terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

BARROCO ou CLÁSSICO (ROCOCÓ - 1730 a 1760)

*
Barroco, é um movimento, que vai da segunda metade do século XVI (1550) à primeira metade do século XVIII (1760), caracteriza-se por um estilo rebuscado, repleto de metáforas e antíteses e por uma volta às questões espirituais em oposição ao racionalismo renascentista.



O Barroco, oposição ao classicismo, surge no século XVII na Itália e na Europa, perdura até meados do século XVIII, atingindo toda a América Latina até o fim do século XVIII... É uma tendência que se manifesta nas artes plásticas e, em seguida, na literatura, na música e no teatro no início deste século.


Miguel de Cervantes, por exemplo, numa prosa barroca faz uma sátira das novelas de cavalaria em Don Quixote de la Mancha...
Num período no qual a Igreja Católica tenta recuperar o espaço perdido com a Reforma Protestante e os monarcas concedem-se poderes divinos, a arte barroca busca conciliar a espiritualidade e a emoção da Idade Média com o antropocentrismo e a racionalidade do Renascimento. Sua característica marcante é, portanto, o contraste.
Esta arquitectura é um meio de propagar a fé na Igreja e no Estado, por isso as principais construções são igrejas e edifícios públicos. Tem como características o abandono de normas e convenções, da geometria elementar e da simetria.



As fachadas são ondulantes e decoradas com esculturas. Há grande uso de pilastras e o interior é repleto de madeira entalhada recoberta de dourado. Linhas diagonais e escadas dão movimento e altura às construções. O exagero de formas e a mistura de texturas transmitem a ideia de dramaticidade e representam a opulência da sociedade da época.
Os principais nomes são Francesco Borromini (1599-1667) e Gian Lorenzo Bernini (1598-1680), autor das 162 colunas da praça da Basílica de São Pedro, no Vaticano. A preocupação com o espaço que circunda os edifícios é outra característica do barroco.



A palavra barroco, originalmente "pérola deformada", exprime de forma pejorativa a idéia de irregularidade. Suas obras são rebuscadas, expressam exuberância e emoções extremas. Durante o período, além da Igreja e dos governantes, a burguesia em ascensão patrocina os artistas...
A fase final do barroco é o rococó, estilo que surge na França entre 1700 e 1780, refinando a arquitetura pomposa do barroco, durante o reinado de Luís XV. Caracteriza-se pelo excesso de curvas e pela abundância de elementos decorativos, como conchas, laços, flores e folhagens. A temática é inspirada nos hábitos da corte e na mitologia greco-romana.
As cores vivas dão lugar aos tons pastéis e os relevos exagerados são substituídos por superfícies delicadas, que ganham ênfase em pontos isolados. Igrejas e palácios exibem uma integração entre arquitetura, pintura e escultura. A estrutura dos edifícios é iluminada por várias janelas para criar interiores etéreos.



Os espaços interior e exterior chamam a atenção pela complexidade e requinte. Os arquitectos constroem espaços unificados e reduzem o tamanho das colunas. Nas igrejas, os tectos das naves laterais são levantados até a altura da nave central para unificar o espaço, como na Igreja de Carmine, em Turim, construída por Filippo Juvarra (1678-1736).



No Brasil, as primeiras obras barrocas construídas foram na época da colonização, que tinham o objectivo de assegurar o domínio português e evitar as invasões estrangeiras. São erguidos colégios e igrejas em Salvador, Olinda e no Rio de Janeiro, marcados por este estilo e de forte influência jesuítica. E também, a economia açucareira do século XVII impõe um novo padrão de vida e faz surgir a casa-grande e a senzala, que exigem um aprimoramento técnico das construções.



No Brasil, António Francisco Lisboa – o Aleijadinho (1730-1814) é o mestre do barroco.
A arte barroca originou-se na Itália (séc. XVII) mas não tardou a irradiar-se por outros países da Europa e a chegar também ao continente americano, trazida pelos colonizadores portugueses e espanhóis.
As obras barrocas romperam o equilíbrio entre o sentimento e a razão ou entre a arte e a ciência, que os artistas renascentistas procuram realizar de forma muito consciente; na arte barroca predominam as emoções e não o racionalismo da arte renascentista.



É uma época de conflitos espirituais e religiosos. O estilo barroco traduz a tentativa angustiante de conciliar forças antagónicas: bem e mal; Deus e Diabo; céu e terra; pureza e pecado; alegria e tristeza; paganismo e cristianismo; espírito e matéria.



Suas características gerais são:
* emocional sobre o racional; seu propósito é impressionar os sentidos do observador, baseando-se no princípio segundo o qual a fé deveria ser atingida através dos sentidos e da emoção e não apenas pelo raciocínio.
* busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas, contracurvas, colunas retorcidas;
* entrelaçamento entre a arquitectura e escultura;
* violentos contrastes de luz e sombra;
* pintura com efeitos ilusionistas, dando-nos às vezes a impressão de ver o céu, tal a aparência de profundidade conseguída.



PINTURA

Características da pintura barroca:
* Composição assimétrica, em diagonal - que se revela num estilo grandioso, monumental, retorcido, substituindo a unidade geométrica e o equilíbrio da arte renascentista.
* Acentuado contraste de claro-escuro (expressão dos sentimentos) - era um recurso que visava intensificar a sensação de profundidade.
* Realista, abrangendo todas as camadas sociais.
* Escolha de cenas no seu momento de maior intensidade dramática.



De entre os pintores barrocos italianos:
Caravaggio - o que melhor caracteriza a sua pintura é o modo revolucionário como ele usa a luz. Ela não aparece como reflexo da luz solar, mas é criada intencionalmente pelo artista, para dirigir a atenção do observador.
Obra destacada: Vocação de São Mateus.



Andrea Pozzo - realizou grandes composições de perspectiva nas pinturas dos tectos das igrejas barrocas, causando a ilusão de que as paredes e colunas da igreja continuam no tecto, e de que este se abre para o céu, de onde santos e anjos convidam os homens para a santidade.
Obra destacada: A Glória de Santo Inácio.



A Itália foi o centro irradiador do estilo barroco. De entre os pintores mais representativos, de outros países da Europa, temos:
Velázquez - além de retratar as pessoas da corte espanhola do século XVII procurou registrar em seus quadros também os tipos populares do seu país, documentando o dia-a-dia do povo espanhol num dado momento da história.
Obra destacada: O Conde Duque de Olivares.



Rubens (espanhol) - além de um colorista vibrante, se notabilizou por criar cenas que sugerem, a partir das linhas contorcidas dos corpos e das pregas das roupas, um intenso movimento. Em seus quadros, é geralmente, no vestuário que se localizam as cores quentes - o vermelho, o verde e o amarelo - que contrabalançam a luminosidade da pele clara das figuras humanas.
Obra destacada: O Jardim do Amor.



Rembrandt (holandês) - o que dirige nossa atenção nos quadros deste pintor não é propriamente o contraste entre luz e sombra, mas a gradação da claridade, os meios-tons, as penumbras que envolvem áreas de luminosidade mais intensa.
Obra destacada: Aula de Anatomia.


ESCULTURA


Suas características são: o predominío das linhas curvas, dos drapeados das vestes e do uso do dourado; e os gestos e os rostos das personagens revelam emoções violentas e atingem uma dramaticidade desconhecida no Renascimento.



Bernini - arquitecto, urbanista, decorador e escultor, algumas de suas obras serviram de elementos decorativos das igrejas, como, por exemplo, o baldaquino e a cadeira de São Pedro, ambos na Basílica de São Pedro, no Vaticano.
Obra destacada: A Praça de São Pedro, Vaticano e o Êxtase de Santa Teresa.

Para seu conhecimento
Barroco: termo de origem espanhola ‘Barrueco’, aplicado para designar pérolas de forma irregular.

Fotos e texto tirados na Net
José Gonçalves















22 comentários:

elvira carvalho disse...

Mais um grande trabalho de pesquisa,que nos dá a conhecer um dos aspectos e épocas de cultura, a nivel mundial. Um post em que se aprende muita coisa.
Um grande abraço

Jose Gonçalves disse...

Boa tarde Elvira

Como se falou há uns dias no Padre António Vieira, lembrei-me da época Barroca e por isso pesquisei a matéria.
Muita coisa encontrei, mas do que gostei mais, dou conta aos amigos como apontamento e ensinamento para mim pois não conhecia com tanta profundidade esta cultura que marcou uma época.
Um grande abraço
José Gonçalves

Sophiamar disse...

Meu querido Amigo

Parabéns! Este é outro post onde está bem patente a qualidade do serviço que nos vens prestando. Hoje,trazes-nos mais um belo trabalho e, desta vez, sobre a arte. Foi uma delícia ler o que aqui nos dizes. É um período de grandes obras arquitectónicas, pictóricas, escultóricas.Uma arte muito apelativa em que a igreja tem necessidade de chamar a atenção sobre si e há um esforço em fazer coisas belas.Se, por um lado, há um certo exagero, por outro atinge-se o objectivo pretendido. É o tempo da talha dourada, das colunas salomónicas, dos drapeados, dos azulejos, em suma, do esplendor na arte.
Um post para ler e reler.Este século XVIII, foi, de facto, muito rico.
Voltarei.

Beijinhos mil. Obrigada pelas palavras. Sempre bonitas, sempre agradáveis.

FERNANDA & SONETOS disse...

Olá meu querido amigo, como diz a Elvira, que grande trabalho de pesquisa.
Um post muito belo e onde se aprende muito.
Beijinhos de carinho e amizade.
Fernandinha

avelaneiraflorida disse...

Amigo José Gonçalves,
vou "obrigar" os meus besouros a virem aqui espreitar como se pode fazer uma pesquisa honesta recorrendo à NET!!!!
Brigados!!!!

Sophiamar disse...

Voltei aos teus montes e vales, recordei as características do barroco, um estilo rebuscado, que pode não ser do gosto de todos mas deve ser do gosto de todos saber mais. E esse contributo que tu nos deixas é muito importante.Já te tinha dito, Zé Gonçalves, que este caminho que estás a percorrer é muito , muito positivo pelo que de didáctico encerra.
Parabéns e mil beijinhossssss

Joaninha disse...

José,

Belo apanhado sim senhor.
Eu gosto imenso da arte barrocam foi um gosto ler este seu apontamento. :)

aramis disse...

ORA MEU QUERIDO AMIGO,MAS QUE EXCELENTE ARTIGO!...
SÓ NÃO APRENDE QUEM NÃO QUISER...
MUITOS BEIJINHOS E UM XI CORAÇÃO PARA OS MEUS "3 MARAVILHA"!

Sophiamar disse...



Aconteceu grave problema no meu blogue. Tive de o fechar. Aparece reservado a leitores convidados mas foi a estratégia que usei para salvar os posts. Não fiz convites. Voltarei logo que possa.

Beijinhosssss

elvira carvalho disse...

Amigo, tem um meme no Sexta-feira. Se quiser responder...
Um abraço

São disse...

Grande trabalho de informação, este!
Quando tiver tempo responderei ao desafio lá de baixo , já agora : gostei de te conhecer melhor!
Li não sei onde que pensaste em fechar o blog...espero eu que nunca o faças!!!
Abraço-te.

Brancamar disse...

José hoje como ontem não vou ter muito tempo para comentar o teu post como merece,já vi que fizeste uma pesquisa minuciosa como sempre. Volto depois, mas não podia deixar de vir marcar a minha presença e desejar-te uma boa noite.
Beijinhos

Jose Gonçalves disse...

Olá Sophiamar

Acho que foi uma época meio louca, onde o expoente máximo se traduziu em Rococó de que não gosto particularmente.
De qualquer maneira ficaram muitas marcas da época.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Fernandinha

Pois começa a ser um hábito esta minha mania de pesquisar temas interessantes.
É o que tenho feito nos últimos tempos.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

avelaneiraflorida

Não aspirei a tanto, mas.... obrigado pelas suas palavras.
Um grande abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

Acredita que não foi o que procurei.
Apenas pretendo ser útil e juntar o útil ao agradável foi o que mais me agradou, pelo trabalho em si que é apaixonante, como também pelo que aprendo quando entro em pesquisa.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Olá Joaninha

Ainda bem que gostou e que lhe pude ser útil.
Um abraço e bom fim de semana
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Aramis

Minha amiga, vou fazendo pela vida.
Um grande beijinho de nós três
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

Não tem problema, aparece quando puderes mesmo.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Boa noite Elvira

A esta hora já fui buscar o meme e já postei sobre ele, o que lhe agradeço.
Deixo-lhe um abraço e um bom fim de semana
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Olá São

É, a pouco e pouco vou-me mostrando mais e talvez isso até nem seja muito bom.
Mas como se costuma dizer, quem não deve não teme.
Quanto ao encerramento do blog, não foi bem isso que eu disse. O José Gonçalves no dia 5 de Março vai de viagem até ao estrangeiro, o que não quer dizer que o blog encerre.
Aguarda que depois vais perceber tudo.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Olá Branca

Gosto de te ver por aqui.
É sinal de que não te esqueces de mim.
Obrigado pela tua consideração.
Um beijinho
José Gonçalves