domingo, 12 de outubro de 2008

CRISE FINANCEIRA

Uma das torres do Banco Dexia

Dexia pagou jantar de luxo no Mónaco a 200 convidados, apesar das dificuldades


Bruxelas - O banco franco-belga Dexia, um dos que na Europa mais sofreu com a crise nos mercados financeiras, pagou na quinta-feira um jantar de luxo a mais de 200 convidados num hotel de Mónaco, noticia a agência de notícias belga.

O jantar, cujo custo foi mantido em segredo, teve lugar na Sala Império, a principal do Hotel de Paris, e teve como mote o lançamento da filial do Dexia para a banca privada no principado do Mónaco, adianta a mesma fonte.

O presidente da instituição financeira, Hugo Laat, deveria ter discursado no evento, mas a intervenção foi cancelada "devido à crise".


Viagens de luxo...

Também a divisão seguradora do grupo Fortis, desmembrado devido à crise, ofereceu sexta-feira a corretores de seguros um repasto noutro luxuoso hotel monegasco, segundo a imprensa belga.

Devido à situação difícil em que caiu devido à crise nos mercados financeiros, Bélgica, França e Luxemburgo injectaram 6.400 milhões de euros no Dexia.

Em Paris e em Bruxelas estão agora a tratar da substituição dos principais responsáveis da instituição.

A injecção de dinheiros públicos para resgatar instituições financeiras tem gerado polémica, havendo uma linha de argumentação que defende que deveriam ser os seus accionistas e responsáveis a pagar a "factura" pela falta de prudência que conduziu à situação de insolvência.

Um caso semelhante ao dos jantares de luxo do Dexia surgiu esta semana nos Estados Unidos, onde a AIG/Life que, para comemorar o evitar da falência, conseguido com a ajuda pública, gastou centenas de milhar de dólares num luxuoso "resort" californiano, levando a Casa Branca a classificar de "repugnante" a conduta dos executivos de topo.


Krug o champanhe mais caro do mundo - 600€ cada garrafa...

A seguradora American International Group Inc. - AIG foi salva "in extremis" da falência através de uma injecção de 85.000 milhões de dólares (62.000 milhões de euros) aprovada pela administração do Presidente George W.Bush.

De acordo com um inquérito parlamentar em curso, os executivos em causa - que não do sector financeiro da seguradora, alegadamente responsáveis pelo descalabro - esbanjaram 440.000 dólares (320.000 euros) no "resort", em banquetes faustos, spa e partidas de golfe.

"É repugnante", declarou indignada Dana Perino, porta-voz da Casa branca.

A AIG/Life pagou todos os gastos a estes executivos no "resort" Saint Regis, a sul de Los Angeles, Califórnia.

Da despesa global, 23.380 dólares (17.000 euros) foram para tratamentos vários no spa, de acordo com facturas na posse da comissão parlamentar que conduz a investigação.

PDF/JHM. - LUSA, 11 de Outubro de 2008


Grandes banquetes...

Comentário

Ainda nem me tinha recomposto da postagem anterior, e eis que me aparece no computador, (sim porque ainda o pude comprar a “bochechos”), esta brilhante notícia que vem ao encontro do comentário que então fiz. Afinal A CRISE, é mesmo só para uns, melhor dizendo, quem a suporta é o “mexilhão”, a “arraia miúda”, o “povo trabalhador”, seja ele português, inglês, francês, russo ou americano, porque os outros, aqueles que para ela contribuíram, ou pelo menos mal souberam controlá-la nas instituições que gerem, para esses, a vida continua á grande e á francesa, seja à custa de quem for, normalmente os do costume.



Vista geral do Mónaco

A ambição perdeu o homem (desde sempre, que o diga Ícaro), e pôs em causa a sobrevivência das populações. No Meio ambiente é o que se sabe, na Saúde é o que se vê... ou o que não se vê, na Educação alguém que nos acuda, na Segurança nem é bom falar e nas Finanças... os resultados estão à vista!

Preparem-se os portugueses, porque muito provavelmente a verdadeira crise ainda não nos bateu bem à porta, ou melhor, bater já bateu, só que ainda não entrou bem ou então ainda dá para ir escondendo a verdadeira realidade das famílias. E este é um dos grandes flagelos da nossa sociedade a “pobreza envergonhada” que invadiu já muitos dos lares de Portugal.


Luxos só para alguns...

É nestas alturas que nós, “portugas dum caneco” costumamos cerrar os dentes e fileiras e enfrentamos as dificuldades pelos “cornos”, mas temo muito que a coragem nos vá faltando! Com exemplos como estes... e se calhar com outros que ainda nem se conhecem, vamos precisar mesmo de muita coragem! Por alguma razão somos HERÓIS DO MAR, NOBRE POVO, NAÇÃO VALENTE!



"Resorts" a preços fora do comum...

Fotos da Net

António Ingês


2 comentários:

elvira carvalho disse...

Poi amigo já lá diz o povo quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão. E neste caso o mexinhão é mesmo o zé pagante. A crise é só para alguns.
Antigamente a minha avó dizia que andava meio mundo para enganar o outro meio. Agora o meu marido costuma dizer que anda dez por cento a enganar os outros 90.
Um abraço e uma boa semana

Fatima disse...

Ai António..... sem comentários!!!