercial, disse que gostou da ideia do leilão e que o quer ajudar. Joy Jones oferece ao licitante vencedor uma experiência de duas semanas na empresa, que pode ser alargada para três meses e tornar-se permanente se funcionar.

«Quando o Ian apareceu com esta ideia - e dado que o tínhamos visto abatido com a separação e a dor por que passou - pensei que era realmente excitante», disse Jones à Broadcasting Corp. «Pensámos, por que não dar uma ajuda?».

Usher disse que os seus amigos em Perth já aceitaram ser apresentados ao vencedor do leilão - o que lhe permitiu oferecer para venda um estilo de vida completamente novo.

Usher, que nasceu em Darlington, Inglaterra, planeia começar o leilão no dia 22 de Junho e aceitar a última oferta uma semana mais tarde.



Qual é o próximo voo disponível

Declarou desejar partir em viagem, incluindo fazer uma visita à mãe na Inglaterra, logo que o leilão encerre.

«Os meus actuais pensamentos são ir para o aeroporto e perguntar qual é o próximo voo disponível e partir, e ver onde me leva a vida a partir daí», escreveu no seu site.




Comentário


“ Se a moda pega cá por Portugal, vamos ter por aí muitas vidas à venda ao desbarato, digo eu ... não sei...”


Filme Youtube
Texto e Fotos da Net
António Inglês

"Veja agora o vídeo que Ian Usher fez para promover a venda da sua vida"

22 comentários:

Maria disse...

Porque é que há gente crescidinha que continua com comportamentos de pior que adolescentes?
Se o quer fazer assim, quem lhe paga a publicidade?
Cada vez entendo menos este mundo....

Beijinho, António

Entre linhas... disse...

Caso para dizer...uma renovação plena de uma mudança radical,e uma grande viragem na vida.
Bjs Zita

Vera disse...

Bem... há malucos para tudo...
Veremos se a moda pega. Ok, nem sei se hei-de rir ou chorar! Acho que me fico mais pela gargalhada mesmo...

Beijo

António Inglês disse...

Maria

Bom dia. O mundo anda completamente louco. Deve ser do buraco do ozono...
Mas o homem coitado quer livrar-se de tudo o que lhe lembre a mulher... provavelmente até será uma grande prova de amor... ou de raiva.... ou de ódio... ou de tudo misturado com uma pitada de loucura...
Beijinhos
António

António Inglês disse...

Bom dia Zita

Pois isso é o que o senhor quer... a ver vamos se consegue...
Pelo preço que põe à venda todos os pertences até que nem é caro...
Beijinhos
António

António Inglês disse...

Olá Vera. Bom dia.
Eu não sei se a moda pegará, mas o que sei é que situações complexas como esta ou semelhantes já por cá andam no nosso país há muitos anos..
Dou-lhe um exemplo:
Há alguns anos atrás, um amigo contou-me que num grupo de jogadores clandestino, creio que de Poker, um dos participantes jogou o dinheiro, o carro, o barco, a quota da fábrica de onde era sócio e não contente com isso, a própria mulher... e ao que me contou este amigo, a mulher do referido jogador depois de saber o que se tinha passado, apresentou-se no dia seguinte em casa do vencedor...
Não posso assegurar se isto foi ou não realidade, mas depois de ter contado a outros amigos, muitos me disseram que não teria sido a primeira situação do género...
Portanto não sei mesmo se me hei-de admirar assim tanto ou não...
Beijo
António

Sophiamar disse...

Meu querido amigo

Uma situação que tem tanto de caricato quanto de insólito. Embora haja notícia de casos semelhantes, estatisticamente falando, esta situação não tem grande significado. Porém, o que vai acontecendo cada vez mais são os divórcios e o desejo de romper abruptamente com tudo quanto ao passado nos liga. A vida não pode ser entendida de forma tão linear. Os anos de vida em comum nunca serão tábua rasa num futuro que se queira construir porque temos o passado dentro de nós. Depois, há os filhos, não sei se é o caso, fruto de amor, e por eles devemos sempre estar ligados com amizade ao homem ou mulher que no-los deu.
A vida conjugal é um bem a preservar sob pena de regressarmos a um passado sem afectos, sem valores, sem outra ligação que não sejam os instintos próprios da nossa condição animal.
Mais um post interessante, quanto a mim, pelo que de inédito tem no que concerne ao meio usado para a dissolução completa de uma situação que muito traumatizado deixou o homem. Há casos e casos!
Deixo-te beijinhos, muitos, estimado amigo.

big river disse...

Vender a mulhe ainda vai que não vai ,pior era se a devolviam ou começavam a reclamar....
Pobres mulheres sempre a falar-mos mal delas mas na realidade...
Um beijo para todas espacialmente para a minha.

António Inglês disse...

Isabel

Como dizes no fim do teu comentário, cada caso é um caso e é preciso saber primeiro das razões que levam a muitas separações.
No entanto acho que o divórcio está hoje banalizado e os casais não têm pachorra para tentar salvar seja o que for.
Mas a situação é complexa e devo ficar-me por aqui.
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Big River

É lá estás atento...
Pois rapaz, nestes casos é preciso declarar antecipadamente que não se aceitam reclamações....eheheh..
Um abraço
António

Sophiamar disse...

Tó, Amigão!

Pobres mulheres! Vá lá, ainda há o dia internacional que lhes valha! Ahahahahah! Não quero dizer nada contra elas porque também o sou mas há tristes trastes em ambos os sexos.
Quanto a mim, se fosse incluída num lote destes, te garanto que ouvias a explosão aí em S. Martinho! Eheheheheh!
Mas, casos há, e muitos, em que a situação mais equilibrada é, de facto, o divórcio. Para bem dos cônjuges e, sobretudo, dos filhos.
E deixo-te mais um cabaz de beijinhossss

p.s. Este Big River está um safadão! Vender a mulher? Tu dá-lhe no toutiço ( cabeça em allgarvio), António!

António Inglês disse...

Isabel

Pois eu não sei se me poderia incluir num destes grupos pois não penso que interesse seja a quem for.
Só mesmo a minha mulher que me ganhou numa rifa da Feira Popular e nunca mais me largou... para meu bem...
Claro que os divórcios são em muitos casos a melhor saída, mas infelizmente os filhos são os que pagam esta factura bem cara...
São raros os casos em que os adultos que se separam têm a capacidade para entender que mesmo depois de separados continuam a ser o elo mais importante para os filhos e ambos fazem falta para o seu normal crescimento e jamais deixarão de ser os pais.
O que a mim me faz confusão é como durante o tempo que vivem casados, antes do divórcio portanto, se esquecem de que vivem com um parceiro ou uma parceira e que é importante preservar o casamento, tendo todos os dias necessidade de alimentar a chama que os levou a dar o nó.
Depois do desenlace, é que se lembram que provavelmente andaram distraídos e convencidos de que não precisariam de fazer mais nada, vai daí tratam de fazer a vida negra ao outro por uma questão de vingança... e esta é a factura que os filhos vêm a pagar sem terem culpa de nada.
Excluo aqui os casos em que o divórcio é a única saída, depois de um dos conjuges ter traído o outro, e aí pouco mais há a fazer. Difícil de perdoar, uma traição trás outra e mais outra e a solução passa mesmo por separação.
Enfim, cada caso é um caso, mas todos são complexos e "só sabe do convento, quem lá vive dentro".
Quanto ao safadão do Big River, meu cunhado, é só da boca para fora, porque é um pai exemplar e um um maridão ás direitas que só o não é mais porque a minha irmã não deixa... burra!!!! eheheheh...
Alem disso, como ele diz, vinham devolvê-la rapidamente por isso não vale a pena vender...ehehe...
Isto são tudo conversas da treta, porque no fim de contas não passamos uns sem os outros, não é mesmo?
Beijinhos
António

aramis disse...

Amigo António, tens razão, se a moda péga, ainda vamos fazer compras bem giras e baratas...

Obrigada pela mensagem que me deixaste meu amigão...

Gostava de saber como correu o jantar de apoio à nossa amiga Alzira, diz-me qualquer coisa ok? Saíu algum artigo sobre isso na imprensa?Em que dia são as eleções e já agora, onde esperam os resultados? Na sede?

Mil beijinhos e um grande xi coração,

avelaneiraflorida disse...

Amigo António,

Sinceramente depois de ler "isto" não sei se ria ...se chore!!!!

De qualquer modo...
Bjkas, com toda a certeza!!!!

Filoxera disse...

Por muito alucinadas que sejam as ideias, há sempre quem lhes dê eco, em nome de audiências.
Um beijo.

elvira carvalho disse...

E são só as coisas materiais que lhe lembram a mulher? E na memória não há lembranças?
Uma pessoa vê cada coisa!
Um abraço

Brancamar disse...

Oi, António,
Enfim, finalmente consegui cá chegar pela segunda vez, é que como sabes o primeiro comentário foi ao ar. Não sei se agora o estado de espírito sendo outro,digo a mesma coisa, mas acho que sim.
Lamento a vida do homem, o trauma, a forma bizarra de vender a vida, com certeza que se esqueceu que ninguém quer ser ele, mas quem sabe..., um Migrante que não conheça ninguém naquela terra lhe faça geito aproveitar quatro em um,(emprego, casa, carro e amigos), sim porque é muito aborrecido chegar a um novo país e não conhecer ninguém, falta saber é se as personalidades se ajustam...
Ele é que ficava com a vidinha resolvida e partia pensando(?) que conseguia fugir dos desgostos...
Olha mano, estou como a Avelaneira, não sei se ria, se chore...eu acho é que o homem não deve estar bem e é de ter pena, pena até porque não se percebe muito bem como todos colaboram nesta maluqueira...desde o patrão aos amigos.
Enfim! Loucuras deste nosso mundo...
Beijinhos
Branca

António Inglês disse...

Aramis

Só hoje venho responder-te e acho que tens razão. Tal como dizes um dia destes ainda vamos ver muita coisa em saldo...
Um beijinhos
António

António Inglês disse...

Avelaneiraflorida

A vida tem destas coisas e acho que devemos sempre dar um sorriso pois o homem que ver-se livre de tudo o que lhe faça lembrar a mulher.
Ele também não diz nem disse porque razão ela se foi embora e portanto, embora seja triste chegar-se a este ponto, o melhor mesmo é rir...
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Filoxera

Pois em nome das audiências e não só...
São retalhos da vida de muitos desesperados que de tanto matutarem nas coisas acabam por encontrar uma forma de dar a volta à vida.
Quem sabe se esta não foi a formula de o senhor dar a volta à vida???
Ás vezes um pouco de publicidade até dá resultado e a vida ensina-nos isto mesmo, é que nos dias que correm, entre o estar em baixo ou por cima, a distância é curta...
Um beijinho
António

António Inglês disse...

Elvira

Será a maneira de afastar dos olhos as recordações... e lá diz a máxima: olhos que não vêem, coração que não sente...
Será?
Um abraço
António

António Inglês disse...

Mana Branca

Este é o mundo em que vivemos.
Para este homem a vida sempre tem um preço. Começou a pagá-lo bem e agora quer ver-se livre de tudo... recebendo o investimento que fez na relação que teve...
Só que, como dizes e bem, pensará ele que fugindo dali, fugirá do pensamento... pobre coitado...
Mas que deve ser um drama para ele viver daquela forma, lá isso deve...
Não podemos esquecer que o cavalheiro,britânico ao que julgo, muito provavelmente por causa da mulher, foi viver para a Austrália e ali num país diferente fazia a sua vida. Repara que ele diz que quer regressar a Inglaterra e para perto da mãe...
Ninguém pode responder pelos actos do coração.... é tudo muito complicado...
Um grande beijinho
António