segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

DA BOCA DAS CRIANÇAS SAI A VERDADE!

*

"A minha querida amiga Rakel enviou-me esta carta que não podia deixar de partilhar convosco pelo relevo que o seu conteúdo merece"

Uma professora do ensino básico, de nome Ana Maria pediu aos alunos que fizessem uma redacção sobre o que gostariam que Deus fizesse por eles.


Ao fim da tarde, quando corrigia as redacções, leu uma que a deixou muito emocionada.

O marido, que, nesse momento, acabava de entrar, viu-a a chorar e perguntou:

- 'O que é que aconteceu?'

Ela respondeu:

'Lê isto.'

Era a redacção de um aluno.

“Senhor, esta noite peço-te algo especial: transforma-me num televisor.
Quero ocupar o lugar dele. Viver como vive a TV da minha casa.
Ter um lugar especial para mim, e reunir a minha família à volta....
Ser levado a sério quando falo... Quero ser o centro das atenções e ser escutado
sem interrupções nem perguntas.
Quero receber o mesmo cuidado especial que a TV recebe quando não funciona.
E ter a companhia do meu pai quando ele chega em casa, mesmo quando está
cansado.
E que a minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de me
ignorar. E ainda que os meus irmãos briguem para estar comigo.

Quero sentir que a minha família deixa tudo de lado, de vez em quando, para
passar alguns momentos comigo.
E, por fim, faz com que eu possa diverti-los a todos.
Senhor, não te peço muito...
Só quero viver o que vive qualquer televisor!'
Naquele momento, o marido de Ana Maria disse:
- 'Meu Deus, coitado desse miúdo! Que pais'!
E ela olhou-o e respondeu:
- 'Essa redacção é do nosso filho'.


PS- Talvez valha a pena ler outra vez...

É triste mas é o que se passa nas nossas casas infelizmente....

José Gonçalves

8 comentários:

Sophiamar disse...

Se esta redacção saiu da cabeça e das mãos de uma criança não tenho a certeza mas que este é o sentir de muitas das nossas crianças nos dias de hoje não me restam dúvidas. A televisão veio substituir o diálogo às refeições e fora delas, a televisão veio a tornar-se o único elemento em torno do qual se congrega a família sempre que alguns momentos de descanso o permitem. O hábito de seroar, de ouvir os pais, os avós, os irmãos, desapareceu e deu lugar às inúmeras telenovelas que nos transportam para realidades muitas vezes bem diferentes das do nosso quotidiano. Pela parte que me toca, não me sinto com má consciência porque esse aparelho nunca substituiu as conversas em família e espero que, no futuro, os meus netos não venham a sofrer dessas doses massivas de mau entretenimento. Tudo é bom com conta, peso e medida.

Beijinhossssssss

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

Estou como tu. Não sei se foi mesmo uma criança que escreveu esta carta, mas que está muito actualizada está.
Infelizmente as televisões e as novelas vieram substituir o diálogo familiar.
Que me desculpes mas eu até acho que se perdeu muito o conceito de família quanto mais....
Deixo-te um grande beijinho
José Gonçalves

Maria disse...

Já recebi há algum este mail. Na altura passei-o a amigos daqui que são professores.
É infelizmente o "retrtato" do que se passa em muitas casas, onde dizem que não falta nada, que os miúdos têm tudo etc. e tal, mas falta-lhes.... colo.

Um beijinho

elvira carvalho disse...

Mandaram-me este texto por mail, pelo Natal. E não tenho dúvidas de que em muitas casas será assim. Também me mandaram um muito bonito, de uma criança que está a juntar dinheiro para pagar uma hora de trabalho do pai, a fim de poder ter durante uma hora a companhia do pai. Também para refletir.
Um abraço

big river disse...

Não me chateis , vai pó teu quarto ,deixa-me ouvir a televisão, agora não posso ,estou cansado,hoje não...Quantas crianças passam o dia a dia a ouvir este tipo de coisas? Cada vez gosto mais de mim...
um abraço

Jose Gonçalves disse...

Maria

São os dias de hoje em que vivemos todos a correr e perdemos tempo demais com coisas menos importantes...
Infelizmente é a realidade.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

É Elvira

A humanidade precisa parar e olhar mais para si mesma e para os seus, para a família.
Perderam-se muitos hábitos, muitos costumes, muitas tradições, é verdade mas perdeu-se também um conceito essencial na vida do ser humano, o conceito de família.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

É repá... tás bum?

Tu não serves de exemplo para este panorama.
Tá tudo bem?
Lá te safas-te... e eu também... ao cair do pano... com uma mijoca das antigas...
Um abraço
Não venhas beber um café não, que um dia destes a máquina avaria...
José Gonçalves