domingo, 26 de Outubro de 2008

MORREU AIDA BAPTISTA


“Mais uma figura de relevo das artes que nos deixou. O Teatro de revista, fica assim mais pobre. Eu sei que é o ciclo normal da vida, uns aparecem, outros vão-nos deixando, mas ninguém ocupará a lugar de ninguém. Aida Baptista reservou nas nossas memórias o seu lugar e dela nos lembraremos sempre. Como tantos outros, não foi uma partida porque ela será eterna, foi apenas um até um dia destes! Que descanse em paz!”




Actriz do teatro de revista foi encontrada sem vida na madrugada de sexta-feira.

Aida Baptista foi encontrada morta em sua casa. Tinha 79 anos e será recordada como uma das actrizes do teatro de revista mais populares e mais completas. Retirou-se no final da década de 70 por razões de saúde. Depois disso, fez apenas duas reaparições, uma na peça Boeing Boeing, na qual contracenou com Octávio de Matos, outra no Teatro Maria Matos, para o espectáculo Antologia da Revista.

O corpo da actriz esteve em câmara ardente na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Lisboa, de onde saiu ontem, sábado, pelas 15h00, para o Cemitério dos Prazeres. Aida Baptista ficou sepultada no Talhão dos Artistas.

Dona de uns enormes olhos azuis e de uma personalidade forte, Aida Baptista representou, cantou e dançou e deixou marcas na memória colectiva do espectáculo português, onde partilhou o palco com Nicolau Breyner, Camilo de Oliveira, Ribeirinho e Raul Solnado. Em 1971 recebeu um Prémio Bordalo, atribuído pela Casa da Imprensa, pela sua participação em Saídas da Casca.

Redacção Caras - 25 Out 2008

Fotos da Net

António Inglês


1 comentário:

Maria disse...

Não ouvi nem uma notícia sobre o assunto. Nem na tv, nem rádio, nada...
Foi uma mulher que dedicou toda a sua vida ao teatro e às cantigas...

Um abraço, António