quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

AINDA HÁ SOLIDARIEDADE ENTRE OS HOMENS!

*


NÃO TENHO PALAVRAS QUE DESCREVAM TAMANHA CORAGEM, SOLIDARIEDADE, AMIZADE, COMPANHEIRISMO E AMOR PELO PRÓXIMO!
SÃO ASSIM OS FORCADOS DE PORTUGAL! É ASSIM A JUVENTUDE QUE DE FORMA BRAVA ENTREGA NA ARENA A VIDA A TROCO DE NADA, OU APENAS DE UM PUNHADO DE OVAÇÕES!
É ASSIM A FESTA BRAVA, TALVEZ COM UM POUCO DE LOUCURA À MISTURA, MAS É ASSIM QUE O FORCADO SENTE!
BRAVO RAPAZES, QUEM DERA PUDESSE TER ESTADO AÍ AO PÉ DE VÓS, E TER PODIDO OFERECER O MEU CORPO TAMBÉM EM PROTECÇÃO DE UM COMPANHEIRO!
José Gonçalves

24 comentários:

aramis disse...

Meu Amigo, este video é realmente "arrepiante"...
Concordo plenamente contigo quanto a este companheirismo que existe entre os forcados. Sou uma fã incondicional das corridas de touros à portuguesa e se reparares, este "trabalho comum" passa-se também entre os cavaleiros e os chamados "capas" - caso o cavaleiro entre em aflição eles avançam logo sem olhar a nada!
Enfim, para mim, são todos uns valentões...
Muitos beijinhos,

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá amigo Zé, este video é como diz a Aramis " Arrepiante ".
Mas , não deixa dúvida nenhuma quanto á protecção entre eles para o touro não voltar a tocar no primeiro forcado, ou forcado da cara como penso ser esse o nome, que dâo ao primeiro que enfrenta o touro.
Amigo Zé estes homens são muito unidos, só assim se conseguem proteger uns aos outros.
Que Deus os ajude sempre.
Beijinhos de carinho e amizade.
Fernandinha

elvira carvalho disse...

Vi este vídeo a primeira vez, há mais ou menos um mês, e fiquei tão impressionada que não consegui esquecê-lo em todo o dia. Perante este comportamento, tudo o que já se disse sobre amizade, e lealdade, é uma gota de água, em meio do rio.
Um abraço

Brancamar disse...

José,
Vi há dias estas imagens em televisão e também fiquei sensibilizada com este companheirismo e esta atitude colectiva, apesar de não ser apreciadora da Festa Brava por isto mesmo, pelo sofrimento que às vezes causa para ambos os lados, que penso eu é gratuito e desnecessário, apesar de outros momentos bonitos. Sou uma grande apreciadora de cavalos, é o animal que mais gosto, mas mesmo esses e apesar da sua elegância em arena, tantas vezes são sujeitos a cornadas dos touros e a outros sacrifícios.Já gostei de ver na minha juventude, era uma apreciadora do Mestre Baptista e dos seus belos animais equestres, mas com o tempo e salvaguardando as devidas proporções porque os artistas estão lá voluntáriamente começou tudo a parecer-me muito idêntico a um circo romano no tempo de Nero...?!
Há brincadeiras com animais bem mais inocentes, por exemplo a tourada na zona de Sabugal, distrito da Guarda, que se chama Capeia Raiana, parece-me mais um jogo de brincadeira e respeito entre os homens e os animais.
Mas, fica este gesto destes forcados, fantástico e muito incomum.
Beijinho

Brancamar disse...

José,
Depois de ter vindo aqui ainda fui ajudar a filha nuns ensaios para uma cadeira, para acabar amanhã as frequências do primeiro semestre com êxito até agora, felizmente.
Antes de me deitar fui espreitar no meu sítio e encontrei lá um bonito comentário, que me encantou. Venho responder só à segunda parte: não é preciso pedir desculpas entre amigos. Se reparares eu também só faço práticamente um post por semana ou pouco mais e só consegui recuperar um bocadinho a assiduidade porque como sabes a semana passada fiquei em casa a recuperar forças, por isso também optei por manter o blog,mesmo quando não posso fazer visitas. Hoje estou a fazer uma excepção, mas não posso repetir estes horários sob pena de ficar doente. Deixo estes serões mais para o fim de semana.Não precisas explicar, eu sei que estás aí, como uma vez me disseste e tu sabes que estou aqui sempre que de mim precisares. Estou deste lado e sinto a tua amizade mesmo que não fales. Espero que também sintas a minha.
Beijinhos

Maria disse...

Adoro toiros! E corridas, como é evidente. Não sei onde esta situação ocorreu, nem em que corrida.
Mas tenho gravada a tourada de 9 de Agosto de 2007, no Campo Pequeno, tourada de gala à antiga portuguesa (que é uma maravilha!!!) em que, a dado momento, o forcado da cara também vai ao ar e cai no chão, sendo que o toiro continua a investir contra ele, e ele fica inconsciente.
É quando aparece um segundo forcado, que se manda para cima do colega, cobre-o com o seu corpo e rebola com ele encaixado cada vez que o toiro investe. Quando finalmente os bandarilheiros conseguem levar o toiro para o outro lado da arena o forcado levanta-se e o que está no chão é levado para fora da praça.
Bonita esta solidariedade, em que um Homem põe a vida em risco para salvar outro Homem!.

Um abraço

Carminda Pinho disse...

Pois, a verdade é que não gosto de touradas e, tremo só de pensar nas chamadas pegas de caras.
Alguma coisa levará a que os forcados tenham tanta sedução por enfrentar um touro assim desta maneira, será bravura ou loucura?
Que os homens são solidários, disso não tenho dúvidas.

Beijos

amigona avó e a neta princesa disse...

Amigo Zé vinha eu sossegadinha responder-te ao comentário e de repente fico estarrecida!!! Eu explico: como é que vim cá várias vezes e tinhas o post já conhecido daquele episódio há alguns anos atrás e hoje vejo não um, dois, mas sim três posts que eu não comentei???!!!!!!!
Será do meu computador?!
Gostaria de ter dito alguma coisa sobre o Padre António Vieira (disse na Sãobanza que também o evocou)e falado um pouco sobre esse crime hediondo que é a muitilação genital feminina (deixei passar essa data- não me perdoo!!!)...ainda irei aproveitar o teu trabalho e falar disso.
Quanto ao teu post de hoje meu querido amigo já conheço o vídeo e forcados é a a única coisa que eu admito nas touradas. No resto acho também um crime hediondo contra um animal que não fez mal nenhum e que um conjunto de pessoas acha muita graça em estar a espetar provocando-lhe dores horríveis isto depois de ter passado outros horrores até chegar à arena e outros que irá passar depois de lá sair...espero que não te zangues mas não, não contes comigo para bater palmas!!!

Um beijo amigo e já sabes nós temos muitas saudades tuas...de te visitar, de te ler, mas o importante é que estejas por aqui...vens quando puderes...nós estamos cá...beijão e um bom fim-de-semana...

Sophiamar disse...

Querido Amigo

Comecei a ver o video mas não consigo. Tenho sangue ribatejano também mas da festa brava não sou apreciadora. As lágrimas caem-me por todos os intervenientes da festa.

Deixo-te mil beijinhos e um agradecimento especial por ires continuando entre nós. És uma luz, uma das luzes, que gosto de ver acesa na blogosfera e da qual sinto falta. Tu sabes!
Um abraço envolvido na gratidão que tanto mereces.

elvira carvalho disse...

Li agora o seu comentário. Não tem que pedir desculpa amigo. Se se encaram as visitas como uma obrigação deixam de ter significado. Vem quando puder eu sei que está aqui, e que se não vai, é porque não pode. Um abraço

Entre linhas... disse...

Uma grande prova de união,coragem,de equipa,e acima de tudo de companheirismo.
Meu amigo desjo-te um óptimo fim de semana cheio de paz,amor e muita harmonia.
Beijinhos
Zita

Sophiamar disse...

Tens um desafio no meu blog. Fala de ti. Já te conheço tão bem!Mas nunca é demais ouvir as tuas palavras.

Beijinhosssss

Jose Gonçalves disse...

Aramis

Esta coragem é apanágio da forcadagem de Portugal minha amiga.
Há muita solidariedade em outras actividades e profissões e a que evocas é um facto, embora não tão acentuada.
Repara que mesmo até em relação ao cavalo esse sentimento é visível em muitos casos.
Os homens do mar têm também muita solidariedade e em tempo de guerra ela também aparece. Mas neste caso ela mostra-se de forma heróica e corajosa. São os companheiros que oferecem o próprio corpo na protecção de seu amigo, pondo em risco directo a sua própria vida.
Só mesmo entre forcados.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Fernadinha

O forcado da cara é aquele que na pega salta para a arena e cita o toiro de peito feito.
A evocação divina está sempre presente entre gente dos toiros e ela tem-se feito sentir felizmente.
Um grande abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Elvira

Sábias palavras as suas minha amiga.
Tudo o que se possa dizer neste caso é pouco, mas conheço muitos outros que também deram testemunho da coragem, da solidariedade que existe entre forcados.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Branca

Alguma coisa teríamos de ter que nos diferenciasse. Eu sou adepto incondicional dos toiros e por lá andei em tempos de juventude.
Quem viveu no coração do Ribatejo e sentiu este meio ambiente, dificilmente consegue ficar indiferente.
São gostos, e gostos não se discutem.
Mil beijinhos
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Branca

Espero que tudo corra pelo melhor à filhota, ainda para mais com ajudas em casa...ehehehe...
Mas sei que ela é boa aluna até porque o dizes.
Quanto à falta de tempo, pois minha amiga, nunca pensei que nesta fase voltasse a acontecer-me. Afinal a vida dá muitas voltas.
Podes ficar descansada pois sinto mesmo a tua "presença" no meu espaço mesmo que cá não venhas com tanta assiduidade. Não te preocupes.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Maria

Eu lembro-me da corrida em que esta pega e este incidente correu mas sinceramente também não me recordo onde e quando aconteceu, o que para o caso pouco importa.
Aqui o que interessa realçar é esta solidariedade entre amigos, entre forcados.
Lembro-me também dessa do Campo Pequeno e de muitas outras pois exemplos destes são frequentes entre a forcadagem.
Um grande abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Carminda

Sou um fã incondicional dos toiros e em especial dos forcados por onde andei na juventude.
Há um misto de bravura, loucura, desafio, amor e coragem entre os homens da festa brava.
Não me pergunte como, nasce connosco penso, isto para além do ambiente em que se vive que ajuda muito.
Um beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Amigona

Pois, eu reconheço tudo isso que me dizes e não sei como contrapor. Apenas que adoro toiros, por lá andei misturado e só vivendo este ambiente se pode explicar o que se sente.
Não podemos ser todos iguais nem ter os mesmo gostos senão o mundo jÁ tinha tombado.
Um beijinho e tentarei vir mais vezes até aqui e até vossas casas.
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

Não te preocupes, cada um de nós tem os seus próprios gostos e é adepto das suas próprias festas.
Eu, como penso sabes, em tempos de juventude, misturei-me por entre eles e por lá andei uns tempos. Não tem explicação, sente-se...
És uma amiga extraordinária sinceramente e sei que estás sempre aí, e não perdes a ocasião para me dedicar palavras que calam fundo. Acredita que de luz pouco tenho, ou pelo menos está muito fraquinha.
Um grande beijinho
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Elvira

Agradeço-lhe a compreensão e sei que sabe que a admiro e a respeito bastante.
Gosto muito de a visitar e fico zangado comigo mesmo por não conseguir arranjar mais tempo para poder continuar por aqui como o fazia.
Um grande abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Entre linhas

É como diz, uma prova de amor, coragem, solidariedade e amizade que estes bravos demonstram.
Desejo-lhe agora uma boa semana.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

Lá irei.
Deixo-te mil beijinhos.
José Gonçalves