sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

BREVE REFERÊNCIA A ALGUNS QUE NOS DEIXARAM EM 2007

*

Entrados que estamos em 2008, que esperamos seja um ano de muita Paz, Amor, Saúde e Solidariedade para todos nós, irei fazer a partir de hoje um pequeno balanço que mais não será que uma pequena homenagem a alguns dos que nos deixaram no ano que findou, e que de uma forma ou de outra, sendo pessoas de relevo e de valor fora do comum, nos deixaram marcas da sua passagem entre nós.

Muitos foram os que partiram ao longo do último ano e que mereceriam igualmente uma referência à sua perda, mas não posso falar de todos e dos que falarei, foram aqueles que a memória me foi trazendo e achei importante relembrar, mesmo não respeitando a cronologia dos factos.

Aqui ficam portanto, e que Deus lhes dê e também a todos os que nos deixaram o justo descanso que merecem.

Como devem imaginar, tive de me socorrer de muitas noticias da Net e de alguns órgãos de comunicação social para fazer esta postagem. Espero ter sabido compilar tudo direitinho e se alguma falha existir, espero que compreendam que tentei fazer o melhor que pude.


Marcel Marceau, o mais famoso mímico do mundo


PARIS - O francês Marcel Marceau, que faleceu aos 84 anos, era o artista mais representativo da mímica. Em seis décadas de carreira ele fascinou o público dos cinco continentes graças a uma arte sem palavras, terna e comovedora, que ultrapassava fronteiras.

Nascido em Estrasburgo em 22 de Março de 1923, no começo da Segunda Guerra Mundial mudou-se para Limoges para escapar da perseguição nazista, onde se dedicou ao estudo das artes.

Aluno de Etienne Decroux, pioneiro da mímica moderna, foi professor de arte dramática em Paris e ao terminar a guerra mundial ingressou na companhia de Madeleine Reanud e Jean Louis Barrault onde se destacou no papel de Arlequim.

Sua energia e constituição física permitiram-lhe continuar actuando quase até o final de seus dias.

O "Charlie Chaplin da mímica" foi casado três vezes e era pai de quatro filhos. Fez duas notáveis incursões ao cinema como actor, com Roger Vadim em "Barbarella" (1968) e com Mel Brooks en "La Dernière folie" (1976).

Marcel Marceau morreu aos 84 anos. A notícia foi divulgada pela imprensa francesa, mas a família não forneceu detalhes sobre sua morte. Seu enterro ocorreu no dia 26 de setembro de 2007 no cemitério parisiense do Père-Lachaise na presença de cerca de 300 pessoas.



Morre o tenor italiano Luciano Pavarotti

Luciano Pavarotti , que nasceu em Módena a 12 de Outubro de 1935 e lá faleceu a 6 de Setembro de 2007, foi um cantor lírico italiano, grande intérprete das obras de Donizetti, Puccini e Verdi. É merecidamente reconhecido como o tenor que popularizou a música clássica.

Pavarotti participou com os tenores espanhóis José Carreras e Plácido Domingo nos concertos "Os três tenores", e gravou famosos duetos com Frank Sinatra, Spice Girls, Bryan Adams, Andrea Bocelli, Queen, Céline Dion, Eros Ramazzotti, Jon Bon Jovi, U2 e Roberto Carlos, entre outros. É considerado um dos mais importantes tenores de todos os tempos. Cantou nos mais importantes teatros mundiais, como sendo o Teatro alla Scala (Milão), a Royal Opera House (Covent Garden, Londres), a Metropolitan Opera House (Nova Iorque), entre outros.

Pavarotti tem duas entradas no livro Guinness World Records: o maior número de chamadas ao palco — 165 — e o álbum de música clássica mais vendido de sempre (In Concert de Os Três Tenores partilhado com os colegas Plácido Domingo e José Carreras).

Iniciou a sua "torné" de despedida em 2004, aos 69 anos, após quatro décadas de palco.

Em 10 de Fevereiro de 2006, Pavarotti canta "Nessun Dorma" na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006 em Turim

Desde 2006 que se submetera a tratamentos devido a um tumor no pâncreas, tendo sido operado em Julho de 2006, momento em que deixou de fazer aparições públicas. O seu estado de saúde agravou-se no Verão de 2007. Luciano Pavarotti esteve internado num hospital durante mais de duas semanas para tratamentos e diagnósticos, tendo regressado a casa em final de Agosto. O seu estado de saúde piorou significativamente em 5 de Setembro. Pavarotti morreu em sua casa na madrugada de 6 de Setembro de 2007, aos 71 anos de idade. A morte foi anunciada pelo empresário do cantor, Terri Robson.

Pavarotti actuou duas vezes em Portugal.
Em 13 de Janeiro de 1991 no Coliseu de Lisboa um concerto denominado "Uma Noite com Luciano Pavarotti". Pavarotti cantou árias de Donizetti, Verdi, Massenet, Puccini, Leoncavallo e canções napolitanas.

Em 21 de Junho de 2000 actuou no Estádio S.Luís, em Faro com cenário do arquitecto Tomás Taveira. Na viagem entre Lisboa e Faro, partiu-se um vidro do jacto privado do cantor, a cabine despressurizou e o avião caiu mais de três mil metros. O tenor não ganhou para o susto, comentando "Desta vez safei-me".

O incidente resultou numa "otite" e alguns problemas nas cordas vocais, pelo que teve de receber tratamento numa clínica próxima de Faro.



Boris Nikolayevich Yeltsin

Boris Nikoláievitch Iéltsin. que nasceu em Butka, Sverdlovsk a 1º de Fevereiro de 1931 e faleceu em Moscou a 23 de abril de 2007, foi um político russo, com um importante papel na história recente da União Soviética e da Federação Russa.

Era casado com Naina Iosifovna Ieltsina, com quem teve duas filhas, Iélena e Tatiana, nascidas em 1957 e 1958, respectivamente.

Foi o primeiro presidente da Rússia em 1991, após o fim da União Soviética, e o primeiro eleito democraticamente na história daquele país governando entre 1991 e 1999 A sua eleição, em 1991, ficou em volta de muita expectativa e a 12 de Junho de 1991, Yeltsin ganhas as eleições com 57% dos votos.

A era de Yeltsin ficou marcada pela grande corrupção que assolava a Rússia, o desemprego, a fome e os conflitos com a Chechénia e também aos colapsos económicos e à venda sem organização de empresas a privados como a Lukoil fazendo com que a sua popularidade fosse baixa durante alguns tempos. Em 1994 ordenou a invasão da Chechénia originando a primeira Guerra Chechena, até chegar a um tratado de paz em 1996, violado pouco tempo depois.

Ieltsin foi o responsável por transformar a Rússia num Estado capitalista, deixando de lado, o comunismo. Criou-se a terapia de choque económica levando muitas famílias dependentes dos subsídios soviéticos a passarem muitos problemas económicos e sociais.

Faleceu aos 76 anos de idade de complicações cardíacas após uma visita à Jordânia.

Fotos e Textos extraídos da Net e órgãos de Comunicação Social.
José Gonçalves


14 comentários:

Brancamar disse...

Bom dia José,
Feliz regresso e Feliz 2008!
Já tinha saudades.
Adorei ver-te por aqui.
Logo volto para comentar este texto e o anterior e falar mais um bocadinho contigo.
Um grande abraço.

Joaninha disse...

É verdade, este ano ficamos sem uma das mais bonitas vozes que já ouvi. O grande tenr Pavarotti.
e era grande e todos os sentido ;)
Ainda bem que voltou José, comeu uma bolinha de berlim?

Jose Gonçalves disse...

Olá Branca

Voltei e com muitas saudades vossas.
Esta noite irei iniciar as minhas visitas aos vossos cantos.
Por agora estou a tentar por em dia muita coisa que deixei atrasar, quer do foro pessoal, quer do porentremontesevales.
Gostaria que o meu tempo fosse mais elástico mas não é. De qualquer forma lá chegarei devagarinho e acho que todos compreenderão isso.
Deixo-te um beijinho e fico à tua espera. Espera por mim também.
Até logo.
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Olá Joaninha

Este ano foram muitos os ilustres que nos deixaram e por isso tentarei relembrara alguns deles.
Estou realmente de volta, mas devo confessar-lhe que não fui a Vila Praia de Âncora e por isso não comi lá nenhuma bola de berlim. No entanto, como estive em Viana, fui ao Natário tentar comer uma, mas tinham acabado, por isso comi um espectacular "jesuita" que lhe aconselho vivamente.
Experimente da próxima vez que por lá andar e depois me dirá...
Um grande beijinho carregadinho de muitas saudades que tinha de vocês todos.
Como já disse anteriormente à Brancamar, esta noite irei começar a visitar-vos.
Até logo então.
José Gonçalves

elvira carvalho disse...

Todos os anos o Mundo fica culturalmente mais pobre, porque todos os anos grandes vultos da cultura mundial nos deixam. É a lei da vida, um dia chegará a nossa vez, com a diferença que por nós o mundo não chorará. Um dos que mais senti a morte foi Pavarotti.
Um abraço e um bom fim de semana

Sophiamar disse...

Partem uns, outros chegam. É assim a vida. Um cais de chegada,um porto de partida. Alguns, jamais serão esquecidos de tanto que nos deram. E destes tu tens aqui gente que só deixarei de relembrar quando já, também, tiver partido.

Beijinhosssss

Jose Gonçalves disse...

Elvira

É a lei da vida. Partem uns e outros chegarão. De nós não se lembrará quase ninguém, a não ser os nossos, e mesmo assim alguns deles nem nisso repararão.
Mas quanto aos vultos que nos vão deixando, tentarei ir fazendo algumas postagens para os lembrar-mos.
Um grande abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

As tuas palavras ilustram de forma elequente o ciclo normal da vida. E destes que pariram, alguns deles não deixarão as nossas memórias, pelo que representaram para a humanidade.
Um grande beijinho
José Gonçalves

Brancamar disse...

Estou de volta hoje. É para recuperar o tempo perdido!
Aquela conversa com a Joaninha sobre as bolas de Berlim deixou-me de água na boca...e ainda mais a viagem pelo Minho...!
Quanto às figuras que nos deixaram é sempre de lamentar, mas não há volta a dar,nascemos para morrer. Tinha um grande apreço pela arte de Marcel Marceau e pela voz de Pavarotti.De Boris Yeltsin não apreciei particularmente o estilo.Acho mesmo que foi um factor impeditivo para que a transição se fizesse progressivamente e com menos sobressaltos através da Perestroika.Mas, sempre acontece na história cada vez que há uma mudança, há sempre quem queira ir depressa demais, o mesmo aconteceu por cá e as precipitações nunca foram uma atitude prudente, além de provocarem a reacção contrária, que é a de quem puxa para tràs.
Excessos à parte é sempre lamentável a morte de alguém.
Fica a recordação.
Beijinhos

Jose Gonçalves disse...

bRANCA

Nem todos os que desapareceram durante o ano de 2007 fizeram as minhas preferências, mas nem por isso deixaram de ser notáveis.
Yeltsin teve muitos defeitos mas marcou uma época e também não foi das minhas preferências, mas não deixou de ser uma figura incontornável.
Quanto às Bolas de Berlim de Vila Praia de âncora, elas são famosas e a Joaninha já comigo tinha feito um comentário há muito tempo sobre elas, logo que viu que eu sou de facto um saudoso e ansioso para ir viver para o Minho, velho projecto que apenas aguarda a venda desta minha casa onde vivo.
Mas nem só de Bolas de Berlim te poderia falar. Falar-te-ia igualmente de um bacalhau fabuloso servido na Adega do Chico em Caminha que nos deixa saudades. Também no Clube Náutico de Viana o bacalhau é um perfeito pitéu. Estás relativamente perto deles e experimenta num fim de semana, depois me dirás.
Um beijinho
José Gonçalves

Brancamar disse...

José,
Eu percebi perfeitamente que esta reportagem não tem a ver com preferências.Apesar do comentário de quem opina como pessoa mais ou menos leiga em matéria de política, eu tenho sempre respeito pelas pessoas enquanto seres humanos e também por algumas das suas obras. Ninguém é perfeito!Há uma máxima da Amnistia Internacional de que gosto muito e é: "Não concordo com o que dizeis, mas bater-me-ei até ao fim para que o possais dizer".
Já estou a cair em cima das teclas.
Beijinhos

Jose Gonçalves disse...

Branca

Não quis de maneira nenhuma fazer-te qualquer observação ao teu comentário.
Bem pelo contrário, apenas quis concordar contigo nele mas acrescentei que mesmo não sendo preferências minhas, alguns deles pela a importância que revelaram para o mundo em determinado momento, deveria referência-los nesta postagem.
Nada de más interpretações, jamais diria ou faria algo que te melindrasse.
Um beijinho e um sono sereno e retemperador.
Até amanhã.
José Gonçalves

avelaneiraflorida disse...

Amigo José Gonçalves,

estas referências devem ser feitas...para que a MEMÒRIA se não perca!
Brigados!!!!!
Bjkas, Amigo!!!

Jose Gonçalves disse...

avelaneiraflorida

É sempre assim, uns partem, outros ficam e outros ainda vão chegando rodeados de muito amor. Infelizmente, alguns destes últimos não pediram para vir e de amor pouco recebem ou mesmo nada.
No meio de tudo isto, uns tantos vão sobressaindo do anonimato pelo valor que vão demonstrando, quer por razões positivas, quer por razões menos positivas.
Por isso resolvi fazer esta chamada de alguns que mereceram o destaque dos meios de comunicação.
Um beijinho
José Gonçalves