segunda-feira, 12 de novembro de 2007

É TEMPO DE DIZER BASTA !


Já não bastava o facto de estar meio preocupado ontem à noite, com o principio de pneumonia do meu filho, eis que me toca o telefone a horas menos próprias.

Sempre que isto acontece fora de horas, os nossos corações cá em casa aceleram e de que maneira. Como não é muito normal, ficamos normalmente em sobressalto.

Ontem confirmou-se a regra.

A noticia caiu que nem uma bomba. Num brutal acidente à saída de Alcobaça, perderam a vida duas jovens e um outro estava em perigo de vida no Hospital de Coimbra.

Uma das jovens que perdeu a vida de imediato era filha de amigos e a outra a namorada do filho que também seguía no mesmo veículo e que está internado em Coimbra, ao que julgo saber livre de perigo mas ainda de prognóstico reservado.

Vão ser uns dias muito maus estes que se aproximam.

Perante mais este cenário de dor, apetece-me perguntar: que se passa nas estradas portuguesas meus amigos? Que cartas de condução são estas que são passadas? Que falta de consciência na estrada é esta?

Antigamente, toda a gente se queixava das estradas do país, agora essa desculpa já não pega, e embora muitas ainda estejam com deficiências, a verdade é que as principais estão já a um nível muito aceitável.

Há uns dias fomos todos acordados com a noticia de que uma condutora perdera o controle do seu carro no Terreiro do Paço, em Lisboa, e ceifara a vida de duas mulheres, mãe e filha, tendo ficado uma outra da mesma família em estado grave.

Na estrada Nacional 125, no Algarve, um criminoso qualquer abalroa um outro veículo onde seguía um casal que teve morte imediata, e não contente com isso, ainda foge do local do acidente.

Em Tires, uma avó e dois netos, são atropelados num passadeira. Morre uma das crianças, de seis anos que segundo li, foi atropelada duas vezes, tendo a avó e o outro neto ficado gravemente feridos.

Em mais um brutal acidente, entre um ligeiro e um autocarro transportando alunos da Universidade Sénior de Castelo Branco perdem a vida 13 pessoas, números que terão aumentado dias depois para 15, ainda com alguns feridos em observação.

Estes são só aqueles acidentes que a comunicação social trouxe ao nosso conhecimento, porque muitos outros acontecem sem que deles tenhamos conhecimento.

Que se passa? Anda tudo louco ou as licenças que se passam não correspondem à realidade?

Os teóricos, aqueles que sempre que um acidente vem nas noticias diárias se apressam a vir afirmar que é preciso alterar o rumo dos acontecimentos, que é preciso ter uma maior fiscalização, e que mandam, têm mesmo de pôr em prática o que afirmam.

Andam para aí muitos loucos e inconscientes que se matam e matam os outros. É hora de dizer basta. São as vidas de todos nós que estão em perigo. São as dos nossos filhos que quando os deixamos de manhã na escola, ficamos sem saber se de tarde não nos chegarão noticias menos agradáveis.

Não falo daqueles que não têm carta de condução, porque esses são mesmo criminosos antes de o serem, sempre que conduzem sem o poderem fazer, falo dos outros, dos encartados e por muito que custe, é preciso que de vez em quando, esses sejam obrigados a prestar provas da sua capacidade de condução.

Eu considero-me dentro destes, ninguém está acima de nada, nem tem o direito de continuar a ceifar vidas na estrada se não estiver nas suas perfeitas condições. Se eu não estiver nestas condições que me seja interdita a possibilidade de conduzir, embora o carro seja a minha ferramenta de trabalho.

Que se passa meus amigos, que se passa? Alguém tem resposta para isto?

José Gonçalves

18 comentários:

Vieira Calado disse...

Primeiro a culpa era dos carros que eram velhos: o lobby a funcionar para vender carros novos. Depois as estradas, as inspecções aos carros.
Pouco se disse da falta de civismo
(e de bom senso) que, quanto a mim,
são a principal causa de muitos acidentes.
Quanto às estrelas, digo-lhe que a minha próxima postagem (se o Holmes, entretanto, não fizer das suas), será sobre as magnitudes, ou seja: o aspecto visual dos astros, a intensidade do seu brilho.
Um grande abraço.

aramis disse...

Meu querido Amigo,
Não sabia deste brutal acidente em Alcobaça...
Estamos a passar uma fase de verdadeira loucura, as correrias, a falta de atenção, eu sei lá!
Como fazer "stop", não faço ideia como, só sei que podemos tentar sensibilizar as pessoas à nossa volta e pouco mais...
Muitos beijinhos e as melhoras para o nosso rapaz.

elvira carvalho disse...

Lamento a dor dos seus amigos, e a dor de tanta gente que perde os seus ou fica estropiada nos acidentes de estrada. As pessoas não se consciencializam de que trazem nas mãos uma arma mortal.
Um abraço e as melhoras do filhote.

Sophiamar disse...

Faltam-me as palavras para te confortar. Se estivesse contigo apenas te daria um abraço apertado e deixaria cair as lágrimas que nestes momentos rolam impetuosamente.Aos pais das meninas dá-lhes um grande abraço. Espero, desejo as rápidas melhoras do rapaz. Nada atenuará a dor de quem passa por situações deste tipo. Colegas,grandes amigas, que passaram por situação semelhante, assim de repente, sem pensar muito, tenho três. Sem sair do prédio de onde te estou a escrever partiu há anos um menino, em iguais circunstâncias.Vidas em flor, ceifadas pela incúria de quem anda pelas estradas, pelo egoísmo, pelo desrespeito pelo próximo.Concordo com tudo quanto propões. Ainda que a vida de quem inesperadamente e injustamente partiu não seja devolvida, muitas poderão ser poupadas se não for leve a mão de quem aplica a justiça, se não nos calarmos,se exigirmos normas de conduta rigorosas para quem, neste caso, utiliza a estrada. Não pode ficar impune quem semeia a morte.
Deixo-te beijinhos e um abraço solidário com a tua dor.

Fernanda e Poemas disse...

Olá Zé, boa pergunta!
Eu tantas vezes a faço a mim própria ao ler e ver tanta desgraça.
Ainda este fim de semana fui ao Algarve, e as manobras perigosas seram um pavor.
Amigo, falta cívismo e bom senso.
Muitos beijinhos,
Fernandinha

Ernesto Feliciano disse...

Amigo José,

Infelizmente estas notícias estão a surgir com grande frequência desta altura.

Para lá do contínuo investimento nas infra-estruturas rodoviárias, penso ser fundamental a formação em cidadania (para condutores e não condutores), de modo a fomentar o sentimento de responsabilidade nas pessoas.

Um grande abraço e as rápidas melhoras do seu filho.

Jose Gonçalves disse...

Amigo Vieira Calado

A culpa acaba sempre por morrer solteira, mas a verdade é que é tempo de dizer basta. Alguma coisa tem de ser feita e se calhar será de começar logo pelos bancos da escola.
Um dia hei-de conseguir falar consigo sobre astros com algum conhecimento da matéria.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Aramis

Se fores ao sitio da Rádio Cister, verás a descrição do desastre bem pormenorizada que é de arrepiar.
Esta juventude, assim que atinge a maioridade e passa a ter carro perde um por vezes a cabeça.
Ao que se pensa foi o excesso de velocidade que o originou, sendo que o carro onde seguíam, embateu em duas casas até se imobilizar contra um poste. Pelo caminho foi cuspindo corpos, tendo um deles (uma das meninas) entrado por uma das casas adentro, vindo a falecer no seu interior para espanto dos donos da casa que a viram assim invadida primeiro pelo veiculo e depois pelo corpo desta jovem.
Isto tem de parar, como também naõ sei, mas tem.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Olá Elvira

Esta é uma onde negativa, mas há-de passar.
Contrariamente ao que se possa imaginar eu não sou nem pessimista nem derrotista, bem pelo contrário até sou bastante optimista, mas por vezes temos alturas na vida que tudo parece correr menos bem.
Embora se diga que um optimista é um pessimista mal informado, não é o meu caso.
Quem me conhece bem de perto sabe que sou um lutador, um extrovertido e um incorrigível brincalhão.
Por isso acredito que são fases.
Os meus amigos, pais destes jovens estão de rastos como deve imaginar.
Não temos uma relação muito intima mas sentimos a dor como se fosse nossa.
Obrigado por ter perguntado pelo meu Pedro, mas está bem e em recuperação.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

Sophiamar

Acabo de ouvir na TVI que mais um acidente aconteceu entre um autocarro que transportava crianças e um veículo ligeiro.
A TVI irá dar mais esclarecimentos sobre o acidente, mas até ao momento ainda não deu. Passa-se em Portugal, num local qualquer, mas envolve crianças e pessoas portuguesas.
Isto não pára,
Que fazer?
Que fazem as autoridades? Andam numa caça desenfreada à multas em vez de terem uma acção pedagógica nas estradas. Escondem-se como lobos à espera de fazerem uns trocos. Que mentalidade é esta?
Quem manda nesta gente?
Mostrem-se, ponham-se visíveis que os condutores agradecem e se calhar evitarão muitos acidentes.
Teria muito mais para dizer mas fico por aqui.
Um abraço
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

fernanda e poemas

Pois falta minha amiga e de que maneira.
Primeiro temos de mudar as mentalidades de muita gente.
Um abraço
José Gonçalves

São disse...

Meu amigo, primeiro que tudo a minha solidariedade para contigo e para com as vítimas.
Eu que estou ligada à Educação, penso que tudo passa por aí...e educação cívica é coisa muito rara em Portugal!!
Só não concordo numa coisa: quem provoca os acidentes rara/ morre , pois sabe o que está a fazer e os outros , apanhados de surpresa, nem têm hipótese de se defenfer!!
Vinha agradecer-te as palavras e dizer-te que pedi à brisa de Vila Praia de Âncora para pousar a tua saudade nas areias de Afife, porque só isso o comboio me permitiu...
Um grande,grande abraço!

Jose Gonçalves disse...

Amigo Ernesto
Tem toda a razão, e como dizia à pouco num comentário anterior, mais um acidente entre um autocarro que transportava crianças e um veículo ligeiro.
Por sorte, penso que só há feridos ligeiros, mas poderia ter sido mais um daqueles que temos de lamentar a perda de vidas.
Não sei onde isto vai parar.
Um abraço
José Gonçalves

São disse...

As rápidas melhoras do teu filho, claro!Só que isto saiu antes de tempo!!
Boa semana!

Jose Gonçalves disse...

Olá São

Fico satisfeito de te ver de novo por aqui, sinal de que voltaste sã e salva.
Estes acidentes infelizmente são o espelho deste país em que vivemos.
Mas não estou de acordo contigo em relação a estes assassinos da estrada. Acho que nenhum deles sabe o que anda a fazer, o problema é que matam quem nada tem a ver com a inconsciência deles.
Obrigado pela solidariedade amiga.
Agradeço-te a gentileza de teres pedido à Brisa para depositar as minhas saudades na minha praia de Afife.
Um grande abraço para ti também.
José Gonçalves

Jose Gonçalves disse...

São

Obrigado pelas melhoras do meu Pedro, que está de facto melhor.
Queria dizer-te que fazias falta por aqui.
Um abraço
José Gonçalves

avelaneiraflorida disse...

Amigo José Gonçalves,

TODA A SOLIDARIEDADE para os AMIGOS e FAMILIARES desses acientados , que não têm culpa de hvaer um país onde a Prevenção RODOVIÀRIA é uma "Ilusão"...para brincar nos jardins de infãncia...mas que se esquece ao longo da VIDA!
Força!!!!
Bjks

Jose Gonçalves disse...

Avelaneiraflorida

Subscrevo inteiramente o que diz. A prevenção rodoviária em Portugal na cabeça destes senhores que nela mandam é andar na caça à multa e mais nada.
Um abraço
José Gonçalves