sábado, 19 de janeiro de 2008

POR FALAR EM AMBIENTE

*Foto da Net


AQUECIMENTO GLOBAL


Aumentam os desastres naturais ligados à mudança climática


A região asiática concentrou 74% das mortes, seguida do continente americano, com 12%



GENEBRA - A frequência dos desastres naturais ligados a mudanças climáticas vem aumentando, principalmente as enchentes, em relação à média registrada entre 2000 e 2006, segundo um relatório tornado público nesta sexta-feira, 18, pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Das 197 milhões de vítimas por desastres naturais, 164 milhões foram por inundações.

A Ásia foi, novamente, o continente mais afectado pelas catástrofes naturais, sendo cenário de oito das dez maiores acontecidas no ano passado - incluindo seis inundações.

As inundações foram os únicos desastres que aumentaram de maneira significativa, registrando-se 206 só no ano passado, em relação à média de 172 nos últimos sete anos.

O país mais afectado por mortes foi Bangladesh, com mais de 5.000, seguído da Índia (1.103), Coreia do Norte (610), China (535) e Peru (519), segundo um relatório elaborado pelo Centro de Pesquisa da Epidemiologia dos Desastres (Cred), um organismo com sede na Bélgica, e apresentado pelo Secretariado da ONU para a Redução de Desastres (ISDR).

A região asiática concentrou 74% das mortes, seguida do continente americano, com 12%, principalmente por causa do terremoto que sacudiu o Peru em Agosto do ano passado e das tempestades tropicais no Caribe, segundo disse o director do Cred, Debarati Guha-Sapir.

O número de vítimas mortais, no entanto, foi menor em 2007 - 16.517 mortos - diante da média de 73.931 registrada entre 2000 e 2006.

Os EUA, com 22 catástrofes naturais em 2007, foram o país mais afectado, seguído da China (20), Índia (18), Filipinas (16) e Indonésia (15).

Em entrevista colectiva em Genebra, Guha-Sapir explicou que, embora a China e a Índia tenham liderado nos últimos anos a lista de países mais afectados por tragédias, isso se deve ao fato de serem os mais povoados do mundo.

O director explicou que uma metodologia mais justa para calcular o impacto de uma calamidade em um país - em relação à população - indica que os lugares mais afectados, em 2007, foram a Macedónia, com 49.000 vítimas, Suazilândia, na África (36.000), Lesoto (23.000), Zimbábue (15.000), Bangladesh (14.000) e Zâmbia (12.000).

O especialista assinalou que o impacto das mudanças climáticas na incidência de catástrofes naturais é provado pelo aumento de inundações, furacões e tempestades tropicais, claramente influenciadas pelo fenómeno planetário.

"A tendência actual é consistente com os prognósticos do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, e a Ásia e a África Ocidental já estão sofrendo inundações mais severas e seguídas", comentou, ao se referir à equipa de cientistas que estudam o fenómeno do aquecimento global para a ONU.

Guha-Sapir também disse que existe a possibilidade de doenças infecciosas - como o dengue e a leptospirose, transmitidas, respectivamente, por mosquitos e ratos - se expandirem nos próximos cinco anos, conforme aumenta a incidência das enchentes, e cheguem inclusive à Europa e aos EUA.

EFE

"O Homem tem uma obrigação para com o seu semelhante: Preservar o ambiente para o futuro!"
José Gonçalves

14 comentários:

Maria Luar disse...

Preserva o ambiente, não o deixes ficar doente.

Abraço

elvira carvalho disse...

Muito bom o post. Actual e pertinente. Ah! as inundações...
Trago um nó na garganta por Moçambique.
Um abraço e bom Domingo

avelaneiraflorida disse...

Pois é amigo José Gonçalves, o ser humano esquece-se que vive numa casa emprestada...
As gerações que vierem depois de nós bem terão de se queixar da herança que vão receber!!!!

bjkas!!!

Jose Gonçalves disse...

Maria luar

Nem mais, nem mais. Vou fazendo por isso mas às vezes a coisa escorrega e lá contribuo-o sem querer para a poluição.
Abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Boa noite Elvira

Moçambique e não só. O mundo está mesmo às avessas.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

avelaneiraflorida

Pois, serão os nossos filhos e os nossos netos que irão pagar isto tudo seguramente.
A ambição do homem tornou-o num ser sem sensibilidade para preservação ambiental, o que é pena.
Um bom domingo
José Gonçalves

Sophiamar disse...

Estamos a ser uns inquilinos negligentes nesta casa onde deixamos grande desarrumação para todos os que vierem depois de nós. Por mais que nos digam como devemos proceder para que o ambiente seja preservado, não ouvimos, não entendemos, não fazemos.E os próximos inquilinos são os nossos filhos, os nossos netos, os nossos bisnetos...os nossos familiares. E não nos lembramos disso? Que egoísmo! Está na hora de pensar. Está na hora de mudar. Não hipotequemos o futuro!
Um excelente post!
Deixo-te beijinhos com amizade.

Maria disse...

Tenho a consciência exacta de que fazemos muito pouco (para não dizer nada) para minimizar este problema. Ainda não há consciência individual sobre esta questão, quanto mais consciência colectiva....

Não te esqueças de ir buscar o prémio que está no 1º post de hoje...

Bom domingo
Beijinho

Maria Faia disse...

Pois é amigo José Gonçalves,

É o resultado da ambição e das "conquistas" desenfreadas do Homem.
Urge parar e pensar no destino do planeta, no nosso destino...

Um beijo amigo, com votos de bom fim de semana,

Maria Faia

elvira carvalho disse...

EU sei que não é só Moçambique. Mas eu conheço aquela terra e aquela realidade. Porque já lá vivi. E isso faz com que a dor seja maior.
Um abraço

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

Pois é como dizes, temos obrigação de ir tomando conta do "apartamento" que nos emprestaram por uns tempos, sem dúvida.
E podemos todos de certa forma ir ajudando nas pequenas coisas a contribuir para um melhor relacionamento com o Ambiente. Não podemos é distrair-nos um só momento que seja.
Um bom domingo para vocês.
Mil e um beijinhos
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Maria Faia

A ambição sempre foi a perdição do homem, e até nem o censuro pois foi assim que chegámos até onde chegámos, mas quando essa ambição põem em risco o futuro dos nossos filhos e netos e até do planeta, então urge parar mesmo.
Um bom fim de semana para si também.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Maria

Tens toda a razão, penalizo-me por isso. Mas um dia temos de começar a encarar este grave problema de frente.
Já fui ao teu espaço buscar o prémio que me atribuis-te, e que muito te agradeço. Fiquei muito honrado pela distinção e desta vez concordo com ele pois eu sou mesmo vosso amigo, embora virtual.
Um bom domingo e um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Elvira

Eu sabia que Moçambique tinha para si um significado especial e por isso entendo-a.
Eu apenas quis fazer alusão a outros pontos do globo igualmente afectados por tais calamidades.
Um bom domingo e um abraço
José Gonçalves